Filmes e peças ︎◆ O Enigma do Príncipe

Roteiro EdP Parte 8: Tradução das cenas 85 ~ 96

Ficamos felizes em anunciar que a nossa oitava edição do periódico de traduções que visa trazer a versão completa em português do roteiro original de Harry Potter e o Enigma do Príncipe até o fim deste mês é, também, a primeira do ano de 2010!As cenas de hoje se iniciam com o Harry e a Hermione conversando nos corredores de Hogwarts sobre a importância do garoto e o papo que o Potter teve com o Sr. Weasley sobre o Armário Sumidouro. Durante a caminhada, eles encontram a Lilá dando o colar ao Rony, e a Hermione se retira rapidamente.

Em seguida, Harry mergulha novamente na penseira e vê o Tom Riddle de 16 anos em uma mesa com outros alunos e o Prof. Slughorn. Após todos saírem, Tom tenta obter alguma informação com o professor – e aqui há uma pequena diferença com relação à edição final do filme, porque, ao contrário da película, no roteiro o Tom não chega a mencionar qual é a magia rara à qual ele está se referindo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Depois de ver o fim estranho da lembrança, Harry volta ao escritório de Dumbledore e toma conhecimento de que essa é uma memória alterada. Aqui há uma pequena alteração no diálogo entre os dois sobre as intenções do diretor.

Harry tenta obter a lembrança verdadeira de Slughorn de uma maneira um tanto brusca e é repreendido pelo professor. Então, caminhando pelos corredores, começa a seguir uma figura até o sétimo andar, deparando-se com nada. Draco era essa pessoa e ele está na Sala Precisa. O garoto tenta fazer um novo teste com o Armário Sumidouro, desta vez usando um pássaro, mas não consegue realizá-lo corretamente e o animal retorna morto.

Em seguida, no Salão Comunal da Grifinória, vemos o Harry e a Hermione conversando sobre a melhor forma de se aproximar de Slughorn e o desaparecimento de Draco. As cenas de hoje terminam com o Harry subindo para o Dormitório Masculino e encontrando o Rony sob o efeito da poção do amor.

Vocês podem conferir a tradução dessas cenas na extensão – onde se encontram links das traduções anteriores -, ou fazer o seu download em pdf clicando aqui!

HARRY POTTER E O ENIGMA DO PRÍNCIPE
Roteiro original ~ Cenas 85 à 96

Warner Brothers
02 de janeiro de 2010
Tradução: Renata Grando
Revisão: Juliana Poli Bonil

Roteiro EdP Parte 1: Tradução das cenas 01 ~ 12
Roteiro EdP Parte 2: Tradução das cenas 13 ~ 24
Roteiro EdP Parte 3: Tradução das cenas 25 ~ 36
Roteiro EdP Parte 4: Tradução das cenas 37 ~ 48
Roteiro EdP Parte 5: Tradução das cenas 49 ~ 60
Roteiro EdP Parte 6: Tradução das cenas 61 ~ 72
Roteiro EdP Parte 7: Tradução das cenas 73 ~ 84

85. INTERIOR – CASTELO DE HOGWARTS – CORREDOR – MESMA HORA – DIA

Hermione lê O Profeta Diário enquanto caminha ao lado de Harry. A MANCHETE é SOMBRIA: “MAIS DESAPARECIMENTOS”.

HERMIONE
Você tem que se dar conta de quem
você é, Harry.

HARRY
(rispidamente)
Eu sei quem sou, Hermione,
está bem?
(franzindo a testa)
Desculpe.

HERMIONE
Então me diga o que o Arthur disse.

HARRY
Se Dumbledore está viajando por aí,
isso é novidade para o Ministério. Mas ouve essa:
aquela noite na Borgin & Burkes? Parece que Draco
estava olhando um Armário Sumidouro.

HERMIONE
O que Draco iria querer com um
Armário Sumidouro?

HARRY
Me diga você.

Hermione franze a testa, pensando sobre isso. Então:

HERMIONE
Ele parece diferente, você não
acha? Draco. Quase… doente

HARRY
Quem conseguiria ver a diferença?

RONY (FORA DE QUADRO)
Lilá, qual é. Claro que vou
usar.

Eles olham adiante, veem Rony e uma Lilá fazendo bico. Rony segura uma CORRENTE DE OURO onde está escrito “Meu Namorado”.

LILÁ BROWN
Esse é meu Uon-Uon.

