As Relíquias da Morte ︎◆ Filmes e peças ︎◆ Parte 1 ︎◆ Parte 2

[Atualizado] Matthew Lewis e Chris Rankin falam sobre RdM!

O SS entrevistou os atores Matthew Lewis (Neville) e Chris Rankin (Percy) durante o Leeds Film Festival. Os atores falaram sobre as mudanças em seus personagens durante a série e como Relíquias da Morte difere dos filmes anteriores, além de dizerem que resposta esperam dos fãs após verem os filmes.

[meio-2]Sobre a diferença do tom de “Harry Potter e as Relíquias da Morte” em relação aos filmes anteriores, Lewis diz:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“[O trio] não está na escola, para começar e, literalmente, é como uma batalha épica. É algo parecido com “O Senhor dos Anéis”. E David Yates [diretor], assim como Steve Kloves [roteirista] não se intimidaram com o material mais pesado deste volume, que estava no livro. É bastante sangrento e muito real. Mas tem sido legal e não é parecido com nada que eu tenha feito antes. Então eu acho que vocês vão gostar”.

E, quando perguntado se acha que os fãs irão gostar dos filmes, acrescenta:

“Definitivamente. Dividir a história em duas partes significa que nós podemos fazer muita coisa para os filmes. Muito mais coisas que podemos fazer nas lutas, o que será realmente legal. Algumas delas são espetaculares. Eu não acho que haverá muitas pessoas deixando o cinema tristes. Está realmente bom”.

Já Chris Rankin, quando perguntado se suas expectativas para filmar “Relíquias da Morte” foram maiores do que para os filmes anteriores, respondeu:

“Acho que todos nós sabemos que foram, obviamente por ser um grande livro e por serem os dois últimos filmes. Nós temos gastado muito tempo discutindo detalhadamente como tal coisa será feita e onde as cenas chegarão emocional e fisicamente. Há muito mais cuidado sendo dedicado a este para ter a certeza de que ele será tão perfeito quanto pode ser, eu acho”.

Atualização: A tradução completa da extensa entrevista já pode ser conferida em notícia completa! Continue no Ish para mais novidades.

MATTHEW LEWIS
Entrevista: Matthew Lewis

SnitchSeeker – GinaAlanaSmith
15 de abril de 2010
Tradução: Daniel Mählmann e André Almeida

Ok, então o que você aprendeu em termos de atuação em Relíquias da Morte comparado ao seu personagem nos seis filmes anteriores?
Ahh, essa é uma boa. Bem, Neville realmente, realmente aparece bastante esse ano. Enquanto Harry, Rony e Hermione estão fora da escola, Neville assumiu a posição de Harry na liderança da Armada de Dumbledore. É, literalmente, todo o treinamento pelo qual Neville passou durante os dois últimos anos. Tudo leva até este ponto. Neville assumiu um papel muito maior neste ano e foi muito divertido de fazer. Eu tenho muito mais cenas para fazer, e cenas mais difíceis também. Não apenas físicamente. Algumas das coisas dos sábios dublês e a fisicalidade de algumas das maiores sequências de ação são difíceis, mas eu gostei disso, mas gostei também das coisas mais sutis. Porque no final do dia, por mais divertido que tudo isso tenha sido, também há a ideia de que há uma guerra acontecendo e as pessoas estão morrendo. Neville, embora esteja com muita adrenalina – ele simplesmente é muito imprudente neste filme -, não está imune à morte e destruição ao seu redor. Boa parte dele está realmente triste. Temos visto a destruição desses sets, essas construções que estão conosco desde o início. O Salão Principal, os pátios e tudo mais, todos eles estão ficando em ruínas. Portanto, tem sido bastante interessante como ator ter tudo isso a bordo. É muito bom que esse seja o último filme também, porque isso realmente ajuda quando você está atuando, em pensar ‘Esse é o último’e literalmente tudo culmina a esse ponto. Mas tem sido legal. Há um monte de caras adultos nesse filme… David Thewlis e Alan Rickman. Eles aparecem bastante por lá, então tem sido ótimo trabalhar com eles novamente.

