Filmes e peças ︎◆ Livros

Série Potter aparece em listas de Melhores da Década

Com a chegada do fim de ano, diversos sites estão publicando listas dos melhores do ano e da década. Já divulgamos algumas do Entertainment Weekly e Herald Sun, e trazemos agora mais outras indicações à série literária de Harry Potter.O Toronto Sun comentou sobre o fato da autora ter superado a pobreza e depressão e virado bilionária em menos de 10 anos, e citou JK Rowling e o fenômeno Potter em segundo lugar na sua lista das maiores histórias de livros, perdendo apenas para a criação do livro eletrônico.

O Canada.com, por sua vez, citou o lançamento do livro Harry Potter e o Cálice de Fogo em terceiro lugar na sua lista dos “Momentos da Década na Cultura Pop”, comentando sobre a primeira vez que um livro de Jo era lançado simultaneamente.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Para finalizar, o jornal britânico The Guardian criou uma lista sem colocação dos 50 Livros da Década, e publicou uma bela resenha sobre a série literária de Rowling. Confiram um trecho abaixo:

Por que esses livros são um fenômeno mundial? Sim, eles são bons, mas muitos livros igualmente bons apareceram sem causar tumultos parecidos no dia da publicação. A melhor explicação que posso trazer para isso é que, assim como os dramas populares da época de Shakespeare, eles se sobressaem em muitos gêneros ao mesmo tempo.

A tradução dos três artigos pode ser lida em notícia completa!

HARRY POTTER
Livros ‘Potter’ é a história da década

Toronto Sun
5 de dezembro de 2009
Tradução: Daniel Mählmann

JK Rowling tem sido, mãos para baixo, o fenômeno editorial da década. Ela passou de uma mãe solteira desempregada para uma bilionária em menos de 10 anos… por escrever livros. O que por si só é impressionante.

Os livros Harry Potter já venderam mais de 400 milhões de cópias. Com apenas uma pessoa em 10 classificadas como leitor, esse é um número impressionante. Embora apenas os quatro últimos livros na série de sete terem sido publicados na última década, cada um quebrou recordes como o livro mais rapidamente vendido da história.

Os livros Harry Potter compõem a série mais vendida da história, superando séries clássicas como Hardy Boys ou Senhor dos Anéis.

HARRY POTTER
Momentos da Década da Cultura Pop

Canada.com ~ Canwest News Service
5 de dezembro de 2009
Tradução: Daniel Mählmann

Harry Potter e o Cálice de Fogo chega às lojas à meia-noite

Desde que Harry Potter e a Pedra Filosofal de JK Rowling foi publicado pela primeira vez em 1997, as aventuras com abordagem escolar de um garoto bruxo têm inspirado um novo gênero musical (Wizard Rock), levado a palavra “Muggle” (Trouxa) ao OED (Oxford English Dictionary), e tornado impossível para Daniel Radcliffe ser lembrado como qualquer outra pessoa além do garoto bruxo (boa tentativa com Equus, garoto).

Mas não era assim até o verão de 2000, quando o termo “pottermania” se tornou uma desagradável frase generalizante na América do Norte. O lançamento do quarto livro na série, Harry Potter e o Cálice de Fogo, marcou a primeira vez que um dos grossos livros de JK Rowling seria lançado simultaneamente nos Estados Unidos e América do Norte, e o apetite dos jovens e velhos pelas aventuras na magia e bruxaria foi provocado.

Até agora, aproximadamente 400 milhões de cópias dos livros Harry Potter foram vendidas no mundo inteiro; os filmes adaptados dos livros se tornaram a série cinematográfica de maior bilheteria de todos os tempos (e ainda não está concluída); e a autora JK Rowling tem um valor estimado em $ 4 bilhões.

HARRY POTTER
O que nós estivemos lendo

The Guardian
5 de dezembro de 2009
Tradução: Daniel Mählmann

Alison Lurie sobre Harry Potter e as Relíquias da Morte, por JK Rowling (Bloomsbury)

Por que esses livros são um fenômeno mundial? Sim, eles são bons, mas muitos livros igualmente bons apareceram sem causar tumultos parecidos no dia da publicação. A melhor explicação que posso trazer para isso é que, assim como os dramas populares da época de Shakespeare, eles se sobressaem em muitos gêneros ao mesmo tempo. Como Polônio coloca quando recomenda a companhia de atores viajantes que visitam Elsinore, eles são excelentes “quer para a tragédia, comédia, história, pastoril, pastoril-cômico, histórico-pastoril, trágico-histórico, (ou) trágico-cômico-histórico-pastoril”. Algo para todos, tudo isso de uma vez.

Os livros Harry Potter podem ser apreciados por leitores que gostam de piadas e trocadilhos e autenticidade, muitas vezes com personagens cômicos com tamanhos fora do comum como Hagrid. Ao mesmo tempo, eles são contos excitantes de aventura, mistério e descobrimento. E eles também são histórias clássicas de abordagem escolar, repletas de professores admiráveis e odiosos, emocionantes competições esportivas, festas à meia-noite, amizades leais e amargas rivalidades entre casas. São fantasias, também, e como Shakespeare, contém bruxas, bruxos, elfos, fantasmas, feitiços e transformações. Eles também têm afinidades com ficção especulativa, estando cheios de originais invenções sobrenaturais e artifícios. Tudo isso dá prazer a muitos tipos de leitores. Mas os livros são sérios, também; neles, boas pessoas assim como as más morrem, dando suas vidas em prol de uma causa maior, como muitos heróis do drama elizabetano. Algumas das personagens adultas mais admiráveis, como em Shakespeare, são também reveladas terem uma trágica falha que as fazem hesitar ao agir, cometer erros tolos de julgamentos, a mentir, ou mesmo a cometer assassinato.

Como na melhor ficção juvenil, os jovens heróis dos romances não são seres perfeitos. Harry é bom em Quadribol, mas sua visão é pobre, ele é apenas um estudante mediano, e sua infância infeliz fez dele um tipo de pessoa solitária. Hermione é intelectualmente brilhante, mas tambem teimosa, mandona e reclamona. Rony é leal e valente, mas às vezes ingênuo. Se não fosse pelas necessidades da trama, o Chapéu Seletor certamente o teria colocado na Lufa-lufa, e Hermione na Corvinal.

Além disso, embora o estilo predominante dos livros de Rowling seja alegre e otimista, há conotações mais obscuras. Como a autora explicou em uma entrevista recente: “Meus livros são amplamente sobre a morte. Eles começam com as mortes dos pais de Harry. Há a obsessão de Voldemort com a conquista da morte e sua busca pela imortalidade a qualquer preço”. Mesmo nesse mundo mágico há uma busca na qual ninguém pode ter sucesso. O mal, também, nunca é totalmente derrotado. No epílogo no final da série, 19 anos depois, ainda há uma Casa Sonserina em Hogwarts, e alguns dos alunos no embarque do trem na plataforma 9 e meia estão vinculados à ela.