As Relíquias da Morte ︎◆ Filmes e peças ︎◆ Parte 1

Roteiro HP7.1 Parte 11: Tradução das cenas 131 ~ 143

Trazemos hoje a nossa décima primeira parte do periódico que visa publicar todos os sábados 13 cenas traduzidas para o português do roteiro oficial e original do filme Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 1.

As cenas de hoje começam com o Harry e a Hermione dentro da casa de Batilda; Mione no andar de baixo, encontra a cozinha cheia de sangue e ouve um silvo vindo do aquecedor. Harry, no andar de cima, aproxima-se de um monte de roupa sujas e, quando se vira, vê a Nagini saindo do pescoço de Batilda. Segue-se uma sequência de ataque da cobra contra Harry e, em seguida, Hermione aparece para ajudá-lo. Após muita destruição, eles conseguem fugir pela janela.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Vemos então ambos conversando dentro da tenda, e aparentemente Harry ficou algum tempo doente, com a garota cuidando dele. Depois, já melhor, ele sai da barraca e conversa com Hermione; a jovem fala de seus pais e em seguida mostra uma foto de Grindelwald no livro que pegara na casa de Batilda. Harry fica revoltado com a ideia de Dumbledore ter acreditado nos bruxos dominarem os trouxas, e sua raiva chega ao ápice quando descobre que sua varinha se quebrara na confusão em Godric’s Hollow. Ele pega a de Mione e fica para a vigília.

Mais tarde, Harry vê uma luz na clareira, que logo toma a forma de uma corça prateada. O jovem a segue pela floresta até uma lagoa, dentro da qual encontra a espada de Gryffindor. Ele mergulha para pegá-la, mas o medalhão o impede de respirar; está quase sufocando quando Rony aparece e o resgata. Segue um diálogo desconfortável e Harry dá ao amigo a tarefa de destruir a horcrux. Quando o objeto se abre e as sombras de Harry e Hermione aparecem, beijando-se, o jovem quase vacila, mas por fim consegue destruir o medalhão.

As cenas de hoje terminam com os dois conversando sobre o significado de Hermione para Harry e a atitude de Rony aquela noite compensar a sua ausência nas últimas semanas. Vocês podem conferir a tradução dessas cenas fazendo o seu download em pdf clicando aqui!

HARRY POTTER E AS RELÍQUIAS DA MORTE: PARTE 1
Roteiro original ~ Cenas 131 à 143
Warner Brothers
Tradução: Biara Fuchs
Revisão: Priscila Gonçalves

Tradução das cenas 1 ~ 13
Tradução das cenas 14 ~ 26
Tradução das cenas 27 ~ 39
Tradução das cenas 40 ~ 52
Tradução das cenas 53 ~ 65
Tradução das cenas 66 ~ 78
Tradução das cenas 79 ~ 91
Tradução das cenas 92 ~ 104
Tradução das cenas 105 ~ 117
Tradução das cenas 118 ~ 130

131. INT. ENTRADA – AO MESMO TEMPO – NOITE

Hermione se envolve com os braços enquanto sai da sala de estar e se espreita na entrada adjacente. Uma lasca de madeira da cozinha pode ser vista e um fraco ZUMBIDO é ouvido. Uma estranha SOMBRA dança sob uma parede da cozinha, sombra esta de PARTÍCULAS se movendo. Hermione se aproxima.

132. INT. CASA DE BAGSHOT – QUARTO – AO MESMO TEMPO – NOITE

Harry assiste Batilda se aproximar, trespassado pelos seus olhos esbranquiçados. A Horcrux no seu peito se CONTRAI.

BATILDA BAGSHOT
(em língua de cobra)
Você é Potter?

HARRY
(em língua de cobra)
Sim.

133. INT. CASA DE BAGSHOT – ENTRADA/COZINHA – AO MESMO TEMPO – NOITE

Enquanto Hermione se aproxima da cozinha, contempla a NUVEM de PARTÍCULAS enchendo a parede curiosamente. O ZUMBIDO CRESCE para um SILVO quando o cômodo… APARECE. Hermione SE SOBRESSALTA. SANGUE COAGULADO segue pela pia e grandes manchas vermelhas sujam o chão rodeado por CENTENAS DE MOSCAS.

