As Relíquias da Morte ︎◆ Filmes e peças ︎◆ Parte 1 ︎◆ Parte 2

David Heyman comenta divisão e agenda de RdM

Agora que Enigma do Príncipe foi lançado, mesmo que há menos de duas semanas, os holofotes começam a apontar para o último filme da franquia. O produtor David Heyman foi entrevistado pelo Channel News Asia para falar exatamente sobre isso.
Heyman falou dos motivos que levaram a Warner decidir a dividir o sétimo em duas partes, a possibilidade de existir outras séries tão grandes quanto Harry Potter, mas que a oportunidade de ver o elenco crescendo diante das câmeras foi de fato único. Além disso, falou também do calendário de filmagens desta nova película:

Estamos atualmente no dia 94 das filmagens… com mais 250 dias de gravação pela frente. E reações tão positivas quanto as que recebemos [com enigma do Príncipe]… têm dado uma moral para todos nós, porque são filmagens um bocado demoradas.

A tradução do artigo na íntegra pode ser lida, como sempre, em notícia completa!

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

DAVID HEYMAN
David Heyman revela porque o último livro de Harry Potter será dividido em 2 filmes

Channel News Asia ~ Genevieve Loh
25 de julho de 2009
Tradução: Renan Lazzarin

Você provavelmente acha que deve existir um esquema de marketing muito grande, comercial e talvez até maldoso por trás da divisão do último livro da amada série Harry Potter em dois filmes.

Mas David Heyman, produtor de toda a franquia e a primeira pessoa a levantar a possibilidade de comprar os direitos cinematográficos dos valiosos escritos de JK Rowling dez anos atrás, assegura que é para um bem maior.

“David Yates [diretor], Steve Kloves [roteirista] e eu realmente queríamos fazer um só filme,” contou o produtor britânico à Weekend TODAY por telefone de Los Angeles, onde ele estava durante a pausa das gravações da primeira parte de Harry Potter e as Relíquias da Morte.

“A partir do terceiro filme, todos decidimos que queríamos adaptar os filmes tendo os livros como base, mas que ficaríamos longe de simplesmente transferi-los.”

“Foi aí que começamos a contar as histórias do ponto de vista do Harry e sabíamos que teríamos que redefini-las para caberem nas telas do cinema.”

“Quando Steve começou a desbravar a história [de Relíquias da Morte], percebemos que havia tanto para resolver que, se fizéssemos um filme, muita coisa se perderia. Num determinado ponto, Steve chegou a dizer, ‘Acho que tem o bastante aqui para três!,” riu.

Descrevendo o primeiro filme do final duplo como tendo uma vibração de “filme de estrada” – com Harry e seus amigos Hermione Granger e Rony Weasley fugindo dos Comensais da Morte – Heyman disse que dar um tempo nas gravações para promover o sexto volume, atualmente em exibição nos cinemas (Harry Potter e o enigma do Príncipe) foi uma pausa bem-vinda.

“Estamos atualmente no dia 94 das filmagens… com mais 250 dias de gravação pela frente. E reações tão positivas quanto as que recebemos [com enigma do Príncipe]… têm dado uma moral para todos nós, porque são filmagens um bocado demoradas.”

Quando perguntado se uma franquia tão fenomenal poderia acontecer de novo, Heyman disse que era possível (“Olhe para o Bond… segue e não para mais”), mas que há algo muito especial quanto à série Potter: as crianças.

“O que é único quanto a Potter é realmente Dan Radcliffe, Emma Watson, Rupert Grint e todas as outras crianças que estiveram envolvidas desde o começo e têm crescido com a série,” disse. “Eles chegaram com nove, dez, onze anos; agora têm 19, 20, 21.”

“A questão de ver as crianças crescerem bem na sua frente, se tornando tão bons atores, é que é realmente incrível contemplar a evolução. Não sei se chegaremos a ver algo assim acontecendo no cinema novamente.”