Não categorizado

Emma Watson em novo artigo da Vanity Fair

A edição do mês de junho da revista Vanity Fair terá uma matéria sobre Emma Watson, que interpreta Hermione Granger nos filmes Harry Potter. O site da revista liberou hoje uma prévia na forma de artigo, onde Emma comenta sobre a Universidade Brown e sua semelhança com a Hermione.

Para ser honesta, eu era ela. Eu era muito sagaz. Era muito ansiosa por agradar e ser boa. E eu sempre fui do tipo mandão.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Sobre sua primeira semana como caloura e a primeira festa da fraternidade à qual compareceu, a jovem desabafou:

Foi simplesmente horrível. Eu tava tipo, ‘devo estar louca. Por que estou fazendo isso?’ Senti como se tivesse entrado nos filmes adolescentes norte-americanos. Peguei os copos vermelhos. Fiquei tipo ‘Uau, eles realmente bebem nesses copos’.

Por outro lado, o site Music Rooms divulgou novos trechos da matéria, nos quais Watson fala acerca de sua estreita relação com Daniel Radcliffe e Rupert Grint.

Leia a tradução do material já divulgado na extensão da notícia, e confira também o vídeo dos bastidores com a atriz em vários vestidos se preparando para a sessão de fotos, aqui, e duas novas fotos através desse link.

Vamos aguardar para que a matéria completa com a jovem caia na internet para que possamos trazê-la completamente traduzida a vocês. Continuem ligados no Ish!

EMMA WATSON
Vanity Fair ~ Evgenia Peretz
Junho de 2010
Tradução: Daniel Mählmann

Era uma vez, duas garotinhas que viviam na Inglaterra. Ambas eram gentis, cheias de energia e ansiosas por agradar, e tinham o hábito encantador de dizer às pessoas o que fazer. Uma delas se chamava Hermione Granger, e, a outra, Emma Watson.

“Para ser honesta, eu era ela”, diz Watson. “Eu era muito sagaz. Era muito ansiosa por agradar e ser boa. E eu sempre fui do tipo mandão.”

Aos 11 anos de idade, Hermione era tão brilhante e vitoriosa que foi selecionada para ir a Hogwarts, uma famosa escola de magia na série Harry Potter de JK Rowling. Aos nove anos, Emma era tão brilhante e vitoriosa que foi escolhida entre dez mil garotas para interpretar Hermione no primeiro filme Harry Potter, Harry Potter e a Pedra Filosofal. Dez anos – e uma franquia cinematográfica de $5.4 bilhões – depois, Watson era a atriz mais bem paga de Hollywood e se viu em um lugar ainda mais estranho do que qualquer coisa que Rowling poderia ter sonhado: a Universidade Brown.

“Foi simplesmente horrível”, ela lembra de sua primeira semana como caloura. “Eu estava tipo, ‘devo estar louca. Por que estou fazendo isso?'”

E como foi com todas as festas e tal? Ela nervosamente compareceu à sua primeira festa da fraternidade, esperando poder entrar no clima das coisas.

“Senti como se tivesse entrado nos filmes adolescentes norte-americanos. Peguei os copos vermelhos. Fiquei tipo ‘Uau, eles realmente bebem nesses copos'”.

Então ela começou a conhecer as pessoas: uma colega de quarto que não tinha interesse em Harry Potter (ufa!), alguns remadores realmente simpáticos e, eventualmente, um Rafael Cebrián, que é um cantor de rock e ator na Espanha, e que acabou se tornando seu namorado. Depois das aulas de compras, ela se radicou em história das mulheres europeias, ‘Metamorfoses’ de Publius Ovídio Naso, e atuação.

“Eu acho que, na verdade, sou a pior aluna da classe”, diz Watson animada.

Depois de passar a juventude como superstar, Watson finalmente descobriu como é ser uma garota normal e livre – e ela nunca foi tão feliz.

“Eu estava com medo antes de vir para Brown – de não poder ter os dois [uma carreira e vida normal]. As pessoas poderiam pensar que eu não mereço ter os dois. [Eu tinha medo de que eles pensassem], você é famosa. Você pode comprar bolsas à vontade. Por que você merece ser normal?”

E no caso deles não terem notado, ela também é o lindo rosto novo da Burberry. Como seu diretor de criação, Christopher Bailey, diz, “Ela é a única garota que eu conheço que consegue ter duas reação completamente diferentes das pessoas ‘Own’e ‘Uau!’?”

EMMA WATSON
Uma aluna bruxa mista

Vanity Fair ~ Music Rooms
Junho de 2010
Tradução: Daniel Mählmann

Sobre Daniel:
“No fim do dia, quando algo vai mal, ele é o unico a quem eu recorro e converso sobre isso. Algumas das conversas mais interessantes que tive foram com ele. Daniel é incrivelmente articulado… mas não é austero, então isso me deixa louca. Eu vou cambaleando para o trailer de manhã, e ele estará jogando algo simplesmente muito barulhento e pesado.”

Sobre abraçá-lo no segundo filme:

“Você não pode imaginar o quão embaraçoso pode ser, para uma menina de 9 anos, até mesmo apenas abraçar um garoto. Você simplesmente não faz isso.”

Sobre Rupert:
“Eu vou até o Rupert quando preciso me animar. Ele é simplesmente diversão.”