J. K. Rowling

Processo acusando J.K. Rowling de plágio foi indeferido

Em 2009 a autora J.K. Rowling foi acusada de plágio e levada a tribunal pelos herdeiros de Adrian Jacobs, autor de uma pequena história publicada em 1987 chamada “Willy The Wizard” sobre um mago que frequenta uma escola de magia.

A família de Jacobs pedia uma indenização de £500 milhões porque, segundo eles, Jo teria roubado muitas ideias de um manuscrito de “Willy” enviado à autora na época em que ela trabalhava na Anistia Internacional. Contudo, hoje a Scholastic, editora norte-americana da série, anunciou que o processo foi indeferido.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A Editora Scholastic está muito satisfeita em informar que a Juiza Scheindlin decidiu descartar, o mais cedo possível, o processo contra a Scholastic em nome de Adrian Jacobs. O veloz descarte dá respaldo à nossa posição de que o caso era desprovido de mérito e que comparar “Willy the Wizard” à série Harry Potter era absurdo.

A Juiza Scheindlin concordou claramente, declarando: “…o contraste entre o conceito total e clima dos trabalhos é tão completo que qualquer comparação séria dos dois é difícil de crer.” A Scholastic continuará a se defender vigorosamente de quaisquer reivindicações levianas contestando a originalidade de Harry Potter e a brilhante imaginação de sua autora, J.K. Rowling.

Dá-se fim a mais um processo contra a autora, que repetidamente é acusada de plágio sem, contudo, apresentarem provas concretas e convincentes que respaldem tal afirmação. Sua mente e sua obra continuam, enfim, tendo seus devidos méritos.