Então como você se sente com os sets sendo destruídos ao seu redor, isso mudou seus limites como ator em relação ao personagem devido ao ambiente e tudo mais?
Bem, sim, definitivamente. Uma coisa com a qual nós sempre fomos realmente sortudos em Harry Potter não é apenas porque a história é tão bem estabelecida e vívida, mas também porque temos um departamento de figurino surpreendente, e a cenografia, os adereços, tudo o coloca dentro daquele mundo. Então como ator não há muita coisa que você precise fazer, na verdade. Mas esse ano com tudo sendo destruído e tudo caindo ao nosso redor, nós tivemos que desenvolver a nossa atuação. Mas tem sido bom. Os caras fizeram um ótimo trabalho novamente. Toda a equipe trabalhou muito e isso só nos ajuda na linha de frente da atuação.

Como tem sido filmar Relíquias da Morte Parte 2 por lá? O quão diferente tem sido comparado aos seis filmes anteriores?
É muito longo. Tem sido muito longo e tem havido muito mais cenas externas esse ano. Muito mais cenas de locações que nós não tivemos nos últimos filmes. Mas eu curti bastante isso, curti bastante a mudança de sair e fazer as coisas. Mas não é como nos anos anteriores apenas em termos da quantidade de mudança de rumo que nós temos tentado conseguir esse ano. Os anteriores tiveram uma fórmula: você vai para a escola, coisas ruins acontecem e ele Harry descobre e trabalha em um fim bom e agradável. Mas esse ano tudo é completamente diferente. Para começar, eles [o trio] não estão na escola e, literalmente, é uma batalha tão épica. É como algo do Senhor dos Aneis. E também, David [Yates, diretor] e Steve Kloves [roteirista] não têm se afastado das coisas mais importantes do livro. É cruel e sangrento e muito real. Mas foi legal e é diferente de tudo que já vi antes. Portanto acho que vocês vão gostar.

Você tem trabalhado com várias pessoas ótimas ao longo dos anos, obviamente. Com qual dos seus colegas de cena você diria que aprendeu mais em termos de atuação e como?
Alan Rickman, acho que tenho que dizer, sem dúvida. O homem é um camaleão. É tão assim (estala os dedos). Ele pode estar no almoço um dia todo vestido como Snape e ser o homem mais legal do mundo, cheio de sorrisos. Então assim que ele entra no set é simplesmente como: Snape (estala os dedos novamente). É maravilhoso apenas assisti-lo fazer isso. É muito especial. Mesmo que Snape tenha esse jeito muito lento de dizer as coisas e, normalmente, você acharia que ficaria muito chato fazer isso de novo e de novo, mas com ele há apenas algo bastante magnético e hipnótico sobre isso. Você pensa, ‘Wow, isso é incrível’. Na verdade, eu fui e falei com ele semana passada, porque ele está encerrando suas cenas agora e terminando tudo. Então apenas fui e tive uma conversa com ele e disse que foi incrível trabalhar com ele todo esse tempo. Ele falou tipo, ‘Entre, entre’. Entrei no trailer dele e nós tivemos essa conversa. Ele me deu algumas dicas para o futuro, dizendo ‘O que acha disso? Você já pensou em fazer teatro?’ Foi simplesmente muito legal sentar e analisar seu cérebro por alguns minutos. Eu gostei disso.

Você sente que o seu personagem ficou de fora de alguma maneira porque ele não teve um interesse amoroso na tela?
Não. Não, eu assisto a todos eles fazendo isso. Alfie tinha um beijo com Bonnie. Dan já teve um e Rupert também, e eu só pensava que não queria fazer isso. É realmente estressante. Você os vê antes de filmarem e é simplesmente enervante. Não acho que gostaria muito disso. Também, acho que o Neville tem muito medo de meninas, de qualquer forma. Portanto, é provavelmente melhor que ele não tenha que beijar.

