Não categorizado

[Atualizado] Harry Potter ilustrando capa da Empire

Passados alguns meses desde a exibição do sexto filme da série, Enigma do Príncipe, as publicações sobre os filmes vêm ficando cada vez mais raras. Porém, a revista Empire vai trazer, na publicação do mês de dezembro, uma edição com 10 capas diferentes, incluindo Potter.
Ela publicou que esta edição vai conter uma reportagem intitulada “Dez anos do menino bruxo. Dez anos de Daniel Radcliffe”, feita por Olly Richards. Além de Daniel, também terão suas capas publicas: Johnny Depp (Capitão Jack Sparrow), Heath Ledger (Coringa) e outros sete atores que você pode conferir clicando aqui.

Fiquem ligados no Potterish para novas informações!

Atualizado: Graças ao Snitch Seeker, vocês já podem conferir os scans da revista clicando aqui, e a tradução da matéria com várias citações do Dan em notícia completa!

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

DANIEL RADCLIFFE
Dez anos do bruxo

Empire Magazine ~ Olly Richards
Dezembro de 2009
Tradução: Sylvia Souza

Dez anos de Daniel Radcliffe.

(Quadro superior) Jovens olhos azuis: um recém conhecido Harry Potter faz sua estreia nas telonas em “Pedra Filosofal”, de 2001.

Iconografia
Interpretado por: Daniel Radcliffe
Criado por: J.K. Rowling, Steve Kloves, Michael Goldenberg.
Aparições: Harry Potter e a Pedra Filosofal (2001), …e a Câmara Secreta (2002), …e o Prisioneiro de Azkaban (2004), …e o Cálice de Fogo (2005)…e a Ordem da Fênix (2007), …e o Enigma do Príncipe (2009).

(Quadro inferior) Abraço encapuzado: Harry e Hermione enfrentam o lobisomem Remo Lupin em “Prisioneiro de Azkaban”.

Para ilustrar a passagem desta última década, não há melhor tópico do que Harry Potter. A série de filmes desabrochou desde os filmes com bochechas rosadas de Crhis Columbus às mais interessantes e centradas sequências de Alfonso Cuarón e David Yates, enquanto também englobam perfeitamente o fervor que pegou de jeito os estúdios durante esta última década (a série arrecadou mais de 5 bilhões de dólares apenas nos cinemas). Mas o personagem, como interpretado por Daniel Radcliffe, evoluiu de um garotinho assustado para um heroico e ligeiramente mais alto homem cabeludo que faz todos que lembram dele como um menino se sentirem incrivelmente velhos.Daniel Radcliffe nos conta sua visão sobre a série, como disse à Empire nos últimos dez anos.

Harry Potter e a Pedra Filosofal (2001)
“Eu estava no banho [quando descobri que tinha conseguido o papel] e eu chorei, estava muito feliz. Não poderia pedir por um sentimento melhor – é fantástico… é bem assustador, na verdade. Eu peguei a programação das filmagens para o primeiro dia, olhei para o elenco listado e dizia, “Daniel Radcliffe, Emma Watson e Rupert Grint.” Então pensei, “Certo, já acostumei.” Então virei a página e dizia: “Extras, 150.” Nesse momento fiquei bem assustado…

“Eu gostaria de interpretar o Harry [em todos os filmes], mas acho que é pouco provável. Eles podem não me querer porque ficarei muito alto, ou começarei a encolher. Muito cheio de espinhas ou farei uma tatuagem na testa. Eu acho que seria bem legal se Harry morresse e se esse fosse o único jeito de Voldemort morrer”.

Harry Potter e a Câmara Secreta (2002)
“Harry muda muito no segundo filme. No primeiro, ele aprende sobre o ódio. No segundo filme, ele aprende a lidar com o ódio e precisa explorar uas próprias emoções; Ele aprende que tem algo em comum com Lord Voldemort, e que precisa se conformar com isso…

“Pessoalmente? Pra mim há uma diferença básica entre antes de Harry e depois dele. Antes, eu não tinha meu rosto impresso em ônibus.”

Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban (2004)
“Na minha visão, Chris Columbus fez dois filmes incríveis e eles serão sempre reconhecidos como filmes maravilhosos. O primeiro foi mais uma introdução ao mundo de Harry Potter. O segundo

[Nota do Tradutor: cortado todo um parágrafo pela má qualidade do scan impossibilitando a sua leitura]

Harry Potter e o Cálice de Fogo (2005)

[Nota do Tradutor: cortado todo um parágrafo pela má qualidade do scan impossibilitando a sua leitura]

Eu sei que dizemos que cada filme que é lançado é mais sombrio, mas é verdade. E é bem mais sobre a vida de adolescente. Digo, ele precisa convidar uma garota para o Baile de Inverno! É também muito emocionante para Harry porque ele conhece a pessoa que matou seus pais, e que ele próprio quer matar… é a que os quatro filmes têm nos levado. Harry é torturado [no comitério]. É incrível. Não quero dizer que é perturbador, mas é realmente uma perspectiva horrível ter um garoto de 13 anos nessa situação”.

Harry Potter e a Ordem da Fênix (2007)
“Ah, sim… o primeiro beijo [o beijo de Harry com Cho Chang] foi bem menos sensual do que imaginei que seria. Vrinquei com a ideia de usar línguas, mas acho que Katie (Leung) teria ficado chateada se eu a surpreendesse dessa forma. Com sorte parecerá meigo e natural, mas “Ohn!” do que “Uau!”. Mais, “Muito obrigado”… eu sabia que ficaria nu no palco seis meses depois em Equus, então o beijo não pareceu tão importante perto disso. A morte de Sirius no final é o momento mais sombrio de Harry na série, eu acho. É como se ele finalmente pudesse enxergar um futuro feliz, e isso fosse tirado dele.”

Harry Potter e o Enigma do Príncipe (2009)
“Harry era o rude no quinto livro, mas a tensão neste filme tem muito mais a ver com Rony e Hermione do que com Harry. Ele está infeliz em boa parte desse filme, principalmente porque as pessoas ficam tentando matá-lo. E sua vida amorosa está terrível também. É o que a Jo Rowling faz tão bem: combina problemas cotidianos, rotineiros, com esse outro incrível mundo… A morte de Dumbledore no fim é um grande acontecimento para os fãs. Eu sempre havia visto a morte de Sirius como mais importante para Harry. Exemplos masculinos para o Harry não acabam bem!”

Harry Potter e as Relíquias da Morte (2010)
“Este é ‘pegando a estrada’, principalmente a Parte Um. As pessoas estão tão acostumadas com Harry em Hogwarts, e simplesmente não estamos lá na primeira parte deste filme. Isso parece ter dado novos ares. Temos feito isso por dez anos e tem sido fantástico, e temos que sair enquanto estamos ‘por cima’ porque de outra forma, eu empre olharei para o passado e não conseguirei conviver com iso se não acertamos. Mas veremos…

“Em um nível pessoal, estes filmes vêm desde o 11º a, provavelmente até quando terminarmos, 20º ou 21º anos da minha vida, então para mim será realmente muito, muito estranho finalmente terminá-los.”

(Quadrinho da segunda página)
Radcliffe, Leung e David Yates riem de uma piada
Acima: no cenário do cemitério em “Cálice de Fogo”.

(Quase ícone: Seu nome é Donnie Darko! Você pode ver todos os coelhos assustadores que quiser com um nome tão legal.)