HERMIONE
Com licença, eu tenho que ir vomitar.

Quando Hermione sai, Harry espia Gina, em uma alcova, sentada enquanto Dino ri com SIMAS. Olhando para cima, ela avista Harry, dá um fraco aceno. Ele acena de volta e nós –

CORTAMOS PARA:

86. INTERIOR – ESCRITÓRIO DE DUMBLEDORE – NOITE

O ROSTO DE HARRY MERGULHANDO NA ÁGUA, PERFURANDO A SUPERFÍCIE…

87. FLASHBACK – INTERIOR – ESCRITÓRIO DE SLUGHORN – NOITE – (ANOS ANTES)

Nós emergimos das BRASAS CREPITANTES de uma LAREIRA. Um Slughorn muito mais jovem, e mais bem vestido, prova um prato de ABACAXI CRISTALIZADO enquanto é bajulado por TOM RIDDLE AOS 16 ANOS e outros cinco MENINOS. A AMPULHETA DE CRISTAL está em uma mesa de canto.

TOM RIDDLE
Senhor, é verdade que a Professora
Merrythought está se aposentando?

Slughorn ri, sacode um dedo cheio de açúcar para Riddle.

SLUGHORN
Bem, Tom, eu não poderia contar se
soubesse, poderia? Eu devo dizer meu garoto,
gostaria de saber onde você consegue
suas informações. Você é mais informado que
metade dos funcionários.
(enquanto os outros garotos riem)
Falando nisso, obrigado pelo abacaxi –
você está certo, é meu preferido – como
sabia?

TOM RIDDLE
Intuição.

Riddle sorri, mas sua expressão sugere que intuição não teve nada a ver com isso. Slughorn ri nervosamente.

SLUGHORN
Nossa, olhem a hora.
É melhor irem garotos, ou o Professor
Dippett vai colocar todos nós em
detenção. Lestrange, Avery, não se esqueçam
de suas redações.

Enquanto os outros saem, Slughorn se ocupa com alguns papéis quando – Plim! – se vira e vê Riddle ainda lá, parado ao lado da ampulheta de cristal.

SLUGHORN
Rápido, Tom. Você não quer
ser pego fora da cama depois da hora…

TOM RIDDLE
Eu conheço um ou outro atalho secreto.

SLUGHORN
Sim, imagino que sim. Algo na sua
mente, Tom?

TOM RIDDLE
Sim, senhor. Eu não consegui pensar em
mais ninguém para procurar. Os outros
professores, bem, eles não são como
o senhor. Eles podem… entender errado.

SLUGHORN
Prossiga.

Riddle tira o ANEL de sua mão esquerda, começa a rodá-lo entre os dedos. O anel possui uma PEDRA NEGRA.

TOM RIDDLE
Eu estava na biblioteca outra noite,
na Seção Restrita, e li algo um pouco
incomum, sobre uma magia rara, e eu
pensei que talvez o senhor pudesse me ajudar…

De repente, uma DENSA NEBLINA envolve a sala e a VOZ DE SLUGHORN vira um GRITO AGUDO:

SLUGHORN
Eu não sei nada sobre essas
coisas e não contaria se soubesse!
Agora saia daqui de uma vez
por todas e nunca mais me deixe ouvir você
mencionando essas coisas novamente!

A NEBLINA fica mais espessa e …

88. INTERIOR – ESCRITÓRIO DE DUMBLEDORE – NOITE (PRESENTE)

… A CÂMERA EMERGE DA Penseira, que gira em redemoinho. Harry pisca, encontra Dumbledore o observando do outro lado da sala.

DUMBLEDORE
Confuso? Eu estaria surpreso se não estivesse.

HARRY
Eu não entendo – o que aconteceu?

DUMBLEDORE
Essa é talvez a memória mais importante
que já coletei. É também uma mentira.
(fora do olhar de Harry)
Essa memória foi alterada.
Nesse caso, pela pessoa a quem ela
pertence, nosso amigo, Professor Slughorn.

HARRY
Mas por que ele alteraria sua própria memória?

DUMBLEDORE
Suspeito que ele tenha vergonha dela.

HARRY
Por quê?

DUMBLEDORE
De fato. Por quê?

Dumbledore passa os dedos debilitados na Penseira.

DUMBLEDORE
Eu pedi que você se aproximasse do
Professor Slughorn e você o fez.
Agora eu quero que você o convença a divulgar
sua verdadeira memória. Do jeito que você puder.

