Não categorizado

Grint: “sempre serei o ruivo de Harry Potter”

Às vésperas do aguardado e temido lançamento de Relíquias da Morte, uma série de entrevistas vêm saindo em diferentes canais de comunicação. As entrevistas focam principalmente no destino dos jovens atores após o fim da saga e é sobre isso que Rupert – nosso eterno Rony – fala ao Daily Telegraph.[meio-2]Rupert revela que vem recusando novos papéis:

“No momento estou realmente aproveitando um pouco de liberdade. Porque o trabalho tem sido uma constante desde que tínhamos 11 anos, então é bom desacelerar e apenas relaxar um pouco.”

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ele afirma porém que não pretende parar de atuar:

“Mas acho que no primeiro filme de Harry Potter, percebi que era algo que eu gostaria de fazer mais. É um lugar tão legal de se estar, em um set há tantos tipos de pessoas juntas.
“É realmente divertido, eu adoro isso.”

Ele também é perguntado sobre o preconceito das pessoas quanto a outros papeis que ele vier a interpretar, uma vez que Rupert está “marcado” como Rony Weasley:

“Mas sera algo que sempre estará comigo, sempre serei o ruivo de Harry Potter,” ele ri.
“Mas estou muito bem com isso. Estou orgulhoso por ser parte disso, sério.”

A entrevista na íntegra, você lê traduzida em Notícia Completa.

Vida depois de Harry Potter para Rupert Grint
The Daily Telegraph
11 de novembro de 2010
Tradução: Marina Anderi

DANIEL Radcliffe tem um reconhecimento instantâneo. Emma Watson tem um alto visual fashion. Mas Rupert Grint tem o fator legal.

Com a série de filmes Harry Potter chegando ao fim, uma coisa tornou-se abundantemente clara: o trio principal de bruxos-em-treinamento do filme não poderia ter sido escolhido mais perfeitamente.

Daniel Radcliffe, abençoem-no, poderia falar as patas traseiras de um hipogrifo e soltá-las, e tem a maturidade do tipo além-de-seu-tempo de quem quer interpretou Harry e teve de sobreviver a ser o centro das atenções.

Emma Watson, mais conhecida como Hermione, é a esperta e é mais provável que seja vista estudando na universidade Ivy League, na América, do que na grande tela nos próximos anos. Oh, e ela é bonita o suficiente para ter liderado uma campanha da Burberry.
Então há Rupert Grint, que como o melhor amigo de Harry, Rony Weasley, sempre foi o humor e o coração da franquia Potter. E em contraste com suas co-estrelas, o Grint da vida real pareceria bem mais com a de um jovem normal de 22 anos não muito resmungão, mas não a ponto de oferecer um discurso quando três palavras serão suficientes.

Ele é um esquisitão – um esquisitão ruivo com um caminhão de sorvete, nada menos e isso é porque, onde suas co-estrelas são, bem, estrelas, Grint é uma figura culta.

“Eu tenho uma vida bem normal, sério,” diz Grint, quando perguntado se ser o cara de Harry Potter é bom para uma fácil entrada pela segurança do aeroporto.

“A única vez em que me sinto realmente famoso é quando sou reconhecido ou em premiéres. Mas meu dia a dia é bem chato.”
Agora mesmo, Grint está aproveitando o tédio. A cena final do último filme, Harry Potter e as Relíquias da Morte Parte II, foi filmada em junho e desde então ele vem recusando qualquer oferta com os olhos preguiçosos de um homem que não sente a necessidade de trabalhar.

“Há muitos papeis do tipo ‘melhor amigo’” ele ri dos roteiros que chegam até ele, “Mas eu não estou realmente a fim. No momento estou realmente aproveitando um pouco de liberdade. Porque o trabalho tem sido um constante desde que tínhamos 11 anos, então é bom desacelerar e apenas relaxar um pouco.”

Os dois filmes de Relíquias da Morte – a Parte 1 estreia semana que vem enquanto a Parte 2 só sai em 14 de julho do próximo ano, não foram fáceis para Grint e suas co-estrelas, também.

Os filmes foram filmados um atrás do outro e continuaram com a veia negra da película anterior, O Enigma do Príncipe.
“A estrutura inteira realmente mudou,” diz Grint sobre As Relíquias da Morte. “Nos filmes anteriores você sempre foi você está com Harry, então vamos pegar o trem e ir para a escola.

“Desta vez nós deixamos a escola e estamos em uma jornada, acampando em lugares aleatórios. É bastante movimentado também, está sempre bem tenso porque podemos ser atacados a qualquer momento. E enquanto Rony estava bobo e apaixonadinho na última vez, desta vez ele pegou o medo.