BATILDA BAGSHOT (FORA DE QUADRO)
(em língua de cobra)
Eu tenho algo para você…

Hermione olha para cima, para o teto, para o AQUECEDOR, de onde o silvo de voz tinha acabado de vir.

134. INT. CASA DE BAGSHOT – QUARTO – AO MESMO TEMPO – NOITE

O braço de Harry se abaixa, a ponta de sua varinha pintando o quarto com pontos de luz até que ele vacila, estremecendo enquanto sua cicatriz arde. Batilda aponta para uma mesa desorganizada com roupa suja, seus olhos esbranquiçados fixados em Harry. Algo surge em suas córneas transparentes, suas pupilas mudando de pontos para fendas.

135. INT. ESCADA ESPIRAL – AO MESMO TEMPO – NOITE

Hermione, varinha a mostra, sobe as escadas.

136. INT. CASA DE BAGSHOT – QUARTO – AO MESMO TEMPO – NOITE

Harry se encosta na roupa suja, se aproximando cada vez mais, quando, pelo canto dos olhos, vê Batilda se mover estranhamente. Ele gira e assiste com horror quando…

O velho corpo de Batilda desaba e Nagini sai de seu pescoço. Enquanto Harry levanta sua varinha, Nagini ATACA, atingindo o seu antebraço. A varinha de Harry voa de sua mão, sua luz girando vertiginosamente pelo quarto. A cauda de Nagini balança, atinge as pernas de Harry por baixo dele.

HERMIONE (FORA DE QUADRO)
Harry!

Conforme Harry gira para trás, com dificuldade para respirar, o corpo massivo de Nagini rola por cima dele, a Horcrux marcando febrilmente contra o seu corpo. Quando Harry RUGE de dor, as lentes dos seus óculos se rompem.

A porta do quarto abre, revela a silhueta de Hermione contra a escada, varinha disposta. UM JATO DE LUZ VERMELHA ricocheteia pelo quarto e a cauda de Nagini rebate bravamente, quebrando a janela do quarto. Hermione mergulha de lado e Harry cobre o rosto quando as cortinas explodem em chamas e cacos de vidro encobrem o quarto em um ímpeto de ar gelado.

Quando Harry recupera sua varinha e se levanta, o corpo de Nagini se desenrola em fúria, destruindo a mobília e deixando buracos nas paredes.

HERMIONE
Confringo!

Enquanto o feitiço de Hermione é executado pelas paredes trêmulas, nós vemos os dois, ela e Harry refletidos em um ESPELHO. Ele salta, levando-a em direção à janela em chamas. Quando eles se lançam em direção à noite, o espelho EXPLODE e cacos de vidro, refletindo pedaços de Hermione e Harry e da cobra gigante, caem na noite, lentamente se transformando em… nada.

137. EXT. RIO/FLORESTA (FLORESTA DO DEÃO) – DIA

Estranhamente quieto. Como a memória de um dia há muito tempo. Uma figura solitária –- Hermione –- anda do rio para a floresta, um balde de água na mão, deixando silenciosas pegadas na GEADA, que brilha no chão.

138. INT. BARRACA (FLORESTA DO DEÃO) – INÍCIO DA MANHÃ

ESCURIDÃO. Por um momento, escutamos nada. Então, a voz de Hermione SUAVEMENTE SUSSURRA:

HERMIONE (FORA DE QUADRO)
Harry… Harry, você pode
me ouvir?

HARRY (FORA DE QUADRO)
Sim.

HERMIONE (FORA DE QUADRO)
Bom. Isso é bom…

HARRY (FORA DE QUADRO)
Nós escapamos.

HERMIONE (FORA DE QUADRO)
Sim.

HARRY (FORA DE QUADRO)
Você está bem?