HARRY
Eu não o conheço tão bem assim, senhor –

DUMBLEDORE
Você é o Eleito, Harry. E Horácio é,
no fundo, um homem decente.
Forneça as circunstâncias certas
e ele vai confessar seus pecados.

Dumbledore tira seus dedos da Penseira e os observa. No momento eles estão iridescentes, curados.

DUMBLEDORE
Essa memória é tudo, Harry.
Sem ela, estamos cegos. Sem ela,
deixamos o destino de nosso mundo
ao acaso. Você não tem escolha.
Você não pode falhar.

Enquanto Harry observa, o brilho úmido envolvendo a mão de Dumbledore evapora e seus dedos apodrecem novamente.

89. INTERIOR/EXTERIOR – SALA DE AULA DE SLUGHORN – DIA

Quando o SINAL TOCA, um grupo do PRIMEIRO ANO se levanta.

SLUGHORN
Não se esqueçam de estudar o capítulo sobre antídotos.
Eu vou envenenar um de vocês da próxima vez que nos vermos.
Estou brincando! Vão! Não esqueça seus peixes, Srta. Alys.

Quando os pequenos apressam-se para a saída, Harry é revelado esperando fora da sala. Ele entra. Por um momento, Slughorn apenas cantarola mexendo em sua pasta sem percebê-lo. Então…

SLUGHORN
Ah! Se não é o próprio Príncipe
das Poções! A que devo o prazer?

HARRY
Bem, senhor, eu estava pensando se
poderia lhe fazer uma pergunta.

SLUGHORN
Pergunte, meu querido garoto, pergunte!

HARRY
Bem, sabe? Eu estava outro dia na
Seção Restrita – na biblioteca –
e encontrei uma coisa bem estranha enquanto
lia. Algo sobre uma magia rara…

SLUGHORN
Sim? E o que era exatamente essa magia rara?

HARRY
Não tenho certeza… Isso é, não
me lembro do nome… exatamente. Mas
fiquei pensando… Há alguns tipos de
magia proibidas de serem ensinadas?

Slughorn olha para cima, observa Harry cuidadosamente.

SLUGHORN
Eu sou um professor de Poções, Harry,
talvez devesse perguntar isso ao Professor Snape.

HARRY
Sim, bem, nós não nos damos muito bem,
senhor. O que quero dizer é,
ele não é como o senhor. Ele pode… entender errado.

Reconhecimento cintila nos olhos de Slughorn. Um lampejo de medo.

SLUGHORN
Não pode haver luz sem as trevas.
E também é assim com a magia.
Eu mesmo tenho sempre me esforçado
para viver na luz. Eu sugiro que
você faça o mesmo.

Slughorn pega sua pasta, começa a sair.

HARRY
Você disse o mesmo a Tom Riddle, senhor?
Quando ele veio fazer perguntas.

Slughorn congela na porta, então se vira lentamente.

SLUGHORN
Dumbledore colocou você nisso.
Não foi? Não foi?

HARRY
Senhor –

Slughorn o silencia com uma mão erguida. Então, sem nenhuma palavra, ele se vai.

90. INTERIOR – CORREDOR – DIA (MOMENTOS DEPOIS)

Relâmpagos. Trovões fazem barulho. Chuva acerta as janelas. Pelos ferros da gaiola alguém se aproxima. Nós FOCALIZAMOS… ENCONTRAMOS Harry. Quando ele passa, FIXAMOS na gaiola. Um pássaro não está lá. Apenas o pássaro PRETO permanece. Quando o trovão soa, o pássaro AGITA suas penas.

Harry olha o corredor adjacente, vê uma FIGURA começar a subir a escadaria. Quando a SOMBRA SE ELEVA, Harry segue.

91. INTERIOR – CORREDOR – MESMA HORA – DIA

A figura continua a subir, SAI DO CAMPO DE VISÃO. Harry segue.

92. INTERIOR – CORREDOR – MESMA HORA – DIA

Harry, ainda seguindo. A FIGURA vira em um canto…

93. INTERIOR – CORREDOR DO SÉTIMO ANDAR

…ENTRA NO CAMPO DE VISÃO. É Draco. Ele para na metade do corredor, olha para trás pelo caminho em que veio. A SOMBRA DE HARRY se eleva na parede enquanto ele se aproxima. Draco observa calmamente, então se vira. FECHA OS OLHOS. E simplesmente… DESAPARECE.