O que você espera que os fãs tenham quando terminarem de ver os dois filmes?
Encerramento, com certeza. É algo que nós não tentamos antes. Estamos tentando manter o máximo de coisas possível do livro no filme. Queremos atingir todos os pontos fazendo dele um bom filme que todos gostem – vamos nos manter presos ao livro e vamos dizer, ‘Olha, algumas coisas são bastante angustiantes, algumas são muito sérias. Pessoas morrem e você vai ter que…’ Não é revestido de açúcar. Está bem ali, é bastante cru e todas as atuações tiveram que acelerar. Eu acho que eles têm feito nesse sentido e acho que os fãs vão gostar. Tom Felton continua usando a palavra ‘épico’ e eu acho que vou usá-la novamente. Sim, é assim que vai ser.

Então você acha que os fãs vão gostar deles?
Definitivamente eu acho que os fãs vão realmente apreciá-los. Dividí-los em duas partes significa que nós pudemos enriquecer muito os filmes. Isso significa que há muito mais o que fazer nas lutas, o que vai ser muito legal. Algumas dessas partes são espetaculares. Eu não acho que terá muita gente infeliz saindo do cinema. Será muito legal.

Falando em fãs, obviamente você está no Twitter. Posso perguntar porque vc entrou no Twitter e que recompensa vc alcançou por ter contato com seus fãs pelo Twitter?
Por que eu entrei no Twitter? Eu entrei no Twitter por uma razão muito estúpida, por sinal …porque eu e meu amigo Chris Cousis, que vive por aqui em algum lugar. Nós decidimos fazer uma pequena competição pra ver quem ganharia o maior número de seguidores no Twitter. Ele é um estudante em Leeds. Nós achamos que seria bem engraçado. Então o fizemos. Nós entramos lá e então de repente meio que decolou, sério! Porque eu nunca disse em nenhum site ou pra nenhum fã que eu estaria lá. Foi algo que fiz com meus colegas. A gente tinha que juntar seguidores do jeito que pudéssemos. Eu não tinha a permissão de usar a conexão com Harry Potter para conseguir seguidores. Não consigo me lembrar quem foi o primeiro a espalhar, mas alguém o fez, e aí foi um efeito dominó. Então assim surgiu “A conta Twiter de Matt Lewis”. É uma razão bizarra por estar lá, mas é legal. Eu gosto. Eu tou tentando não entrar muito por lá nessas semanas mais recentes porque eu só falo besteira. Ninguém merece ouvir o que acontece dentro da minha cabeça o tempo todo… algumas delas são absolutamente sem sentido.

Eu acho que todos falam bobagens por lá.
Eu não sei, é muito estranho. É uma coisa muito arrogante dizer às pessoas que você está pensando o tempo todo. O que você está fazendo. Eu não acho que alguém realmente se importa, mas também é uma boa maneira de deixar as pessoas saberem sobre as coisas, como os projetos que você poderia estar fazendo. Porque, obviamente, se você está seguindo as pessoas, você está interessado nesse tipo de coisa.

Você segue o Stephen Fry?
Sigo.

Eu acho que TODO MUNDO segue o Stephen Fry.
Eu acho que é uma coisa universal, você tem que seguí-lo. É como Tom no MySpace. Todo mundo tem que estar seguindo Stephen Fry. É muito legal, e eu gosto Há algumas verdadeiras jóias que você encontra. Como Ross Noble, por exemplo. O homem fala bobagens como absolutos absurdos, mas, obviamente, sua comédia e algumas coisas que ele fala são inestimáveis. Então, eu me divirto bastante com isso. Se as pessoas apreciam as bobagens das quais eu falo, então está bom. Eu sou muito fanático por esportes também. Eu dedico muito do que eu falo aos esportes… Eu provavelmente deveria reduzir isso também. A coisa é que eu me tornei um bom amigo de pessoas do Rhinos, e eu sempre fico apavorado de que eles digam “Oh, você está falando bobagens” e me peguem nisso. Então eu amadureci um pouco.

