Eventos ︎◆ J. K. Rowling ︎◆ Livros ︎◆ Os Contos de Beedle, o Bardo

JKR: “Os fãs me fizeram escrever o livro de contos”

De acordo com um recente artigo publicado pela Reuters, a autora JK Rowling revelou que o principal motivo que a levou a escrever Os Contos de Beedle, o Bardo foi a pressão dos fãs da série Potter.
Segundo o texto, Rowling afirmou no chá de lançamento do livro, oferecido hoje à tarde no Saguão do Parlamento de Edimburgo, que se sentiu mal pelo fato de que o grande público não pôde ter acesso aos elaborados contos. Confira:

“Houve um bocado de sentimento vindo dos fãs de Harry Potter quanto ao fato de que somente alguém que tivesse dois milhões de libras poderia se dar ao luxo de ler o livro. Eu achei isso um ‘ponto injusto’, então, pensei ‘o publicarei e então a instituição também ganhará o dinheiro’”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Durante a descontraída sessão de perguntas e respostas, na qual os entrevistadores eram fãs de escolas primárias da região de Edimburgo, também foram tratados outros assuntos.

Segundo o MuggleNet, os atores Evanna Lynch (Luna), Devon Murray (Simas) and Matthew Lewis (Neville) também compareceram ao evento. Evanna disse que é sempre maravilhoso ouví-la, e que é muito mais pessoal ouvir Jo lendo seu próprio trabalho, e que ela estava “realmente impressionada com os contos de fada”.

Você pode conferir as fotos do evento em nossa galeria, através deste álbum, e a tradução do artigo na íntegra em notícia completa.

JK ROWLING
Reivindicação dos fãs de Potter estimulou novo livro

Reuters ~ Mike Collett-White
04 de dezembro de 2008
Tradução: Matheus Lisboa
Revisão: Renan Lazzarin

EDIMBURGO (Reuters) – A escritora J.K. Rowling disse na quinta-feira que foi a reivindicação dos fãs de Harry Potter que a estimularam a publicar seu último trabalho, “Os Contos de Beedle, o Bardo”.

Os lucros da coleção dos contos de fada, que tem uma tiragem global de 7,5 milhões de cópias, irá para uma instituição beneficente para crianças vulneráveis na Europa Oriental co-fundada por Rowling.

A [autora] de 43 anos originalmente escreveu à mão e ilustrou sete cópias de Beedle, o Bardo, seis das quais deu como presente e uma que vendeu em leilão para a instituição. Ele atingiu os 4 milhões de dólares um ano atrás.

“A idéia na verdade veio de vocês, os fãs de Harry Potter”, Rowling contou rodeada por 200 crianças da escola primária reunidas no Saguão do Parlamento de Edimburgo para um chá em que lançou oficialmente Beedle, o Bardo.

“Houve um bocado de sentimento vindo dos fãs de Harry Potter quanto ao fato de que somente alguém que tivesse dois milhões de libras poderia se dar ao luxo de ler o livro. Eu achei isso um ‘ponto injusto’, então, pensei ‘o publicarei e então a instituição também ganhará o dinheiro’”.

Beedle, o Bardo é mencionado no último livro de Potter, “Harry Potter e as Relíquias da Morte”, como tendo sido deixado para a amiga do menino bruxo Hermione Granger por Alvo Dumbledore, diretor da escola de Hogwarts.

Somente uma das cinco histórias – “O Conto dos Três Irmãos” – foi relatada no livro de Potter, e o volume contém pistas que se provaram cruciais na missão final de Potter de destruir Lord Voldemort. Rowling leu uma passagem dos contos para seu público jovem em Edimburgo. As crianças, todas de escolas locais, também conheceram a autora britânica e receberam uma cópia gratuita do livro.

Durante uma sessão de perguntas e respostas, a escritora falou sobre os seus escritores favoritos quando criança e o amor dela pelo Natal, e revelou que tinha medo de aranhas desde pequena.

“O que é engraçado é que, como vocês provavelmente sabem se leram Harry Potter, eu dei a Rony esse medo. Ele é apavorado por aranhas, e Rupert Grint, que faz Rony nos filmes, fica absolutamente paralisado por aranhas”.

“Eu me sinto tanto por ele porque fiquei colocando Rony nessas situações em que ele tinha de encontrá-las”.

A renda de Beedle, o Bardo, vai para a The Children’s High Level Group (CHLG), cujas campanhas procuram proteger e promover os direitos das crianças. Começou a trabalhar na Romênia antes de ir para a Moldávia, Geórgia, Armênia e República Tcheca.

Em julho de 2007, Relíquias da Morte tornou-se o livro vendido mais rápido da história. Além destes, os livros de Harry Potter venderam mais de 400 milhões de exemplares e transformaram Rowling na autora rica do mundo.

Eles também têm originando uma franquia de filmes bem sucedida que arrecadou cerca de 4,5 bilhões de dólares de bilheteria com cinco filmes lançados. Mais três estão planejados, com Relíquias da Morte sendo dividido em duas partes.

Beedle, o Bardo, pode não ser a última palavra de Rowling no mundo de Harry Potter. Ela disse que planeja uma enciclopédia sobre a série e doará os lucros para a caridade.