As Relíquias da Morte ︎◆ Filmes e peças ︎◆ Parte 1

SBT exibe entrevista com o trio durante o Domingo Legal

Hoje foi ao ar, durante o programa Domingo Legal do canal brasileiro SBT, uma entrevista conduzida pelo jornalista Marcelo Torres com o trio de atores Daniel Radcliffe, Emma Watson e Rupert Grint durante o press junket de Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 1 em Londres, Inglaterra.

Para quem não pode assistir ao vivo, o vídeo da matéria se encontra abaixo:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Além disso, o repórter publicou um novo post em seu blog para comentar sobre os bastidores da entrevista. Ele cita a paixão dos fãs, discorre sobre o trio e revela um pedido feito ao diretor David Yates.

Sei que uma das maiores reivindicação dos fãs é que, no último filme, em julho, os produtores finalmente façam uma premiere com todos os atores no Brasil (afinal, já foram a tantos países menores e com menos fãs). Repassei ao diretor David Yates esse pedido dos brasileiros e ele prometeu (está gravado) que vai pensar no assunto. Daqui a uns seis meses, a gente saberá se der certo.

Confiram o texto na íntegra em notícia completa, ou no blog do Marcelo.

HARRY POTTER E AS RELÍQUIAS DA MORTE
Os bastidores das entrevistas

SBT ~ Marcelo Torres
21 de novembro de 2010

Poucos grupos de fãs são tão unidos e dedicados quanto os dos livros e filmes de Harry Potter. Talvez porque não se apaixonem apenas por um ator ou uma atriz e, sim, pelo “mundo mágico” criado por J. K. Rowling. Pode-se notar até uma identidade cultural entre esses milhões de “pottermaníacos” ao redor do mundo. Há gírias que só eles entendem e que ultrapassam as fronteiras do idioma.

Recebo aqui no blog e também no twitter (reporternomundo) muitas mensagens de fãs dizendo que dariam tudo para estar aqui na Inglaterra, mais perto do “mundo” de Harry Potter. Mas mesmo os fãs britânicos desejariam estar mais próximos, por um motivo: os livros e filmes retratam um país que não existe mais. A locomotiva movida a vapor, as aves mensageiras, os castelos transformados em fortaleza, é verdade que tudo isso faz parte da história britânica, mas daquela aura dos filmes só restaram os prédios. Com o folclore de fora, jovens do Brasil e da Inglaterra são incrivelmente parecidos, e todos eles clamam pela “mágica” que a vida real, cheia de certezas científicas da nossa era do conhecimento, já não traz com tanta abundância.

O trio principal de Harry Potter, apesar da pouca idade, parece ter a medida exata do que representa. Daniel Radcliffe, Emma Watson e Rupert Grint sabem que uma geração inteira cresceu vidrada nas histórias que eles estrelavam e falam sobre o trabalho com uma maturidade que muitos atores mais velhos não conseguiriam ter. Foram treinados para a fama. E dão a impressão de passar incólumes pela avalanche.

As gravações das duas partes de “Harry Potter e as Relíquias da Morte” (a primeira chegou agora aos cinemas e a segunda estará disponível em julho de 2011) já foram praticamente concluídas e, assim, Emma pôde cortar o cabelo, mostrando que se prepara para mudar de imagem e disputar outros papeis no cinema. O clima é parecido entre o resto do elenco.

Este é o quarto lançamento de Harry Potter que cubro para o SBT. Tive alguns preciosos minutos com cada ator num hotel em Londres. Como sempre, foram educadíssimos e atenciosos. Radcliffe é o mais falante e elétrico. Dá a impressão de estar sempre pensando no projeto seguinte. Emma é tão doce quanto Hermione, só que mais profunda e inteligente. Rupert é um cara bacana, de longe o mais “relax” do trio, que parece estar sempre de bem com a vida.

Outra vez, ensinei um pouquinho de português a cada ator. E a pronúncia foi melhor do que eu esperava. A Radcliffe coube fazer uma propagandinha das entrevistas: “eu tô no Domingo Legal”. Emma mandou “um beijo, Brasil” e Rupert: “olá, amigos do Brasil”. Sei que uma das maiores reivindicação dos fãs é que, no último filme, em julho, os produtores finalmente façam uma premiere com todos os atores no Brasil (afinal, já foram a tantos países menores e com menos fãs). Repassei ao diretor David Yates esse pedido dos brasileiros e ele prometeu (está gravado) que vai pensar no assunto. Daqui a uns seis meses, a gente saberá se der certo. Um grande abraço a todos os que acompanharam as entrevistas! E vamos nos falando.