Eu acho que tudo que eu aprendi sobre esporte neste ano, eu aprendi lendo seus tweets no Twitter.
Oh, que bom… Bem, pelo menos estamos atingindo as pessoas. Isso é bom.

Você mencionou isso para algum dos seus colegas de cena? E quais são as opiniões deles sobre isso?
Tom Felton estava nele [Twitter] muito antes de mim. Ele tem um enorme número de seguidores – causa de seu material musical, também. E ele é um sujeito extremamente bonito, por isso ele tem muitos seguidores. E ele é engraçado – eu gosto de algumas das coisas com as quais ele sai – e sempre tem boas fotos. Então eu converso com Tom sobre isso. Eu sei que James e Oliver Phelps estão lá agora, também. É uma coisa estranha, porque nós nos comunicamos por lá e dizemos: “Oh, o que estão fazendo? Blá, blá, blá.” e depois nunca falamos sobre isso no trabalho. Isso nunca vira assunto. Então é uma coisa estranha que separamos. Mas sim, há alguns de nós lá.

O que vocês pensam sobre o filme chegar ao fim?
Vai ser triste, obviamente. Algumas pessoas tiveram seus últimos dias e disse adeus a elas. Vamos vê-las novamente na estréia, ou algo assim, mas está chegando ao fim. Nós já conhecemos esta época do ano, quando acontece o encerramento, nós sempre soubemos que nós estaríamos de volta. Portanto, é muito estranho pensar que não voltaremos. Mas, ao mesmo tempo estou muito animado. Um pouco ambivalente, realmente, porque, obviamente, estou muito nervoso com isso de ir para o mundo real. Eu estive nisso por muito tempo e agora eu tenho que arranjar outro emprego. No entanto, eu detesto testes. Eu odeio eles. Eu gostaria que alguém me desse um emprego e eu apenas fosse trabalhar – apenas com a fé de que farei um bom trabalho.

Você pode ser comentarista de esportes!
Ah, não, eles nunca me aceitariam. Eu sou muito teimoso. Mas sim, eu estou muito nervoso, mas ao mesmo tempo estou animado para sair de lá e fazer mais algumas coisas.

Então, falando da próxima etapa, você tem mais alguma coisa em mente no momento? Alguma oportunidade de atuar?
Matt: Não, já que nós realmente não sabemos quando teremos terminado. Eu acho que é por volta de junho, mas deveria ser abril. Mas não, nada planejado ainda. Mas espero que depois possa fazer outra coisa. Atuar é tudo que eu já fiz desde que eu tinha cinco anos. É tudo que eu queria fazer. Então só vou fazer o meu melhor e ver onde vamos.

Se você pudesse mandar qualquer mensagem para os fãs de HP que seguem os filmes há 10 anos, qual seria ela?
Matt: Um massivo obrigado, sério! Eu acho que nós temos os melhores fãs do mundo e eu reamente falo sério! Foi como eu te disse mais cedo, quando estamos em premieres e afins, eles estão sempre lá. Eles ficam enfileirados por horas e alguns deles passaram a noie lá – e estava chovendo. Nós descemos do carro e ela caiu. A chuva foi horrenda. A gente ficou tipo ‘oh, que desgraça. Eu tou coberto de chuva. Rah, rah, rah.’ Nós ficamos nela por meia hora e eles estavam lá por horas. Então esses fãs realmente são os melhores. Eles são adoráveis, num todo. Eu nunca conheci um fã que eu pudesse dizer “Oh, esse não era legal”. Todos são simplesmente adoráveis e todo mundo tem uma grande apreciação pelos livros, pelos filmes. Eu apenas espero que nos próximos dois nós possamos retribuir sua fidelidade por todos esses anos com uma dupla de filmes muito bons.

Eu tenho certeza que vocês irão.
Muito obrigado.

