As Relíquias da Morte ︎◆ Parte 1 ︎◆ Parte 2

Sucesso e efeitos econômicos da série em nova reportagem

A revista The Economist, que fala sobre negócios e mercado financeiro por todo o mundo, publicou uma reportagem falando como a série de JK Rowling impactou o mundo dos negócios nos últimos doze anos. No artigo, o sucesso da série é analisado juntamente com seus efeitos econômicos.
Com o encerramento das filmagens da última película, Harry Potter e as Relíquias da Morte, marcado para maio, David Yates, diretor do filme, diz que muitas pessoas perderão seus empregos: “As pessoas falam dos efeitos do fechamento de fábricas… Quando pararmos de filmar no próximo maio, pelo menos 800 pessoas irão passar procurar trabalho.” Vale lembrar que o ator Tom Felton disse, em uma entrevista, que as filmagens irião se prolongar até o mês de junho.

A revista ainda fala sobre o crescimento da franquia Potter, da popularidade dos livros, dos filmes produzidos e dos planos para o parque temático. A discussão dos filmes de Harry Potter continua com a análise dos processos pelos quais os filmes foram feitos:

“Ao invés de A-listers*, os filmes retratam até agora obscuros atores mirins e talentos teatrais britânicos. Talvez a maior estrela seja Alan Rickman, anteriormente conhecido pelos frequentadores de cinema americanos como o vilão em Duro de Matar. Ao longo do tempo eles não foram nem comercialmente nem artisticamente esquecidos. Se alguma coisa, o contrário é verdade. Depois dos dois primeiros filmes, a franquia de Harry Potter foi entregue a diretores não-americanos, mais associados a filmes independentes e televisão. Alfonso Cuarón, Mike Newell e David Yates tiveram um bom grau de autonomia dado pela Warner Bros.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No caso de Harry Potter, experimentação criativa é possível por causa do controle rigoroso manifestado sobre muitos aspectos da produção. A equipe que trabalhou nos filmes de Harry Potter é extraordinariamente estável. Heyman e os designers principais se estabeleceram completamente. Todos, menos um dos roteiros, foram escritos por Steve Kloves. Estimulado por um estoque firme de trabalho complexo, equipes locais como a Doble Negative e a Moving Picture Company cresceram em competência e podem agora lidar com apenas todos os efeitos especiais necessários nos filmes. Ainda mais extraordinário, permitiram que alguns sets continuassem nos Estúdios Leavesden por quase dez anos. Assim como Heyman disse, os diretores podem filmar a ação de ângulos diferentes, mas eles estarão filmando a mesma Hogwarts. Isto é como se a tradição autoral fosse fundida à aproximação industrial para a produção de filmes, que era uma prática comum em Hollywood antes da guerra”

*O termo faz alusão aos famosos com cachês mais caros no meio artístico da indústria hollywoodiana.

Obrigado, Fernanda, pela tradução do artigo!