HERMIONE (FORA DE QUADRO)
Estou bem. Mas você esteve doente.
Descanse… Descanse um pouco mais…

TUDO continua ESCURO…

139. EXT. BARRACA (FLORESTA DO DEÃO) – MANHÃ

Hermione senta, lendo um LIVRO perto do fogo. As colinas são gloriosas, dando vista a um vasto vale.

HARRY (FORA DE QUADRO)
Você se superou dessa vez.

Hermione se vira, encontra Harry parado do lado de fora da tenda, admirando a vista. Ele está pálido, desgastado.

HERMIONE
A Floresta do Deão. Eu vim aqui uma vez
com minha mãe e meu pai, anos atrás. Está
bem como eu me lembrava. As árvores. O rio.
É como se nada tivesse mudado. Não é verdade,
é claro. Tudo mudou. Se eu trouxesse meus
pais aqui, eles não iriam reconhecer nada
disso. Nem as árvores. Nem o rio. Nem… eu.

HARRY
Onde eles estão?

HERMIONE
Wendell e Monica Wilkens agora residem
alegremente em Sydney, Austrália. Eles
têm dois cachorros, possuem uma pequena
loja de doces, mas usam fio dental todos
os dias. Não têm filhos.

Ela sorri, então o sorriso some.

HERMIONE
Talvez nós devêssemos apenas ficar
por aqui, Harry. Envelhecer.

Harry não fala nada. Ela aspira, seca as lágrimas.

HERMIONE
Você queria saber quem era o menino
na fotografia. Bem, eu sei.

Hermione segura o livro no colo: A Vida e as Mentiras de Alvo Dumbledore.

HERMIONE
Estava na sala de estar de Batilda.
Rita Skeeter mandou para ela. Harry,
não é uma leitura muito legal –-

HARRY
Quem é ele, Hermione? O ladrão?
Dumbledore o conhecia?

HERMIONE
Sim.

HARRY
Então?

HERMIONE
Por um tempo.

HARRY
Me diga, Hermione. Quem é ele?

HERMIONE
Gerardo Grindelwald. Ele não é muito
conhecido na Grã-Bretanha, mas houve um
tempo, antes de Você-Sabe-Quem…

HARRY
Hermione, eu não preciso ter lido
A História da Magia para saber
quem é Gerardo Grindelwald.

Hermione dá um aceno com a cabeça, entrega a ele o livro, abre em uma FOTOGRAFIA de um JOVEM DUMBLEDORE rindo com outro GAROTO (GERARDO GRINDELWALD). O título: “Para o Bem Maior? Dias Obscuros; Dumbledore e Grindelwald.” Na página oposta está uma FOTOGRAFIA de Grindelwald em dias mais tarde, vestido de preto, segurando uma VARINHA PONTUDA –- nem de perto com a felicidade da juventude.

HERMIONE
Quando Grindelwald tinha dezessete anos, ele
foi expulso da Durmstrang. Tinha começado
a fazer coisas erradas na escola –- experimentos.
Alguns professores sempre o protegeram, mas
eles não podiam mais. Depois que ele partiu,
viajou por um tempo, então parou em Godric’s Hollow
onde a sua tia-avó morava, Batilda Bagshot.

HARRY
Vá para a parte interessante, Hermione.

HERMIONE
Ela o apresentou para Dumbledore. Fazia
sentido. A mãe de Dumbledore tinha acabado
de morrer, Grindelwald era problemático e
eles eram ambos brilhantes –- eles nunca
tiveram alguém do mesmo nível para conversar.
Tiveram muitas conversas aquele verão.
Mas sempre voltavam para um assunto particular.

Harry olha para cima.

HERMIONE
Os Bruxos dominam os Trouxas.

HARRY
E Dumbledore acreditava nisso?

HERMIONE
Sim.

Harry acena, olha para a fotografia de novo.

HARRY
“Para o bem maior.” O que isso
significa?

HERMIONE
Era algo que Dumbledore inventou. Ele
acreditava que bruxos eram superiores
e que deveriam dominar os trouxas, mas
gentilmente, para o próprio bem deles.
Grindelwald levou para um lado mais violento.

Harry balança a cabeça, encarando o livro.

