Filmes e peças ︎◆ O Enigma do Príncipe

Roteiro EdP Parte 12: Tradução das cenas 133 ~ 142

Desde novembro, nós viemos trazendo a vocês 12 cenas traduzidas do roteiro original de Harry Potter e o Enigma do Príncipe todos os sábados. Hoje, trazemos a última edição desse periódico, que dessa vez conta com apenas 10 cenas porque o roteiro tem, no total, 142.[meio-2]Começamos o texto com o Harry vendo os Comensais próximos à cabana do Hagrid, e correndo em direção ao Snape, que manda os demais fugirem. Nesse instante, uma bola de fogo gigante sobe no ar, conjurada por Belatriz, queimando a casa do Hagrid.

Harry alcança Snape e tenta por três vezes acertá-lo com feitiços, mas o professor se defender. Quando chamado de covarde, Severo alerta para o garoto nunca mais associar seu nome com essa palavra. Belatriz aproveita para lançar um feitiço contra Harry, mas é repreendida por Snape. Nesse momento, Harry tenta lançar Sectumsempra, e é quando Snape finalmente revela que é o Príncipe Mestiço. Depois dele fugir com os demais, Harry vê o Hagrid saindo de sua cabana e perguntando sobre Dumbledore.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Então, no pátio, vemos todos ao redor do corpo de Dumbledore. Harry se ajoelha, arruma os óculos do diretor e chora, enquanto Gina se aproxima por trás e o consola; nesse momento, Rony percebe o que há entre eles. McGonagall levanta sua varinha, imitada pelos demais, e a Marca Negra some do céu.

Após algumas cenas desoladoras, vemos o Harry entrar no escritório de Dumbledore e contemplá-lo vazio. Aqui há uma maior ênfase sobre a varinha do diretor, até McGonagall entrar e tentar conversar, em vão, com o garoto. Em seguida, Harry aparece olhando ao redor no dormitório e no Salão Comunal, quase como se quisesse registrar tudo na memória.

Depois, temos a cena final, onde ele, Hermione, Rony e Gina estão no alto da torre de Astronomia. Aqui, além da Gina também estar presente, também há um diálogo maior. O fim, no entanto, é praticamente igual ao da película, com a Fawkes aparecendo com o seu lamento e voando em direção ao horizonte.

Vocês podem conferir a tradução dessas cenas na extensão – onde se encontram links das traduções anteriores -, ou fazer o seu download em pdf clicando aqui! No sábado que vem, nós traremos todas as edições do periódico unidas em um único arquivo para vocês.

HARRY POTTER E O ENIGMA DO PRÍNCIPE
Roteiro original ~ Cenas 133 à 142

Warner Brothers
30 de janeiro de 2010
Tradução: Virág Venekey
Revisão: Rodrigo César

Roteiro EdP Parte 1: Tradução das cenas 01 ~ 12
Roteiro EdP Parte 2: Tradução das cenas 13 ~ 24
Roteiro EdP Parte 3: Tradução das cenas 25 ~ 36
Roteiro EdP Parte 4: Tradução das cenas 37 ~ 48
Roteiro EdP Parte 5: Tradução das cenas 49 ~ 60
Roteiro EdP Parte 6: Tradução das cenas 61 ~ 72
Roteiro EdP Parte 7: Tradução das cenas 73 ~ 84
Roteiro EdP Parte 8: Tradução das cenas 85 ~ 96
Roteiro EdP Parte 9: Tradução das cenas 97 ~ 108
Roteiro EdP Parte 10: Tradução das cenas 109 ~ 120
Roteiro EdP Parte 11: Tradução das cenas 121 ~ 132

133. EXT. CASTELO DE HOGWARTS – NOITE

Harry atravessa correndo o portão de entrada, varinha em mãos. Diante dele, o chão cintila estranhamente num VERDE BRILHANTE. Ele vê PESSOAS CORRENDO nas proximidades da cabana de Hagrid.

