fbpx
Artigos

Por que ser Fã?

Diversas coisas podem despertar o Fã que existe dentro de nós. No ramo dos esportes e das artes, principalmente. Mas o que é esse ser chamado Fã? Por que ele dedica tempo de sua vida às fantasias que admira e experimenta uma espécie de luto quando a série/o livro/a carreira acabam? A última nova colunista a estrear no Potterish, Mariana Elesbão Vieira, faz nesta coluna uma consistente defesa dos fãs, não só de Harry Potter, mas de tudo que desperta em nós um sentimento de vida, nossa imaginação e a vontade de ler e escrever mais.

Por Mariana Elesbão Vieira

Todos nós temos algo que faz com que nossos olhos brilhem, não é? Algo que nos é caro, e pelo qual criamos um amor profundo, sem motivo e nem causa. Muitas vezes as raízes profundas da admiração sem limites crescem de um dia para o outro, e nem mesmo nós, as vítimas dessa loucura repentina nos damos conta de que já não somos mais nós mesmos, já que agora temos o coração ocupado por algo que consideramos eterno.

Mas o que pode motivar uma pessoa a se tornar fã de algo? Por que os objetos de admiração dos fãs causam o êxtase pelas causas mais banais?

Futebol, livros, filmes, celebridades, personalidades. Talvez logo de cara não fique explícita a grande semelhança entre esses itens, mas ela existe, e muitas vezes em grande escala. As coisas mais improváveis podem se tornar objeto do fanatismo surreal de pessoas de todos os tipos. Atualmente não são poucas as que tem o poder de se infiltrar nas mentes das pessoas, influenciando suas vontades e escolhas, chegando a alterar o rumo de algumas vidas. E é esse gostar surpreendente que faz de uma pessoa um Fã.

Um ótimo exemplo de algo que capturou inúmeros fãs é a Fantasia. Em jogos, filmes, livros e etc., esse gênero tem encantado crianças, jovens e adultos, sem exceção. Para especificar melhor, podemos aprofundar essa análise e nos certificaremos de que em todos os ramos da Fantasia sempre houve uma grande influência dos livros. Quantas histórias não nos cativaram, nos prenderam até a última página, algumas até mesmo modificando uma parte de nós? Desde os primórdios da história da Fantasia, os livros têm nos marcado com seus atrativos mais irresistíveis e nos guiado em um caminho de tijolos amarelos onde nos perdemos e nos encontramos seguidamente.

O Senhor dos Anéis, As Crônicas de Nárnia, Fronteiras do Universo, As Crônicas de Spiderwick… Poderíamos citar diversos sucessos da Literatura Fantástica, mas um nome se destaca entre eles, um fenômeno mundial de sucesso crescente, Harry Potter. Em 1990, quando nossa querida Jô estava em um trem para Londres e Harry apareceu completamente formado em sua cabeça, ela não sabia, mas estava criando também um tesouro para milhões de fãs que lhe seriam eternamente gratos.

Desde 1997, quando Harry Potter e a Pedra Filosofal foi publicado, Jô tem alcançado cada canto do Planeta, cada cabeça desejosa de novas aventuras e principalmente, cada coração ansioso por pulsar mais forte por algo merecedor de sua admiração. Milhões de sites, blogs, fóruns e comunidades dedicados ao bruxo número 1, encontros de fãs em todo o mundo, inúmeras Fancfitions que dão a liberdade para o fã alterar a saga ao seu bel prazer, tudo isso nos faz chegar à questão: O que fez com que o menino magricela e com óculos de aros redondos tocasse tão profundamente em nossos corações? O que exatamente fez as mais variadas pessoas se tornarem fãs de Harry Potter?

Para os céticos, os seres guiados somente pela razão, ou seja, os anti-fantasia, nós que nos deixamos seduzir pelas tocantes e divertidas histórias vindas do cérebro incrivelmente exuberante e Hermionesco de Jô, somos tolos e vazios. Como você pode gostar de algo que não existe? Como isso te fará crescer? Questionam os que se chamam de realistas.

O que eles não sabem é que talvez Harry e companhia não existam pra eles, mas para os fãs? É claro que existem. Harry, Rony, Hermione, cada personagem criada pela rainha da Fantasia são muito reais dentro do coração de cada fã. Quando Jô criou o mundo de Harry, ela queria ter seu próprio mundo, um lugar para fugir quando a realidade mostrasse suas garras afiadas. Ela conseguiu, criou uma válvula de escape perfeita, pois não só ela, mas cada fã foge com Harry a cada página lida. Ao abrir qualquer livro da série nos esquecemos do mundo chato e normal, nos esquecemos de quem somos, nos esquecemos que uma hora teremos que voltar para a dura realidade do cotidiano sem quadribol, Gemilidades Weasley ou As Esquisitonas.

Mas os fãs de HP ultrapassaram os limites da compreensão de muitos e fizeram mais do que fugir através da magia. Depois de mergulhar nas apaixonantes linhas de Jô, nós fechamos o livro, mas não abandonamos Harry completamente. Depois de, contra nossa vontade, colocarmos o mundo criado por Jô na prateleira, mesmo depois disso, sempre temos certeza de que Harry continua lá, vivo e real dentro dos nossos corações. Todo fã de HP sabe, saímos para o mundo real, mas com o coração repleto de nossos amigos bruxos, e levamos para a nossa vida tudo o que aprendemos nas aulas em Hogwarts ou até mesmo na Ordem da Fênix e na Toca – a coragem e o altruísmo de Harry, a diversão e as trapalhadas de Rony, a inteligência e a astúcia de Hermione.

Cada pessoa tem seus próprios motivos para se tornar um fã de Harry Potter, mas sabemos que temos alguns desses motivos em comum: A fome de algo insubstituível para tampar aquele buraco em nosso peito, um lugar para onde possamos fugir, amigos que talvez não sejam reais, mas que nos dão muitos motivos para que nos espelhemos neles.

Então aqui fica minha deixa pra você se questionar: Por que é fã de Harry Potter?

Mariana Elesbão Vieira tem o coração repleto da magia de Jô.