CHRIS RANKIN
Entrevista: Chris Rankin

SnitchSeeker – GinaAlanaSmith
15 de abril de 2010
Tradução: Sylvia Souza, Otávio Bergamini e Letícia Vitória

A primeira pergunta que tenho que fazer a você é ‘O cenário do ministério mudou desde Ordem da Fênix, especialmente desde que Voldemort o destruiu?’
Mudou até certo ponto, sim, menos por Voldemort tê-lo destruído, mais por causa da mudança no Ministério da Magia. Eu não quero dizer muito mais do que isso porque fiquei surpreso outro dia quando estive lá. É meio assustador, na verdade. Ainda é basicamente o mesmo edifício, mas há pedacinhos dele que estão bem, bem diferentes e estão bonitos.

Você acha que ele retrata o clima do mundo mágico Relíquias da Morte?
Sim, definitivamente! Há uma concordância bem óbvia com períodos do mundo real, e também há muito sentimento Leninista do comunismo neste lugar. É bem assustador. Bem… não sei, obviamente não consigo decrever o que há lá sem me meter em confusão por conta disso. Se você quisesse descrevê-lo usando uma cor, ela seria “cinza”. Entende o que quero dizer? É meio cinza e tal, tem um clima “Faça o que mandei!”.

O que você sente que aprendeu em termos de atuação com Relíquias da Morte, especialmente porque seu personagem mudou tanto desde os filmes anteriores?
Tem sido interessante neste porque Percy está tão diferente, tão mudado neste filme. Tem sido uma provação para mim e um teste para minha experiência porque estou tentando buscar aquele nível de culpa, então remorso, e depois raiva mais para o fim do filme, e tentando mesclar todos sutilmente sem parecer forçado. Tem sido bastante difícil tentar seguir essa jornada emocional – especialmente porque tudo está sendo filmado fora de ordem: aqui, lá, acolá e em todo lugar. Acertar o tom perfeito é um bom desafio para mim. Mas não é tão desafiador quanto acertar o tamanho certo da minha barba rala, tenho que lhe dizer.

Então obviamente há muitos atores novos envolvidos em Relíquias da Morte, você teve a chance de trabalhar com pessoas como Rhys Ifans ou Ciaran Hinds?
Eu trabalhei com Ciaran, não com Rhys Ifans, infelizmente. Embora eu tenha trabalhado com alguém… e nem tenho certeza se posso te dizer quem é essa pessoa. Eu te digo quem é e se não estiver lá, você pode cortar a pergunta. O cara que interpreta Dave Coaches em Gavin e Stacey interpreta Reg Cattermole (Steffan Rhodri) no filme e eu nunca estive tão fascinado com uma estrela na minha vida. Fiquei muito fascinado quando descobri isso. Mas foi legal ver todos esses personagens novos aparecendo no último filme. Então é bom ver algum novo talento. Eu não achei que havia atores ainda na Grã-Bretanha que não tivéssemos “usado”, para ser sincero, então é muito legal.

Como você se sente ao filmar em Hogwarts em Relíquias da Morte, Parte Dois, comparado aos seis filmes anteriores?
É estranho porque é uma Hogwarts muito diferente. Obviamente está sob o comando de Snape, e então sob o comando de McGonagall mais pro fim. Há uma enorme batalha, então há muito dela em ruínas. Um pedaço dela foi queimado no filme e na vida real. É muito estranho. E é bem esquisito estar lá e não ser um estudante, eu acho. É um estranho BEM estranho – sendo que Percy não é um monitor.

Suas expectativas para filmar Relíquias da Morte foram maiores do que para filmar os outros seis filmes, considerando uma escala?
Acho que todos nós sabemos que foram, obviamente por ser um grande livro e por serem os dois últimos filmes, tinha que ser quase melhor que todos os outros juntos, realmente, para finalizar com algo estrondoso. Acho que devemos fazer jus a isso, tenho que dizer. Com certeza muito mais está sendo esperado de nossa performance. Nós temos gastado muito tempo discutindo detalhadamente como tal coisa será feita e onde as cenas chegarão emocional e fisicamente. Há muito mais cuidado sendo dedicado a este para ter a certeza de que ele será tão perfeito quanto pode ser, eu acho.