134. EXT. CABANA DO HAGRID / GRAMADO – MESMA HORA – NOITE

Snape e os outros atingem o limite do gramado. De repente, Snape pára e olha para trás. Vê Harry correndo na sua direção. Malfoy, parecendo inqueto, olha para Harry também.

SNAPE
Vão!

Nesse instante, uma BOLA DE FOGO GIGANTE sobe no ar. Snape se vira, vê Belatriz e a sombra dos outros refletidas nas chamas. Eles colocaram fogo na cabana de Hagrid. Malfoy permanece paralisado.

SNAPE
Vão!

NOVO ÂNGULO – HARRY

Correndo, Harry dispara adiante, varinha em mãos, a vingança nos olhos. Mais à frente, Snape permanece imóvel, alto e escuro em frente ao fogo crescente. Harry aponta sua varinha, dispara um JATO de LUZ VERMELHA. Snape não se move, meramente deixa-o passar ao lado da cabeça. Harry pára, o peito pesado e ataca novamente.

HARRY
Cruciatus!

Snape levanta a varinha, dispersa a maldição com facilidade.

HARRY
Incacerata!

Novamente, Snape repele o feitiço.

HARRY
Impedimenta!

Outro movimento leve do braço, outra maldição defendida. Harry abaixa seu braço com frustração.

HARRY
Revide! Revide, seu covarde!

Com uma rapidez surpreendente, a varinha de Snape se movimenta adiante e Harry perde o equilíbrio e cai no chão.

SNAPE
Nunca, jamais, associe essa palavra com meu nome novamente.

Harry levanta-se sobre um joelho, aponta sua varinha quando… um JATO de RAIO VERMELHO empurra-o de volta ao gramado. Snape se vira, vê Belatriz atrás.

SNAPE
Não! Ele pertence ao Lorde das Trevas!

Belatriz olha Snape intensamente, então se vira, se afasta rapidamente. Snape encara Harry, então também se afasta caminhando. Harry faz careta, coloca-se em pé e ataca uma última vez.

HARRY
Sectumsempra!

Estalo! Snape se vira e mais uma vez derruba Harry. Harry olha para as estrelas enquanto elas giram ao redor dele, quando Snape ENTRA NO SEU CAMPO DE VISÃO.

SNAPE
Você ousa usar meus próprios feitiços
contra mim, Potter?

Harry permanece parado. Seus olhos se arregalam, encontram os de Snape.

SNAPE
Você pode ter os olhos da sua mãe, mas você
é tão burro quanto seu pai. Sim. Sou eu. Eu sou o
Príncipe Mestiço.

Snape chuta a varinha de Harry para o lado e se afasta, juntando-se a Malfoy e aos outros, que esperam ao lado das ruínas em chamas da cabana de Hagrid. Eles penetram na escuridão da fileira de árvores e DESAPARECEM. Harry esmurra o chão, então pára.

HARRY
Hagrid… HAGRID!

Harry corre em direção da cabana quando a PORTA se solta das dobradiças. Segundos depois, Hagrid cambalea para fora, a barba soltando fumaça.

HARRY
Hagrid! Você está bem?

HAGRID
Precisa mais que isso para acabar comigo. Entretanto,
não tenho certeza quanto à minha casa. Mas se
ninguém conseguir consertá-la, Dumbledore consegue.

HARRY
Hagrid, Dumbledore —

HAGRID
A única coisa que não entendo é o que Snape
estava fazendo com aquela laia.

Hagrid se vira e vê o IMENSO GRUPO de ESTUDANTES e FUNCIONÁRIOS reunidos fora do castelo.

HAGRID
E do que se trata essa Marca Negra?
Quem foi morto?
(parando)
Onde está Dumbledore, Harry?
Onde está Dumbledore!!

Harry tenta falar, mas não consegue. Hagrid fica imóvel.

135. EXT. CASTELO DE HOGWARTS – PÁTIO INTERNO – NOITE

Rony, Hermione e Gina estão com os funcionários. Eles se viram e olham o grupo de estudantes à parte de Harry e Hagrid.

