As Relíquias da Morte ︎◆ Filmes e peças ︎◆ Parte 2

Mais uma descrição do vídeo de HP7.2 do CinemaCon!

Mais uma descrição do vídeo de Harry Potter e as Relíquias da Morte parte 2 exibido ontem no CinemaCon, desta vez mais longa e escrita pelo Inside Movies, da Entertainment Weekly. Como ainda estamos com uns problemas no sistema de notícias, o texto será postado sem ser em notícia completa, como de costume. Pedimos desculpas pelo transtorno.

Contém spoilers! Leia abaixo, com tradução de Daniel Mählmann e Raquel Monteiro:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Nós fomos avisados desde o início que os quatro minutos de filmagens estavam em estado bruto. Mas para qualquer amante dos filmes de Harry Potter, foi uma prévia que certamente atingiu o coração.

Embora a história já tenha sido concluída e publicada por J.K. Rowling, a metade final de Harry Potter e as Relíquias da Morte não chegará à telona até 15 de julho. Para aqueles que seguiram fielmente Daniel Radcliffe, Emma Watson e Rupert Grint nos últimos dez anos enquanto eles interpretavam o garoto bruxo e seus amigos Hermione Granger e Rony Weasley, o fechamento dessa franquia é obrigado a vir carregado de emoção.

A boa notícia: o final vai tender bastante para esses sentimentos, representando não apenas uma batalha culminante entre o bem e o mal, mas também a reflexão sobre as perdas e os sacrifícios que fizeram para chegar até lá. Os fãs de Harry Potter sabem como tudo vai se resolver, mas esse filme está determinado a nos lembrar que o preço para um final feliz é, muitas vezes, uma grande quantidade de finais infelizes.

Após o salto, aqui está o que os donos do cinema garantiram ver na CinemaCon (e deixe-nos fazer uma pausa para falar do ALERTA DE SPOILER aqui):

O vídeo começa com um sussurro. Voldemort de Ralph Fiennes: “Harry… tragam-no para mim.”

Então Harry, Hermione e Rony estão em uma sala conversando com o resgatado fabricante de varinhas Sr. Olivaras (John Hurt), que garante ao garoto bruxo: “Ele está atrás de você, Sr. Potter. Você realmente não tem a menor chance.”
Harry responde, desafiadoramente: “Então acho que terei de matá-lo antes que ele me encontre.”

Há cenas de uma batalha com o dragão branco, e Hermione grita, “Não podemos simplesmente ficar aqui. Quem tem uma ideia?”
“Não pergunte a nós”, Rony grune. “Você que é a brilhante!”
“Eu tenho uma ideia, mas é maluca”, ela diz, e antes que possa explicar, ela mergulha em um arco de pedra na parte de trás do animal.

O vídeo então corta para as colinas do lado de fora de sua antiga escola, agora ocupada por Snape e os Comensais da Morte. “Precisamos entrar em Hogwarts essa noite”, Harry diz, mas Hermione acha que ele está sendo precipitado.
“Não podemos fazer isso. Temos que planejar. Temos que descobrir como”, ela diz.
Mas Rony decide que eles devem arriscar, destemido. “Hermione, quando foi que algum de nossos planos realmente funcionaram? Nós planejamos e, quando chegamos lá, a coisa pega fogo!”

Aqui, o vídeo toma um rumo mais melancólico. A câmera scaneia sobre um corredor cheio de corpos, que não estão deitados pacificamente, mas dispersos e quebrados com manchas de sangue no chão. A voz de Voldemort diz: “Você tem permitido seus amigos morrerem por você, ao invés de me enfrentar sozinho. Junte-se a mim na Floresta Proibida e confronte o seu destino.”

Na floresta, Harry vê as imagens daqueles que Voldemort citou, as pessoas que deram suas vidas por ele: sua mãe, seu pai, seu padrinho Sirius Black…
“Por que vocês estão aqui, todos vocês?”, ele pergunta.
“Nós nunca te deixamos”, sua mãe sussurra.
“Você vai ficar comigo?” a voz de Harry é alta e temerosa, enquanto os fantasmas são suaves e calmos.
“Sempre”, sua mãe diz.
“Até o fim”, acrescenta o pai, que é tão sinistra como é reconfortante.

O que se segue é uma cena já lançada no trailer, na qual Harry enfrenta Voldermort desarmado, disposto a sacrificar-se como a horcrux final mantendo seu inimigo vivo. “Harry Potter, o menino que sobreviveu… vem para morrer”, diz Voldemort antes do assassinato quase decepcionantemente fácil. Potter morre sem lutar. Mas…

A visão de Rowling sobre a vida após a morte é um vazio branco, e Harry se vê diante de seu mentor, o falecido diretor Alvo Dumbledore, morto por Severo Snape, que diz: “Você é um bravo, bravo homem…” É uma frase simples, mas carregada de significado para alguém conhecido como “O menino que sobreviveu.”
“Você é o verdadeiro senhor da morte, Harry”, Dumbledore diz a ele, e Potter vê que devido a ele morrido de bom grado, será capaz de voltar.

Na cena seguinte, ele está encarando Severo Snape de Alan Rickman no Salão Principal de Hogwarts, desafiando-o enquanto milhares de estudantes observam. “Como ousa estar no lugar onde ele ficava!” Potter grita. “Conte a eles como aconteceu aquela noite. Como você o olhou nos olhos, um homem que confiava em você, e o MATOU!” Quem conhece a história pode ler nas entrelinhas a reação no rosto de Snape.

Mais batalha se desenrola, como o confronto dos dois exércitos sobre o campo de batalha da escola. “Vamos terminar isso da forma que começamos”, Potter diz a Voldemort, agarrando-o, pois ambos caem de um penhasco enquanto a voz de Potter ecoa: “…juntos…”

Mas a fala verdadeiramente desoladora vem logo antes do fim, quando Potter diz, “Eu nunca quis que qualquer um de vocês morresse por mim.”

Isso é o que torna a história ressoar tão profundamente. Não importa a vitória, ou se ele sobrevive, este é um personagem que sabemos que sobreviveu porque outros morreram. Ele pode querer que fosse de outra forma, mas até mesmo o seu mundo não tem esse tipo de magia.”

Siga-nos no Twitter para mais novidades: @Potterish.