HERMIONE
Era um tempo diferente, Harry.
Foi um verão. Dumbledore era jovem –-

HARRY
Nós somos jovens, Hermione. E aqui
estamos nós, arriscando nossas vidas para lutar
justamente por aquilo que Dumbledore apoiava.

HERMIONE
Ele mudou, Harry. Anos depois,
foi Dumbledore quem colocou
Grindelwald na prisão.

Harry encara a fotografia do ladrão sorridente por um último momento, depois atira o livro.

HARRY
Onde está a minha varinha? Eu fico com
a vigia.

Hermione hesita. Sua expressão o deixa apreensivo.

HARRY
Hermione. Onde está a minha varinha?

Ela aponta. Lá, perto do fogo, está uma vara partida. Ele a pega gentilmente, vê que está dividida em dois. Uma frágil pena de fênix a mantém unida.

HERMIONE
É minha culpa. Quando estávamos deixando
Godric’s Hollow, eu conjurei um feitiço
e ele ricocheteou… desculpe,
Harry, eu tentei consertar, mas
com varinhas é diferente –-

HARRY
Está feito.

HERMIONE
Talvez possamos –-

HARRY
Está feito.

Seu tom coloca um fim à conversa. Ela acena.

HARRY
Me deixe a sua. Volte para dentro.
E me dê isso.

Harry dá um sinal para o medalhão. Hermione começa a falar, então simplesmente o entrega. Ela começa a sair, pausa.

HERMIONE
Ele te amava, Harry. Eu sei que ele
te amava.

Ela trilha os seus dedos levemente pelos cabelos dele, e ele fecha os olhos. Nós –-

DISSOLVEMOS PARA:

140. EXT. BARRACA (FLORESTA DO DEÃO) – NOITE (MAIS TARDE)

O fogo está apenas em cinzas. Harry senta-se com um cobertor incrustado de gelo enrolado nos seus ombros, encarando amargamente a negra floresta. O silêncio é estranho, SOMBRAS brincam nas árvores. Ele se escora na borda da barraca e vê Hermione adormecida na luz de um pequeno POTE de CHAMAS. Então, lentamente, LUZES RASTEJAM brevemente sobre a lona da barraca e ele se vira, se espreita na floresta de novo. Algo parece CINTILAR FRACAMENTE, mas tão rápido que parece uma ilusão dos olhos. O ar está gelado, dá textura à escuridão, faz dela uma coisa viva.

E então lá está ela de novo, a LUZ –- pura e luminosa e prateada e se movendo pelas árvores em sua direção. Harry se levanta e o cobertor escorrega dos seus ombros. Apertando a varinha de Hermione, ele assiste a LUZ flutuar para mais perto, então se dispersar ao longo das árvores, cegando-o momentaneamente. E então aparece…

… uma BRILHOSA E PRATEADA CORÇA, brilhosa como a lua e deslumbrante. Ela olha para Harry e ele permanece petrificado. E então a corça vira e vai embora. A voz dele sai:

HARRY
Não…

141. EXT. FLORESTA DO DEÃO – NOITE – (MOMENTOS DEPOIS)

GEADA É TRITURADA embaixo dos pés de Harry enquanto ele passa pelas árvores em busca da silenciosa corça à frente, o ar fluindo de seus pulmões. Ela o guia profundamente pela floresta até que, finalmente, ela pára, e Harry também. Enquanto ele assiste, ela vira a sua linda cabeça na direção dele… e some. Por um momento, uma PÁLIDA IMAGEM dela, como a marca de uma queimadura, se pende no ar e então Harry mergulha na escuridão.

HARRY
Lumos!

A ponta da varinha de Hermione acende. Harry pinta a clareira com luz e alguma coisa BRILHA: uma pequena LAGOA CONGELADA. Ele vai até esta, olha para baixo. Vê a própria imagem refletindo devidamente e então, mais abaixo, no interior, uma CRUZ PRATEADA. Ele olha mais de perto.

É a ESPADA DE GRYFFINDOR.