Hagrid pára bruscamente, arrasado pelo que vê. Harry segue em frente, ajoelha. Os olhos de Dumbledore estão fechados, seu rosto em paz. Harry arruma os seus óculos de meia-lua, limpa uma gota de sangue do canto da boca. Passa as costas da mão gentilmente na bochecha enrugada.

Então ele percebe algo atrás da mão escurecida de Dumbledore: o medalhão. Ele pega, observa-o silenciosamente. Começa a chorar, enormes ondas de dor percorrendo seu corpo. Hermione acena para Gina, que dá um passo à frente, parando por trás dele. Ao toque dela, a cabeça dele cai em seu ombro e ela começa a acariciá-lo. Rony repara. Entende tudo.

McGonagall levanta uma varinha trêmula em direção ao céu e, lentamente, a PONTA COMEÇA A BRILHAR. Um atrás do outro, estudantes e funcionários fazem o mesmo, erguendo suas varinhas em saudação. A medida que a CÂMERA SOBE, as pontas iluminadas se unem numa LUZ BRILHANTE única. O céu, brevemente esmeralda, torna-se escuro novamente. A Marca Negra desaparece.

136. EXT. CASTELO DE HOGWARTS – DIA

O castelo permanece em silêncio. FAIXAS PRETAS tremulam nos parapeitos.

136A. EXT. PONTE – DIA

Silêncio. Desolação.

137. INT. SALÃO PRINCIPAL – DIA

A cadeira de Dumbledore — vazia. As mesas das Casas — vazias.

138. INT. CORREDOR – DIA

A tapeçaria move-se levemente à brisa. O poleiro balança na gaiola vazia, rangendo suavemente.

139. INT. ESCRITÓRIO DE DUMBLEDORE – DIA

Silêncio. Inércia. Vazio. Então:

A porta SE ABRE cuidadosamente e Harry entra. Por um momento, ele simplesmente permanece observando. Procurando. Ao ver algo, ele atravessa até a grande mesa no outro lado. Olha para baixo.

A varinha de Dumbledore.

Esticando o braço, Harry a pega. Velha, de uso frequente e guardando a marca dos dedos do seu prorietário, é um objeto de beleza estranha. Harry segue as marcas sobre a madeira, hipnotizado, quando…

… McGonagall entra.

PROFESSORA McGONAGALL
Potter.

Ele não responde, concentrado na varinha. Os olhos de McGonagall o encontram rapidamente, observam o rosto de Harry. Ela franze as sobrancelhas, tentando formular algumas palavras.

PROFESSORA McGONAGALL
Potter, em vista do que
aconteceu… se tiver necessidade
de conversar com alguém…

Ela vacila. Harry coloca a varinha de volta em cima da mesa gentilmente, refaz seus passos até a porta, pára para uma última olhada.

PROFESSORA McGONAGALL
Você deve saber… que o Professor
Dumbledore…

Harry se vira, observa seu rosto, não precisa de palavras. Por fim, ela acrescenta em voz baixa:

PROFESSORA McGONAGALL
Tinha grande consideração por você.

Harry levanta o olhar. Alto na parede, os antigos diretores roncam nos seus quadros. O último parece bastante tranquilo, a sombra de um sorriso em seus lábios enquanto dorme.

Dumbledore.

Harry acena, hesita por um momento e sai.

140. INT. DORMITÓRIO DA TORRE – DIA

Harry, de pé em frente à janela, sozinho no dormitório vazio. Na porta, ele olha em volta. Como se estivesse gravando tudo na memória.

141. INT. SALA COMUNAL – DIA (MOMENTOS DEPOIS)

Harry desce as escadas, pára. Hermione, Rony e Gina, sentados, conversam silenciosamente. Sorriem ligeiramente.

142. EXT. TORRE DE ASTRONOMIA – DIA

Harry e Hermione estão em pé próximos à beirada, enquanto Rony e Gina estão mais adiante, fora de alcance. Harry observa, na distância, as cinzas da cabana de Hagrid. Hermione brinca com o medalhão que está com eles.

HERMIONE
Você acha que ele teria feito isso?
O Draco?

