As Relíquias da Morte ︎◆ Parte 1

Lembrol: Faltam 20 dias para Relíquias da Morte parte 1!

Hermione se levantou de repente e os pedaços de peixe assado escorregaram do seu prato de estanho para o chão.

Você pode conzinhar amanhã, Rony, você pode procurar os ingredientes e tentar transformá-los em alguma coisa que valha a pena comer, e eu vou me sentar aqui e fazer cara feia e reclamar e você vai poder ver…

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

– Calem a boca! – exclamou Harry, levantando-se de um salto e erguento as mãos. – Calem a boca!

Hermione fez cara de indignação.

Como você pode apoiar o Rony? Ele quase nunca cozinha…

– Hermione, fica quieta, estou ouvindo alguém!

Harry ficou muito atento, as mãos ainda erguidas, alertando-os para não falarem. Então, sobrepondo-se à correnteza do rio escuro ao lado, ele tornou a ouvir vozes. Virou-se para o bisbilhoscópio. Não se mexera.

– Você lançou o Abaffiato sobre nós, certo? – sussurrou ele para Hermione.

– Lancei tudo – sussurrou ela em resposta –, o Abaffiato, o Anti-trouxas e o da Desilusão, todos. Sejam quem for, não devem poder nos ver nem ouvir.

Passos arrastando e atritando no solo, somados ao ruído de gravetos e pedras deslocados, indicavam que várias pessoas desciam a encosta íngreme a arborizada em direção ao estreito barranco do rio, onde os garotos tinham armado a barraca. Eles apanharam as varinhas e aguardaram. Os feitiços que tinham lançado ao redor deviam bastar na escuridão quase total para protegê-los da curiosidade dos trouxas e dos bruxos normais. Se esses fossem Comensais da Morte, então, pela primeira vez, suas defesas iriam ser testadas pelas Artes das Trevas.

Harry Potter e as Relíquias da Morte,
Capítulo Quinze – A vingança do duende, páginas 232 e 233.