J. K. Rowling

Steven Vander Ark: “Eu estou de volta JK, e eu te perdôo”

O criador do Harry Potter Lexicon, dicionário online sobre o mundo Potter, bastante conhecido no fandom, que há pouco tempo perdeu uma grande briga judicial com JK Rowling declarou hoje ao Times Online que “está de volta, e que perdoa JK”.A entrevista diz que Vander Ark ainda não desistiu de seus projetos e que agora publicará um livro falando sobre os lugares britânicos citados no livro, de forma mais real, mostrando ponto a ponto da Grã-Bretanha.

Ele ainda completa que quer satisfazer a Rowling, agora, com a publicação de seu novo livro e conta sobre os ataques que sofreu durante o andamento do processo. A nossa Equipe traduzirá a entrevista e o mais breve possível nós a disponibilizaremos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Para conferir a entrevista na íntegra clique em Notícia Completa.

STEVEN VANDER ARK
Steven Vander Ark: “Eu estou de volta JK, e eu te perdôo”

Times Online ~ Amanda
16 de novembro de 2008
Tradução: Dérick Moreira
Revisão: Virág Venekey

Como o criador do website de Harry Potter mais bem sucedido no mundo, Steven Vander Ark foi o padre chefe americano que presidiu com devoção no santuário de JK Rowling. Ele falou em convenções, onde outros fãs tiravam fotos suas e pediam por seu autógrafo; ele até deixou seu emprego para que pudesse dedicar mais tempo a Pottermania.

Então, apenas um ano atrás, os convites para palestras pararam. Amigos começaram a desprezá-lo e ele começou a receber ameaças de morte online. De repente ele era tão popular quanto Lord Voldemort, o inimigo mortal do jovem bruxo. E tudo por que Vander Ark, 50, desejou criar uma enciclopédia Harry Potter.

Agora ele está prestes a desafiar a ira dos fãs de Potter novamente ao publicar um novo livro que combina as localidades britânicas reais com aquelas fictícias do romance.

O ex-bibliotecário escolar perdeu muitas de suas credenciais Potter quando Rowling entrou com um mandato na corte judicial solicitando que seu primeiro livro fosse banido. Quando o caso foi a corte judicial em Nova Iorque no início desse ano, ela chorou e reclamou sobre a enciclopédia. “Ele simplesmente pegou [meu trabalho] e o copiou,” ela reclamou. “Isso é negligente, preguiçoso e leva meu trabalho para os atacados.” O juiz concordou, e o livro teve de ser recolhido.

Como era esperado, muitos Pottermaniacos online ficaram do lado de Rowling. “Foi tudo muito doloroso,” diz Vander Ark, que continua sendo tão grande fã, que não culpa a autora multimilionária por suas ações. “As pessoas estavam cavando tudo que podiam achar sobre mim – família, empregos, onde eu estudei. Eles até encontraram uma foto de uma amiga muito próxima, postaram na internet, e atacaram seu peso e seu cabelo.”

Ele ficou chocado quando cumprimentou uma conhecida na rua – apenas para vê-la o ignorar e precipitar-se com desdém para longe dele. Alguns contribuintes de salas de bate-papo, diz ele, estavam até discutindo planos para encontrá-lo – “Eles disseram que queriam se livrar de mim.”

Nesse momento, ele tinha ido para Londres por um ano para pesquisar seu mais novo livro. Ainda assim ele não pensou em chamar a polícia. “Eu acho que não pensei realmente que as pessoas viriam atrás de mim porque era um mundo online,” ele diz. “Se houvesse uma polícia online eu teria a procurado.”

“Mas eu não saía muito. Eu me escondia e apenas tentava me proteger. Eu fiquei chocado ao passar de alguém que assinava autógrafos para a pior pessoa do mundo.”

Vander Ark é um dos bibliotecários naturais da vida. Quando garoto, ele catalogava e cruzava referências sobre episódios de Star Trek. Mais tarde na adolescência, ele fazia projetos para a Estrela da Morte de Guerra nas Estrelas, sendo a vida noturna presumivelmente bem calma na Michigan de 1970. Ele trabalhou numa mercearia antes de decidir mudar de carreira na metade dos seus trinta anos, depois ele foi para a universidade e acabou trabalhando como professor bibliotecário.

Ironicamente, sua primeira batalha no estilo Davi e Golias foi contra colegas de sua escola ultra-Cristã, que acreditavam que os contos de Rowling sobre fantasmas e bruxos eram impróprios para crianças crentes em Deus. Vander Ark perdeu: a biblioteca da escola permanece livre de Potter. No entanto, ele já estava totalmente viciado – e agora alega ter lido cada livro 40 vezes.

“Eu adoro manter o controle sobre todos os pequenos detalhes, e descobrir conexões entre as coisas,” diz ele. “Mas eu sabia o quão trabalhoso seria catalogar um mundo tão ricamente imaginado.” Então ele não parou até a página 34 do segundo livro, Harry Potter e a Câmara Secreta, onde o livro de receitas da senhora Weasley (Enfeitice o seu próprio queijo, Feitiço no forno e Festas de um minuto – um Encantamento) se provaram atraentes demais para resistir. “Eu peguei uma agenda, e comecei a tomar notas.” Como você faz. Em 2000, a agenda tinha se transformado em um website: o Harry Potter Lexicon, que atrai 10.000 visitas por dia.

Ele acaba de agüentar uma espera de roer as unhas enquanto seu ultimo livro – In Search of Harry Potter (Em busca de Harry Potter, em tradução livre, editora Methuen, 14,99 libras) foi examinado pelos advogados de Rowling. No final, eles pediram somente pequenas mudanças na capa. Vander Ark diz que agora deseja conhecer Rowling – puramente para dizer o quanto ele se arrepende por perturbá-la.