Harry faz a curva. Para. Ninguém.

94. INTERIOR – SALA PRECISA – DIA (SEGUNDOS DEPOIS)

Draco caminha pelas prateleiras altas, remove uma tapeçaria e encontra o armário brilhante. Ele põe a mão no bolso e cuidadosamente retira o PÁSSARO BRANCO. Segurando-o em uma mão, ele o observa, gentilmente acariciando-o com a outra. Por um momento, ele parece perdido na atividade, perdido nos olhos negros como carvão do pássaro, em sua cabeça inclinada. Então, gentilmente, ele o coloca no armário e fecha a porta. Espera.

Quando ele abre o armário, o pássaro não está lá. Ele fecha o armário mais uma vez.

Uma pena branca e brilhante gruda em sua jaqueta. Ele a pega e a vira em direção a luz. É frágil, transparente. Ele parece brevemente perdido de novo, então pisca, vira de volta ao armário, lentamente o alcança e o abre. O pássaro está lá.

Morto.

95. INTERIOR – SALA COMUNAL – NOITE

Hermione faz sua lição enquanto Harry olha o Mapa do Maroto. Eles são os únicos presentes.

HERMIONE
Você realmente esperava que pudesse
apenas ir até o velho Slugue e pedir
que ele revelasse seu segredo mais profundo
e obscuro? Honestamente Harry,
às vezes eu acho que O Profeta Diário
deveria chamar você de O Tonto.

HARRY
Boa.

HERMIONE
(se levantando para sair)
Você vai ter que persuadi-lo
de alguma forma. E agora, sinto dizer,
você tornou isso muito mais difícil.

HARRY
Hermione. Eu acho que Malfoy
está saindo do castelo.

Hermione para, olha para Harry. Ele confirma com a cabeça.

HARRY
Eu vi. Algumas vezes…
Algumas vezes ele simplesmente
desaparece do Mapa.

HERMIONE
Isso… não é possível. Ninguém pode
sair do castelo nesses dias.
O Mapa está errado.

HARRY
O Mapa nunca está errado.

Hermione franze a testa, pensativa, então balança a cabeça e se vira.

96. INTERIOR – DORMITÓRIO MASCULINO (TORRE DA GRIFINÓRIA) – NOITE (MAIS TARDE)

Harry entra no dormitório escuro. Para. No chão, brilhando sob a luz da lua, está uma trilha de PAPEIS DE DOCES. Um pouco mais à frente, Rony está sentado de pijamas no peitoril da janela, uma CAIXA EM FORMA DE CORAÇÃO do seu lado.

RONY
É linda, não é? A lua.

HARRY
Divina. Fizemos um lanchinho noturno, não é?

RONY
Estava na sua cama. A caixa. Pensei em experimentar um…

HARRY
Ou vinte.

RONY
Não consigo parar de pensar nela, Harry.

HARRY
Sério? Honestamente, pensei que ela
estivesse começando a te irritar.

RONY
Ela nunca poderia me irritar. Eu acho… Acho que a amo.

HARRY
Como?

Rony balança a cabeça confirmando. Harry parece desnorteado.

HARRY
Bom… ótimo.

RONY
Você acha que ela sabe que eu existo?

HARRY
Caramba, espero que sim. Ela tem
agarrado você por três meses.

RONY
Agarrado? De quem você está falando?

HARRY
De quem você está falando?

RONY
Romilda, é claro. Romilda Vane.

Harry olha para Rony… então sorri.

HARRY
OK. Muito engraçado.

Ele se vira para sua cama, joga as cobertas e então… a caixa em forma de coração acerta sua cabeça.

HARRY
Por que diabos foi isso?

RONY
Não é uma piada! Estou apaixonado
por ela!

HARRY
OK! Está bem! Você está apaixonado
por ela! Você por acaso a conhece?

RONY
Não. Você pode me apresentar?

Harry para passando a mão na cabeça, observa Rony com um olhar estranho, então vê a caixa de doces a seus pés. Há um envelope. Pegando-o, ele tira um cartão: “Querido Harry. Tendo doces pensamentos sobre você. Feliz Dia dos Namorados. Romilda”. Ele segura uma risada.

HARRY
Rony, esses chocolates, eles estão –
Vamos. Vou te apresentar à
Romilda Vane.