Harry dá um passo para trás, pisca. Ainda está lá. Ele olha ao redor, pintando as árvores de luz, olhando para ter certeza que está sozinho, então lança a luz na lagoa novamente.

HARRY
Accio Espada.

Nada. Harry anda sobre a lagoa de novo e de novo, e então pára. Ele se agacha…

… e olha lentamente para o seu peito. A Horcrux ao redor do seu pescoço começa a se CONTRAIR. Harry coloca seus dedos sobre ela brevemente, então levanta. Rapidamente, com seus dedos desajeitados, ele LARGA as suas roupas e aponta a varinha de Hermione para a lagoa.

HARRY
Diffindo.

A crosta de gelo da lagoa se QUEBRA, ecoando no silêncio. PEDAÇOS de GELO NEGRO balançam a superfície. Harry vai em direção a orla da lagoa, espreita-se para dentro… e MERGULHA…

142. INT. LAGOA GELADA (FLORESTA DO DEÃO) – DEBAIXO DA ÁGUA – AÇÃO CONTÍNUA – NOITE

… GRITANDO no silêncio negro da água gelada. Ele nada em direção à espada reluzente, agarra o cabo e nada para a superfície quando…

… a corrente do medalhão começa a ENROLAR, apertando como uma COBRA envolta de seu pescoço. Quando a corrente fere sua garganta, ele solta a espada e começa a revidar, lutando para colocar os dedos na corrente. Percebendo que é inútil…

… ele procura pela borda da lagoa, seus dedos arranhando desesperadamente o gelo, mas incapaz de conseguir. Lentamente, suas mãos frouxas escorregam do gelo de volta para…

… a água, onde flutua, uma trilha lenta de bolhas escapando de sua boca, olhos meio fechados quando ele avança para cima, olhando a superfície da água crescer calma e lentamente… tranquilamente… quando… uma SOMBRA aparece e…

… um PAR de MÃOS quebram a superfície transparente da água e Harry é puxado para cima e para fora, aterrando…

143. EXT. FLORESTA DO DEÃO – AÇÃO CONTÍNUA – NOITE

… de cara no chão congelado, asfixiante e cortante.

HARRY
Hermione…

UMA MÃO aparece, tira o medalhão do seu pescoço.

RONY
Você –- é –- louco?

Os olhos de Harry abrem em um disparo. Parado a alguns metros de distância, totalmente vestido e meio encharcado, segurando a espada de –-

Gryffindor em uma mão e o medalhão em outra, está Rony. Harry apenas encara, então começa a puxar suas roupas.

HARRY
Foi você!

RONY
Bem, sim. Um pouco óbvio, eu diria.

HARRY
E a corça. Era você também.

RONY
Não. Eu pensei que fosse você.

HARRY
Meu patrono é um veado.

RONY
Certo. Chifres.

Rony levanta o seu braço, vagamente imitando chifres, mas o efeito é perdido, com o medalhão e a espada.

HARRY
Você não viu mais ninguém?

RONY
Não, eu… eu acho que talvez eu tenha visto
algo –- quando eu estava correndo –- por ali –-

Harry passa por um par de carvalhos um do lado do outro.

RONY
Alguma coisa?

HARRY
(balançando a cabeça)
Mas acho que quem quer que tenha
conjurado a corça, colocou a espada
naquela lagoa esperando que nós a achássemos.

RONY
E nós achamos, não é?

O “nós” fica parado no ar gelado. Harry encara Rony, então anda para a frente e suspende o medalhão perto da espada. Ele imediatamente começa a CONTRAIR.

HARRY
Vê isso? Ele sabe. Está com medo.
(olhando para cima)
Faça isso.

RONY
O que? Não. Harry. Essa coisa é
ruim para mim. Eu não consigo lidar com isso.
Não estou inventando desculpas para como eu
agi, mas essa coisa me afeta mais do que a você
e Hermione. Me fez pensar coisas –-
coisas que eu estava pensando de qualquer maneira,
mas fez tudo parecer pior.

HARRY
Mais razões.

RONY
Não. Eu não posso –-

HARRY
Então por que você está aqui? Por que você
voltou?