Você trabalhou com vários ótimos atores ao longo desses anos. Com qual de suas estrelas favoritas você aprendeu mais, em termos de aprimorar suas habilidades de atuação?
Oooh, eu não sei. Todos são tão bons. Acho que eu diria provavelmente Julie Walters, simplesmente porque ela é uma atriz muito versátil. Não há nada que ela não possa fazer. Ela faz drama. Ela faz comédia. Ela está constantemente trazendo algo novo a cada tomada, e ela faz isso tão perfeitamente. Apenas sua maneira de pensar é incrível. Sim, eu diria provavelmente Julie. Mais por ter sido com ela que eu provavelmente passei mais tempo trabalhando de todos os nomes, por assim dizer.

Qual você acha que será a reação dos fãs ao verem os dois últimos filmes, em relação à expectativa dos fãs para como os filmes deveriam ser?
É difícil dizer por que eu sei de coisas que eles não sabem. Eu acho que eles ficarão surpresos – espero que agradavelmente surpresos. Eu acho que nessa fase, como estes são o sétimo e oitavo filmes, os fãs entendem e apreciam que certas coisas devem ficar e certas coisas devem ir. Algumas coisas devem ser mexidas de modo que funcionem sem fazer com que o filme tenha 17 horas de duração. Então, eu acho que seremos perdoados pelos pequenos detalhes que podem não estar exatamente como estão nos livros. Mas eles são feitos pela razão certa, e eles funcionam muito, muito bem na verdade. Havia algumas coisas quando eu li o roteiro, eu fiquei como, “Bem, isso não está no livro” e “Isso é diferente” e “Isto é isto”. Mas depois, quando você analisa, ‘Oh, ok, eu vejo por que eles fizeram isso’ e não é exatamente a mesma coisa, mas para um filme funciona. No livro você pensaria: “Bem, isso é ridículo! Por que eles tirariam aquilo e colocariam isso no lugar?” Mas é exatamente a mesma coisa feita de um jeito diferente para ficar melhor como enredo de um filme ao invés de um livro, se você entende o que eu quero dizer. Então acho que eles ficarão felizes.

Falando de fãs, posso perguntar por que você se juntou ao Twitter e o que você ganhou dele em relação a manter mais contato com os fãs?
Minha colega da universidade tinha. Ela me dizia, “Você tem que se juntar ao Twitter, colega. É incrível.” Eu só entrei primeiramente para ver o que outras pessoas estavam fazendo. Depois eu mesmo comecei a twittar um pouco mais, principalmente entre meus amigos. Então alguém o achou e eu acordei em uma manhã com 300 pessoas me seguindo. Depois de uma semana eu tinha por volta de 12500 seguidores. Eu fiquei, “Whoa, espere um minuto. Eu não entendo muito de Twitter.” Eu serei o primeiro a admitir que comecei a colocar meus pensamentos aleatórios sobre a vida e as pessoas pareceram apreciá-los. Eu não o domino completamente, mas acho que é uma coisa muito poderosa e incrível. Mas eu entrei por um capricho. Eu não entrei pensando que seria bom para minha publicidade. Entrei por que queria saber o que o Stephen Fry estava fazendo.

Acho que todos seguem Stephen Fry.
Acho que basicamente o mundo todo segue. Eu gosto disse agora. Agora estou pegando o jeito mais e mais. É uma coisa realmente poderosa.

Você já mencionou isso para algum dos outros atores e o que eles tem para dizer sobre isso?
Todos nós conhecemos o Twitter, obviamente. Há muitos de nós que usam o Twitter. Eu acho que todos o vemos como algo bom, o que ele é. É uma boa maneira de poder se comunicar diretamente com pessoas que amam esses filmes e os livros e, em alguns casos, provavelmente apenas amam os atores – como muitas das fãs de Tom, que eu acho que sim. É algo que todos nós conhecemos bem e é comentado no set de filmagens. Apesar de o Daniel Radcliffe não ter um twitter, ele sabe o que é e ele sabe quem tem contas no Twitter. Então sim, um dia chegarei lá.

