Artigos

Vingando o fandom

Você, que imaginava praticar a arte de ser fã nos lugares mais diversos da internet e achava que ninguém prestava atenção no que você dizia, não poderia estar mais enganado! Os fãs são “seguidos” e muitas vezes “vingados” por alguns…

Há muitas pessoas de olho no fandom e como ele se manifesta na rede e nosso colunista é um deles. Igor Silva faz uma análise bem-humorada das fics e de outras criações da imaginação dos fãs em sua nova coluna. Leia e solte o verbo!

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


por Igor Silva

Eu não preciso ficar aqui explanando somente sobre a dispersão do fandom potteriano após o fim da série. Também seria desnecessário listar os sentimentos que regem os que ainda permanecem “fiéis” ao nosso bruxinho herói, como também aos que foram buscar em outras páginas uma forma de sanar o vazio deixado após o lançamento do sétimo e derradeiro livro.

De modo geral, o universo potteriano se aquece nos dois, três meses que antecedem ao lançamento de um filme, e esfria logo depois. O próprio Potterish é exemplo disso: foi-se o tempo em que as colunas batiam a marca de 200 comentários, as teorias pipocavam e todo mundo ficava eufórico a cada fala de Rowling que deixasse vazar, um pouquinho que seja, uma forma de desvendar mistérios que rondavam a história.

Os próprios comentaristas freqüentes parecem ter desaparecido: um dia a “adultescência” passa e chega a hora de assumir compromissos que, muitas vezes, não nos oferece brechas para dedicar a algo que fez parte de nossas vidas durante muito tempo. Com isso, quem sai perdendo é o próprio fandom, privado de opiniões inteligentes e filosóficas, que vão além daquelas letras impressas nos livros.

Restam, portanto, algumas manifestações esparsas, e quase sempre bastante vazias de propósito e sentido, que constituem um último suspiro do bruxo mais influente de que se tem registro. São as fics.

O que são fics?
Fan-fictions, fics, ou simplesmente ficções feitas por fãs são histórias baseadas em universo moldado por alguém, onde personagens vivem situações inusitadas, engraçadas e até inseridas no contexto na qual se dá a trama (spin-offs e continuações não-oficiais). A mais famosa de que se tem registro é a “James Potter”, escrita por George Norman Lippert, da qual já falei aqui. No Brasil, se destaca também Harry Potter & a Maldição do Espelho (Aurores de Rowling) e Harry Potter & o Mistério do Véu Negro/Harry Potter & a Fonte Lunar (Obliviadores).

Shipers
Eu, particularmente, não gosto de fics. Primeiramente pelo fato de achar que só quem escreveu o livro possui uma idéia exata da personalidade de determinados personagens e seus respectivos destinos. O que se vê, na maioria das vezes, são ações não condizentes com a história vivida por alguém (e nesse caso, também por algo), falas deslocadas e motes que fogem totalmente ao planejado pelo (a) criador (a).

São os casos dos shipers, por exemplo, pessoas que utilizam os personagens para criar casais homossexuais. Longe de mim qualquer preconceito, mas confesso que estou cansado dos Harry/Draco, Hermione/Gina, Severo/Tiago e dos absurdos Harry/Dumbledore Harry/Lupin e até mesmo Harry/Edward (sim, eu já vi isso).

Não bastassem as histórias fúteis baseadas nesses relacionamentos no mínimo incomuns, os erros gramaticais, ortográficos e as passagens que se contradizem cansam qualquer fã com cérebro.

Eu pensava fazer parte de uma minoria até há alguns meses. Foi quando conheci M. Souza, uma ripadora que compõe o “Seguidores da Mãe Munda”, um dos grupos que se desprenderam dos já famosos “Vingadores do Fandom”.

O que é ripagem?
Basicamente, é escolher algumas fics, na grande maioria das vezes sobre Harry Potter ou Crepúsculo. Nas palavras da Mãe Munda, uma personagem de ripagem, “comenta-se as coisas mais estranhas, sem noção, sem coerência, que vão contra todas as leis da física-química-biologia-matemática-português-inglês entre outras, para TENTAR colocar um pouco de bom senso nas cabeças dos autores.”
(Ahh, e só pra constar, o nome da Mãe Munda veio da tia de M. Souza, que diz ter sido namorada de JK. Antes que você pergunte, é sim o JK presidente. #pasmem)

Na maioria das vezes, os ripadores se escondem por detrás de figuras (conhecidas ou inventadas) devido ao ódio que costumam causar nos ficwriters. Sim, porque, convenhamos, não deve ser muito legal ver alguém espinafrando algo que você escreveu, por mais sem noção que você seja. Algo que poderia ser considerado um cyber bullying em outras circunstâncias, mas essa situação que não cabe a mim analisar.

Como são feitas as ripagens?
As fics são jogadas no Word e as passagens sem noção são comentadas pelos personagens, geralmente com muito humor.
Por que as ripagens são pertinentes?

Essa é uma questão longe de um consenso, tendo em vista o ódio que os ripadores despertam nos ficwriters (que, certamente, o acham insuportáveis). Mas é fato que as fics ripadas, por mais no sense que sejam, ganham uma denotação humorística que as deixam mais atrativas. De uma forma bastante tortuosa, as ripagens mantém vivo o espírito dos potterianos (nesse caso, os mais radicais), que preza o que leu e que não quer ver a sua história favorita denegrida.