“Particularmente na primeira parte, Rony está bastante paranoico e não confia realmente em ninguém e está meio enciumado de Harry e Hermione. Ele dá umas birrinhas,” Grint ri alto, “o que foi muito divertido.” Tanta acumulação significou que até Grint não estava imune quando as lágrimas começaram a fluir depois do “corta” ser chamado pela última vez.

“Foi bem estranho, na verdade, porque todos nós sabíamos que estava chegando,” ele relembra.

“Eu realmente não sabia como me sentiria até o ultimo dia. Foi na verdade muito triste.

“Todos nós choramos e tivemos um pequeno momento. Eu acho que Harry Potter ocorreu por um grande tempo, metades de nossas vidas, e para tudo desmoronar em apenas uma última tomada foi uma grande coisa, sério.

“Nós tivemos um churrasco e eu trouxe meu carrinho de sorvetes para baixo e servi sorvetes.
“Definitivamente sentirei falta disso.”
Ele admite que pisar do casulo de Potter para o mundo real é um pensamento bastante assustador, “mas estou meio que me acostumando com isso.”
Grint nunca pensou sobre onde estaria se Potter não tivesse cruzado o seu caminho.

“Hm, acho que eu estaria na universidade, mas eu não sei. Na verdade, é um pensamento assustador!” mas agora ele sabe que é um ator para a vida.

“Sempre tive interesse em drama, mesmo na escola eu sempre me envolvi com peças e amava atuar. Mas eu na verdade não percebi que era um trabalho naquela época, eu só pensava que era algo que as pessoas faziam e não eram pagas por isso,” ele ri.
“Mas acho que no primeiro filme de Harry Potter, percebi que era algo que eu gostaria de fazer mais. É um lugar tão legal de se estar, em um set há tantos tipos de pessoas juntas.

“É realmente divertido, eu adoro isso.”

Radcliffe, alguns anos atrás, chocou mundo com a realização de que ele tinha crescido quando apareceu nu no palco em Equus.
Grint não acredita que precise mostrar-se por complete para mudar os preconceitos das pessoas.

“Não acho que isso um dia será um movimento consciente,” ele diz. “Eu fiz dois outros filmes, e em um deles eu tive uma pequena, ah, tipo de cena de sexo.” Apenas uma pequena cena de sexo?

“Sim,” ele ri. “Mas até isso não foi realmente uma decisão consciente, feita para surpreender as pessoas. É apenas uma coisa meio que natural, sério, porque acho que faz parte de nossa idade…

“Qualquer coisa comparada a Harry Potter provavelmente será bastante surpreendente, suponho.

“Porque crescemos (nas telas), porque começamos quando tínhamos 11 anos, as pessoas ainda acham que temos 11 anos.

“Mas sera algo que sempre estará comigo, sempre serei o ruivo de Harry Potter,” ele ri.

“Mas estou muito bem com isso. Estou orgulhoso por ser parte disso, sério.”

Essa pequena cena de sexo estava em Cherrybomb, um filme da Belfast sobre três adolescentes em um final de semana selvagem.
Sai em DVD aqui nesse mês.

O próximo papel adulto de Grint é em Wild Target, um filme policial britânico sobre um assassino profissional (Bill Nighy), seu nervoso, estagiário maconheiro (Grint) e seu alvo problemático (Emily Blunt).

Grint teve mais do estilo britânico de atuar de Nighy para aprender com os outros veteranos em seus dias de Potter.
Quem era o seu favorito?

“Provavelemente Julie Walters, sou realmente completamente apaixonado por ela, ele diz. Fiz outro filme com ela, Driving Lessons, anos e anos e anos atrás. Então temos sido muito próximos, suponho.

“Mas é muito maravilhoso quando você vê a lista de pessoas. Suponho que aprendi muito ao longo dos anos.”
Tendo passado a maioria de sua adolescência no set de Potter, não é surpresa que fazer os filmes tenha sido mais como uma escola para Grint do que sua instituição real de aprendizagem. Na verdade, quando perguntado se ele sente que perdeu algumas de suas experiências de infância, escola é a única coisa que ele aponta…

“Você perde socialmente, eu suponho,” ele explica. “Toda vez que eu voltava para fazer provas na escola eu estava um pouco deslocado, porque eu só ia para lá uma vez por ano, na verdade.

“Mas essa é a única coisa que consigo realmente pensar. Foi a experiência mais maravilhosa, ganhei muito com ela. Então não me arrependo de nada.”

Então, desde o término de Potter, ele tem tomado alguns feriados e estado em alguns festivais. Mas o que o levará de volta aos olhos do público? Talvez, conforme proposto, interpretando Eddie a Águia em uma biografia sobre o olímpico, um tanto inútil, saltador de esqui britânico?

Ele já começou a treinar com a intenção de parecer que pode esquiar tão mal quanto Eddie esquiava? Grint ri.
“Sim, bem, eu nunca esquiei em minha vida, então provavelmente será muito fácil.”