A Pedra Filosofal ︎◆ As Relíquias da Morte ︎◆ Filmes e peças

RdM: Warwick Davis fala sobre divisão e despedida da série

O Mugglenet noticiou que, em entrevista para o SciFiNow, o ator Warwick Davis, intérprete do professor Flitwick desde Pedra Filosofal e do duende Grampo, em Relíquias da Morte, falou sobre como conseguiu o seu papel em Harry Potter e sobre a divisão do capítulo final.

[meio-2]

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Quando soube que eles estavam fazendo testes, eu sabia que tinha que participar daquilo. Então o agente disse que eu tinha uma audição, me preparei bem para ela, fui e fiz. Foi uma ótima experiência, me diverti muito e fui embora com uma boa sensação”.

Na entrevista, Warwick revelou que encerrá a filmagem de suas cenas em junho e falou o que pensa sobre a divisão da adaptação de “Harry Potter e as Relíquias da Morte” em dois filmes:

“Eu acho que foi bom, porque às vezes eu penso que poderíamos ter feito isso com as outras histórias, que eram tão ricas. Fico decepcionado porque, às vezes, minhas partes da história foram deixadas de fora, mas penso que o leitor fica decepcionado algumas vezes. Então acho que, realmente, foi uma boa decisão, já que nós poderemos fazer justiça ao que é o último livro e ao que é o fim”.

Leia a tradução completa do trecho da entrevista sobre Harry Potter na extensão. “Harry Potter e as Relíquias da Morte – parte I”, estréia em 19 de novembro deste ano. A parte II, em 15 de julho de 2011.

WARWICK DAVIS
Entrevista: Warwick Davis

SciFiNow – James Rundle
09 de abril de 2010
Tradução: Flávio Jr. e Sylvia Souza

– Então, Harry Potter. Como você se envolveu com os filmes, foi através de uma audição?
Foi uma audição, sim. Eu fiquei atento por um momento, porque eu tinha lido o livro e pensei que poderia ser realmente bom. E quando eu soube que eles estavam fazendo testes, eu sabia que tinha que participar daquilo. Então o agente disse que eu tinha uma audição, eu me preparei bem para ela, fui e fiz. Foi uma ótima experiência, eu me diverti muito e fui embora com uma boa sensação. Mas às vezes, em uma audição, isto não é bem um bom sinal. Isso já me aconteceu algumas vezes e pensei “Sim, sim! Eu me dei bem!” e na verdade não me dei. E em outras vezes eu estava um pouco ansioso e consegui o papel. Então passaram-se três semanas, e eu ouvi que tinha conseguido dois papéis. Mas naquela hora, mal sabia eu que isso se transformaria em parte da minha vida por 10 anos. Isso foi em 2000, agora é 2010, e ainda estou fazendo isto. Continuarei fazendo até Junho.

– Como você se sente em relação à decisão de dividirem o final em dois filmes?
Eu acho que foi bom, porque às vezes eu penso que poderíamos ter feito isso com as outras histórias, que eram tão ricas. Eu não estou desapontado, realmente… bem, fico decepcionado porque, às vezes, minhas partes da história foram deixadas de fora… mas eu acho que o leitor fica decepcionado algumas vezes. Eles lêem em suas mentes, e nos últimos livros certamente, você começa a pensar “Oh, imagino como isso se ficará no filme, aposto que será fantástico” e então, quando certas cenas não acabaram no filme, havia uma possível decepção. Então eu acho que, realmente, foi uma boa decisão, já que nós poderemos fazer justiça ao que é o último livro e ao que é o fim, se você pegar a saga inteira, o fim precisa justificar, você entende? Eu não lembro de um momento nos filmes, no entanto, em que soubéssemos que iríamos até o fim. Eu apenas me lembro que, toda vez que estávamos terminando, nos perguntávamos se iríamos voltar. Se eu soubesse dez anos atrás, seria maravilhoso. Porque, como ator, você realmente vive dia após dia, você vive por cada trabalho que faz. E meu modo de realmente manter os pés no chão é dizer que não há uma regra para um produtor me manter em um filme. Então eu pego esse trabalho que estou fazendo e o saboreio, porque pode também ser meu último. Porque, quem sabe? Isto mantém você centrado, o mantém humilde, e faz com que você faça o melhor que pode, porque você sabe que só é tão bom quanto seu último filme. Val Kilmer disse isso uma vez, na verdade, quando estava decepcionado porque um de seus filmes não se saiu bem.