Livros

Feliz aniversário, Dobby!

Quando Dobby surgiu pela primeira vez nos livros, em Harry Potter e a Câmara Secreta, nós e Harry tínhamos todos os motivos para desconfiar das intenções do elfo. “Como assim Harry não deve voltar para Hogwarts? Mas ele roubou as cartas que eram para Harry! E ainda encrencou a situação com os Dursleys…!”

E quando Dobby quase matou Harry ao controlar magicamente um balaço durante uma partida de quadribol, muita gente deve ter confirmado que aquele elfo era louco e, definitivamente, a melhor escolha era ficar bem longe dele.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Mas Dobby mostrava-se preocupado. Mesmo com nossas desconfianças (e aqui incluo o Harry), dava para notar que se tratava de alguém sofrido, visivelmente fazendo algo contra a vontade de um “superior”, mas que precisava alertar Harry, mesmo que isto significasse ter que passar os dedos a ferro depois, em castigo.

É belo notar que o que pesou para Dobby na decisão de contar a Harry o que estava em curso, na tentativa de protegê-lo, foi o seu caráter, que é único. Ele não podia permanecer passivo na Mansão Malfoy, sabendo que coisas horríveis aconteceriam em Hogwarts e que aquele “Potter”, para quem ele não devia satisfações, estava correndo perigo.

Pouco importava que o seu senhor era quem estava planejando aqueles feitos, Dobby não compactuava com os pensamentos dos Malfoy e ele tinha que impedi-los. E assim o fez, ganhando a confiança de Harry (e a nossa); tornando-se livre!

O elfo de enorme coração, que não tem medo de meias como os demais. O elfo a quem Harry e todos nós devemos um tanto de gratidão; Dobby, o elfo que quis se libertar e tornou-se, verdadeiramente, livre. Por tudo que você é e por tudo que você representa, Dobby, parabéns!