O que você acha que vai sentir mais falta quando terminarem as filmagens?
O fato todo de que sempre esteve lá. Não tem nada pior para um ator do que saber que você não tem um trabalho para ir. Você não sabe da onde seus próximos pagamentos virão. Enquanto que com Potter, nos últimos dez anos nós sempre soubemos que estaria lá em algum momento, o que era ótimo para aqueles de nós que não estão tão atrás do topo da escala de pagamento ou do topo da escada da fama, através do qual você sabe que não vai precisar de outro emprego ou você é tão famoso que um trabalho aparece automaticamente. Tem sido um bom plano de apoio, mas também tem sido uma grande parte da minha vida. Eu imagino que o equivalente de ir para universidade para a maioria das pessoas de 18 anos, é o que Harry Potter foi para mim. Me fez crescer e me tornar independente. Quando eu comecei a fazer Harry Potter, eu nunca tinha ficado longe de casa antes Nunca tinha ficado em um hotel também, acho que não. Eu tive que fazer todas essas coisas sozinho e aprender como lidar com as coisas sem a minha mamãe estar por perto. Então, me ajudou a crescer muito mesmo. Eu acho que foi uma coisa muito boa para todos nós. Eu acho que iremos sentir falta. Mas sempre estará lá. Eles ainda irão mostrá-los daqui a 10 anos então sempre estará lá.

Você sente como se seu personagem tivesse perdido porque obviamente personagens como Percy e Neville não tem nenhum interesse amoroso? Você acha que seu personagem se perdeu por causa disso?
Eu tive um interesse amoroso. Eu tive a Penélope no segundo filme. Deus a abençoe! Quem eu acho que acabou indo para a Universidade de Leeds, pelo menos é o que lembro. Mas, Eu não acho que Percy precisava de um interesse amoroso, mesmo. Embora provavelmente não seja de jeito nenhum um par oficial, tem aquela coisa entre Neville e Luna. Eles meio que ficam bem juntos, enquanto você sabe que eles não são um casal, mas eles são um casal ao mesmo tempo porque todo mundo meio que formou um par. Mas não, eu não acho que Percy ter uma namorada no caminho teria adicionado nada de mais. Eu acho que isso faria dele mais bundão ainda.

Você tem idéia de quando você terminará com as filmagens?
Bem, era pra eu ter terminado em Março. Agora é Abril. Do que eu sei, eu ainda tenho algumas cenas para filmar que acabarão sendo feitas em Maio nesse ritmo. Veremos. Eu acho que pelo final de Maio, eu já terei terminado. Então, está em andamento. Quer dizer, nas últimas semanas temos filmado cenas muito, muito grandes. As pessoas estão terminando. Nós estamos dizendo adeus para pessoas que estiveram lá por dez anos. Há muito mais noção agora de que está chegando ao fim e que o tempo é limitado, o que é triste.

Se você pudesse dizer qualquer coisa para os fãs que tem seguido os filmes por dez anos o que seria?
“Muito bem!” Não, acho que os fãs de Harry Potter merecem um grande, grande obrigado. Eles não são apenas fãs de Harry Potter. São fãs de Senhos dos Anéis. Crepúsculo… não, provavelmente não são fãs de Crepúsculo. Na verdade, poucos fãs de Harry Potter são fãs de Crepúsculo. Eu retiro o que disse. Mas tem esse cruzamento de fãs de todo lugar que amaram Harry Potter e talvez comecem com Harry Potter e depois vão ler outras coisas. Eu acho que tem sido maravilhoso. Sempre será um ótimo lugar para as pessoas conhecerem pessoas e ter amizades. Lugares como o SnitchSeeker e o Leaky e o Mugglenet, e essas convenções e festivais de filmes. Eles unem as pessoas, e sem o Harry Potter eles nem existiriam. Então, foi uma coisa ótima.