O tom de Harry é duro, feito para magoar. Isso pára Rony. Ele dá um passo para trás, aperta a espada com ambas as mãos. Harry acena.

HARRY
Eu terei que falar com o medalhão para ele
abrir. Quando isso acontecer, não hesite.
Eu não sei o que está dentro, mas começará
uma luta. O pedaço de Riddle que estava
naquele diário tentou me matar.

Rony acena e então Harry tira uma camada de gelo de uma pedra plana, coloca o medalhão sobre ela.

HARRY
No três. Um. Dois. Três.
(em língua de cobra)
Leve-me para dentro…

Click! As portas gêmeas do medalhão ROMPEM-SE. Atrás de cada pedaço de vidro um OLHO VIVO pisca –- Os olhos de Tom Riddle.

HARRY
Perfure-o, Rony. Agora.

Rony levanta as mãos trêmulas, posiciona a espada. Então uma VOZ chia de dentro da Horcrux.

VOZ (NARRAÇÃO EM OFF)
Eu vi o seu coração e ele é
meu…

HARRY
Não dê ouvidos a ele.

VOZ (NARRAÇÃO EM OFF)
Eu vi os seus sonhos, Ronald
Weasley, e vi os seus
medos…

HARRY
Rony. Não o escute!

VOZ (NARRAÇÃO EM OFF)
O último a ser amado, pela mão que
ansiava por uma filha. O menos amado,
pela garota que prefere o seu amigo…

HARRY
Rony. Perfure-o!

O medalhão PALPITA nos dedos de Harry, ficando MUITO QUENTE, e ele o solta. Quando os olhos brilham em VERMELHO, Harry o encara e um FEIXE DE LUZ BRILHANTE IRROMPE para frente, deixando duas FIGURAS flutuando na escuridão –- FANTASMAS de Harry e Hermione.

RIDDLE-HARRY
Nós estávamos melhor sem você,
mais felizes sem você.

RIDDLE-HERMIONE
Quem poderia olhar pra você ao lado de Harry
Potter? O que é você comparado ao Eleito…?

Rony permanece petrificado, com a espada na mão, horrorizado.

HARRY
Rony. Ele está mentindo! PERFURE-O. PERFURE!

RIDDLE-HARRY
Sua mãe confessou que ela teria me
preferido como filho…

RIDDLE-HERMIONE
Quem não iria preferir ele, que mulher
iria ficar com você, você é nada, nada,
nada comparado a ele…

O fantasma Hermione, apavorante, mas ainda linda, se entrelaça em volta do fantasma Harry, seu cabelo percorrendo como seda pelos seus rostos quando ela se inclina para a frente e cobre a boca dele com a dela.

HARRY
Faça Rony! Mate-o!

A cabeça de Rony então se vira, para Harry, e Harry congela. Um marco VERMELHO brilha nos olhos de Rony. Ele levanta a espada no alto e –- por um momento –- Harry parece amedrontado. Então, Rony gira e traz a lâmina para baixo bruscamente, rachando o medalhão. UM GRITO ecoa pela floresta e o fantasma de Harry e Hermione viram poeira, se tornando um com o vapor saindo da boca de Rony e tudo está…

Quieto.

Harry encara o medalhão destruído, então se vira e encara Rony que está parado sozinho, com a espada pendente pelo final do seu braço, peito agitado.

Harry recolhe o medalhão e o examina. Os olhos de Riddle foram embora, o forro de seda manchado e produzindo uma fraca fumaça. Rony deixa a espada cair no chão, cai de joelhos. Harry se aproxima e –- cuidadosamente –- coloca a mão sobre o seu ombro.

HARRY
Depois que você foi embora, ela chorou por
uma semana. Ela é como minha irmã.

RONY
Desculpe. Desculpe por eu ter partido.

HARRY
Você meio que compensou por isso
essa noite. Conseguindo a espada.
Acabando com a Horcrux.

RONY
Salvando a sua vida.

HARRY
Isso também.

Ambos encaram os restos do medalhão.

RONY
Pense somente nisso. Apenas mais
três para encontrar.