Pessoalmente, julgo essas fics como algo sem nada a acrescentar. Uns dias atrás cheguei a ler o cúmulo da futilidade: na história, Harry ligava para Edward, o que seria até digerível, se o bruxo não quisesse o vampiro como um escravo para a realização de suas fantasias sado masoquistas. É, acredite, essa nem era a pior.

Uma breve conversa com os ripadores
Na tentativa de entender esse fenômeno, conversei com os dois grupos de ripagem que conheci primeiro. Uma espécie de breve entrevista que acho que se encaixaria perfeitamente nessa coluna como uma forma de elucidar o movimento.

Seguidores da Mãe Munda

Como surgiu?
Nós já conhecíamos o Fan-fiction, a Munda foi quem nos apresentou, pra dizer a verdade. Mas estávamos chateados de tanto achar fics ruins, já que se acha de tudo um pouco naquele site. Em um belo dia, a Munda descobriu Vingadores do Fandom.

Gostamos muito do humor negro e da forma radical com que eles tratavam os erros absurdos de português cometidos pelos famosos “ficwriterstrashes” e pensamos: “Quem sabe podemos fazer isso também?”, então a nossa chefe atormentou todo mundo até conseguir as quatro ripadoras originais chamadas carinhosamente de macumbeiras.

Há quanto tempo fazem isso?
Há 10 meses começamos a postar, mas já tínhamos planos há bem mais tempo.

O grupo tem quantos participantes?
Além das quatro macumbeiras iniciais (Mãe Munda, Mãe Dinga, Vovó Mafalda e Gareth da Encruzilhada), foram adicionados outros, como John Queiroz, que é um dos mais novos e já se tornou um dos principais.

Contamos também com a colaboração de alguns “Espíritos Boca-Sujas” que são os fãs que nos mandam algumas sugestões de ripagens (a Mary, a Pomba Gira, Lady GaGá e o Jairinho são os colaboradores mais assíduos). Ainda temos os mascotes, se é que podemos chamá-los assim: Fulano, o gato, Michael Jackson, o frango preto, e Teobaldo, o amigo imaginário do John.

Quais são as maiores pérolas?
Primeiramente, não se assuste com os títulos das ripagens: eles são estranhos, mas tem muita coisa a ver com o trash. Uma das primeiras fics que ripamos: The Bother’s Sur*** (da original ‘The Brother’s Secret) que foi a maior ripagem já postada no Fanfiction, com mais de 65 mil palavras, Tortura S*** (da original ‘Brinquedo S***’), Edward Sai do Armário (da original ‘Família de Aluguel’), Volta pro inferno (da original ‘Volta pra mim’) as ripagens que fizemos em conjunto com os Vingadores e o NBRIP, entre outras.

(Observação: Os asteriscos foram usados para suprimir termos que talvez não fossem muito educativos aos pré-adolescentes e crianças que acessam o site. Para você ver até que nível o fã potteriano pode descer…).

A maior parte das melhores delas é do fandom de Harry Potter e Twilight.

Vingadores do Fandom

Como surgiu?
Depois que as Malvinas (um grupo extinto, porém um dos pioneiros nas ripagens) foram atacadas por um grupo terrorista (q) e pararam de postar, o Chefe começou a recrutar interessados para continuar vingando o fandom fazendo jus ao legado delas.

Por que vocês continuam fazendo isso?
Porque é satisfação pessoal para nós. Divertimo-nos sozinhos enquanto ripamos e quando lemos as ripagens uns dos outros. Sem contar que não dá pra deixar pérolas como Duduardo soltas por aí, né? (risos)

E as melhores pérolas?
Dentre as que mais fazem sucesso e as que mais gostamos de ripar, podemos destacar Seriado Burguês, Melação Magnética, Todo mundo Dormiens, Piratas do Trash, Diário de uma Diva… Nossa, são muitas.
Uma breve conclusão e um apelo desse que vos escreve.

Existem maneiras mais criativas e mais úteis de divulgar e manifestar o amor que mantemos pela série criada por J. K. Rowling. E, com toda certeza, a criação de fics com esse conteúdo pervertido não é uma delas.

Com a aproximação das datas em que os filmes derradeiros poderão ser assistidos por nós, o mínimo que se espera é que deixemos uma boa imagem para as próximas gerações de potterianos que, esperamos, serão muitas.

Talvez, quando as pessoas deixassem de invadir a internet com os seus textos nada pertinentes, não precisemos de grupos de ripadores para dizerem que estão ridículos.

Se você quiser entrar em contato com esses ripadores e ler as suas ripagens, aqui estão os contatos.
Vingadores – Twitter: @sigaosvdf
Orkut: http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=8798697248352746748
Devianart: http://www.vingadoresdofandom.deviantart.com
Formspring.me: http://www.formspring.me/pergunteaosvdf

Seguidores de Mãe Munda – Twitter: @_semu
Orkut: http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=1951038628323363302

Bem, é isso, espero que tenham gostado e até a próxima.

Igor Silva sempre foi um vigilante de fandom e se infiltrou no Ish para isso.