HARRY
Não. Ele estava abaixando a varinha. No
fim, foi o Snape. Foi sempre o Snape.
E eu não fiz nada…

Hermione observa Harry, pega o medalhão do corrimão.

HERMIONE
Estranho
. Pensar que isto é um pedaço
da alma de Voldemort.

HARRY
Sim, estranho. Só que… não é.
É falsa.

Enquanto Hermione reage, Harry acena com a cabeça.

HARRY
Vai. Abra.

Hermione abre o medalhão e retira um pedaço de PERGAMINHO dobrado num quadrado apertado. LÊ:

HERMIONE
’Ao Lorde das Trevas. Eu sei que há muito estarei
morto quando ler isto, mas quero que você saiba
que fui eu quem descobriu seu segredo. Roubei a
Horcrux verdadeira e pretendo destruí-la logo
que puder. Enfrento a morte na esperança de que
diante de um adversário à altura, você se torne
outra vez mortal. R.A.B.’

(olhando para cima)
R.A.B.?

HARRY
Não sei. Mas seja quem for, está com a verdadeira
Horcrux. Portanto, foi tudo em vão. Tudo.

Hermione observa o rosto preocupado de Harry, e então olha para Rony e Gina.

HERMIONE
Rony está
bem com isso, sabia? Você e a Gina.
Mas se eu fosse você, quando ele estiver por perto,
maneraria nos beijos.

Hermione sorri suavemente, tentando animá-lo, mas Harry meramente acena com a cabeça, olha para longe novamente.

HARRY
Eu não vou voltar, Hermione.

Hermione acena com a cabeça.

HERMIONE
Nós fizemos as pazes — Rony e eu.

HARRY
Eu tenho que terminar o que Dumbledore
começou. Eu não sei aonde isso vai me levar…
mas avisarei a você e ao Rony onde estou
quando puder. (ALTERNATIVO: Eu tenho
que terminar o que Dumbledore começou.
E… eu tenho que fazer sozinho.)

HERMIONE
Eu sempre admirei sua coragem, Harry, mas,
às vezes… você é um pouco tapado.

Harry se vira, olhando-a com surpresa.

HERMIONE.
Não acha que vai conseguir encontrar
todas aquelas Horcruxes sozinho, acha?
(inclinando; um susurro)
Você precisa da gente, Harry.

Harry apenas a observa. Ela mexe a cabeça sorrindo, fazendo o que pode para persuadi-lo a sorrir. Finalmente, ele sorri suavemente.

HARRY
Sim. Eu preciso. Mas me faça um favor. Quando
eu estiver por perto? É bom maneirar nos beijos.

Hermione parece espantada. Ruborizada.

HERMIONE
Como se isso fosse acontecer.

Ela olha para Rony, balança a cabeça.

HERMIONE
Além disso, ele está disfarçando.

HARRY
Engraçado. Ele diz o mesmo de você.

HERMIONE
Sim. Mas eu sou bem perceptiva.

HARRY
Você é brilhante. Ambos são.

Harry olha para longe novamente e Hermione segue seu olhar. Ela olha para as terras distantes, perdendo-se lentamente. Percebe-se. Está registrando tudo. Colocando num livro de memórias.

HERMIONE
Você acha que nós algum dia…
(voltaremos?)

Ela pára. Seus olhos embaçados por um momento. Então ela luta contra eles. Firme. Harry luta contra suas próprias emoções, estica o braço e segura sua mão por um instante. Então solta-a.

HARRY
Eu não sei.

Hermione acena e os olhos de Harry encontram e observam a Rony e Gina. Como se pudesse sentir, Rony se vira e eles trocam um olhar, algo não falado mas verdadeiro passando entre eles.

Nesse instante uma CANÇÃO se ouve, de lamento e assombrosa, e segundos depois uma AVE surge detrás da torre mais alta e começa a fazer seu caminho no céu.

Rony e Gina chegam até Harry e Hermione, se encostam na beirada. Todos olham o horizonte, assistindo a ave ficar cada vez menor, enquanto sua canção — magicamente — permanece.

Ninguém fala uma palavra sequer.

ESCURECE GRADATIVAMENTE.

FIM