O Enigma do Príncipe

Revista canadense traz Emma Watson na capa

A atriz potteriana Emma Watson estará na capa da edição de novembro da revista canadense Flare. A revista também traz uma interessantíssima entrevista exclusiva e uma elegante sessão de fotos com a jovem estrela.
Na entrevista, Watson comentou sobre o peso da fama, sua relação com os colegas Dan Radcliffe e Rupert Grint, e até de sua proximidade com a autora J.K. Rowling. De início, a atriz falou sobre sua insegurança no início da carreira:

Queria que tudo saísse perfeito. Trabalhava duro para memorizar minhas falas e a cena; tínhamos que parar de gravar porque eu ficava murmurando as falas de Rupert e de Dan ao mesmo tempo. Era algo que tinha que superar.”

O artigo também salientou as gravações de Harry Potter e o Enigma do Príncipe, cujo roteiro teve uma das cenas mais desafiadoras para Emma.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Tive que chorar pela primeira vez quando Hermione vê Ron beijar Lilá. Foi difícil trazer toda aquela emoção e dor na frente de uma equipe inteira, e não só uma vez, mas sim repetidas vezes de diferentes ângulos.”

Você pode conferir os scans do artigo em nossa galeria de imagens, através deste álbum. A tradução do artigo na íntegra se encontra disponível em notícia completa!

EMMA WATSON
Senhora à espera

Flare Magazine ~ Juliette Baxter
Novembro de 2008
Tradução: Renan Lazzarin

Juliette Baxter alcança Emma Watson, “A” garota da Inglaterra e a mais nova ditadora de tendências, ao regular desde Harry Potter até Hollywood. Imagens de Lorenzo Agius.

Enfim, uma estrelinha jovem que não se denomina “apenas um garota normal” e que, por acaso, está vivendo um sonho. Emma Watson, 18, mais conhecida como a Hermione Granger da franquia bilionária Harry Potter, teria um grande trabalho para nos convencer de que não é extraordinária. É uma das estrelas jovens que mais ganha no mundo, recebendo, supostamente, um milhão por filme; ela está protagonizando a animação The Tale of Despereaux (assista-a mês que vem) junto aos pesos-pesados de Hollywood, Dustin Hoffman e Matthew Broderick; ela é uma das preferidas do tapete vermelho, ostentando a costura da Chanel com freqüência e sem esforço; ela terminou seus A Levels (o último ano do Ensino Médio no Reino Unido) com notas A+; e considera a autora de Harry Potter, J.K. Rowling, uma inspiração – e uma amiga.

Rowling sempre me disse que eu a lembro de si própria, o que é inacreditável, porque ela é tão incrível,” diz Watson, se confundindo com as palavras e a comparação. O melhor conselho que recebera da mulher que chama, pessoalmente, de Jo, veio quando Watson contou a Rowling uma grande decisão de sua vida (à qual ela permanece evasiva): “Acredite em si mesma. Sei que você terá sucesso em tudo o que fizer.”

A evidência de seu êxito é irrefutável. Aos nove anos de idade, estava entre milhares de garotas competindo pelo cobiçado papel de Hermione e seu ímpeto de ter sucesso no personagem não diminuiu durante a filmagem de Harry Potter e a Pedra Filosofal. “Queria que tudo saísse perfeito. Trabalhava duro para memorizar minhas falas e a cena; tínhamos que parar de gravar porque eu ficava murmurando as falas de Rupert Grint e de Dan Radcliffe ao mesmo tempo. Era algo que tinha que superar.”

Sete anos depois, a jovem atriz chegou à posição de estrela bem-sucedida. Ela é conhecida por se posicionar da melhor forma, não olha diretamente para a câmera, sabe a diferença entre as angulações de câmera ‘maçaneta’ e ‘corrimão’, e acabou de fazer uma de suas cenas mais desafiantes no muito esperado Harry Potter e o Enigma do Príncipe, pautado para ser lançado em julho de 2009. “Tive que chorar pela primeira vez quando Hermione vê Ron beijar Lilá. Foi difícil trazer toda aquela emoção e dor na frente de uma equipe inteira, e não só uma vez, mas sim repetidas vezes de diferentes ângulos.”

Watson não está apenas crescendo como atriz, mas também como ditadora de estilo em desenvolvimento. Ela é rápida em combinar suas marcas favoritas: Chanel, Burberry, Alexander McQueen e Balenciaga. “Não gosto de parecer perfeita demais,” diz. “Gosto de misturar e combinar minhas próprias peças.” Ela tem orgulho especial do excelente modelo que criou junto de sua mãe e da desenhista de roupas de Harry Potter, Jany Temime, para a première londrina de Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban. (Rachel Zoe, morra de inveja.) Ela confessou que uma das inspirações de seu estilo é Molly Ringwald no filme A Garota de Rosa Shocking, dos anos 80. “Simplesmente amei a forma com a qual ela juntou as coisas. É tão diferente e inesperado.”

E o mais importante, durante o período em que interpretou um papel tão icônico quanto a Princesa Leia em Guerra nas Estrelas, Watson driblou a mídia, até mesmo nós. “Que conselho você daria à rainha adolescente Miley Cyrus?” Diplomática e simpática, ela responde: “Nunca diria a ninguém o que fazer. Tudo o que sei é que é difícil, muito difícil ser famosa. Chamar uma vez a mídia à sua vida implica em ter de viver com ela. Me focar na escola me ajudou a passar por isso.”

Enquanto algumas estrelas jovens são mastigadas, cuspidas e deixadas para negociar a fama sozinhas, a mão guiadora dos estúdios da Warner Bros. ajudou Watson a continuar sensata. Ela explica que os executivos dos filmes de Harry Potter sabiam desde o início que iriam mudar o curso de suas vidas e foram sensíveis às suas necessidades: desde o começo, Watson tem o mesmo motorista, Nigel (“Eu adoro ele”), e o time de cabelo e maquiagem nos sets de Potter (“Estão lá desde o início da manhã até a hora que eu tiro a maquiagem à noite”); quando vai a algum lugar em público, guarda-costas são fornecidos de bom grado; e sessões de fotos são marcadas de acordo com suas aulas e provas, sem dúvidas. O departamento de publicidade também foi muito cuidadoso quanto a que mídias nós [Watson, Radcliffe (Harry) e Grint (Rony)] somos expostos. Eles nos mandam aos eventos juntos para que possamos contar um com o outro.”

Ao falar, fica claro que Watson encontra conforto em seus co-atores. “São muito protetores,” diz, e juntos têm sobrevivido à força destruidora da fama da noite para o dia, às inspeções da mídia e à pressão de carregar o peso da indústria de Harry Potter. Watson adora sua amizade, dentro e fora do personagem, porque ambos são tão honestos. “Tenho vários amigos homens. É legal sempre saber onde fico com eles.” Embora seu destino sejam as manchetes com Radcliffe e Grint por mais dois anos, ela conhece sua vida, pois sabe que há desvios. “Estou num período de transição, em muitos sentidos. Estou mudando e tomando várias decisões quanto ao meu futuro. É uma época muito excitante e um tanto assustadora.” E há muita especulação correndo na “blogosfera” quando a seu próximo passo – ela planeja ir a Cambridge; está, supostamente, se tornando a garota-propaganda de uma grande marca de moda; e assinou para protagonizar em Napoleon and Betsy, como o objeto de afeição do imperador francês, um papel originalmente oferecido a Scarlett Johansson. O que quer que aconteça depois, pode apostar que todos assistiremos.