Filmes e peças ︎◆ O Enigma do Príncipe

Leia a descrição da tão esperada cena da caverna em EdP!

Como muitos fãs notaram, a Rachezee, sortuda que pôde assistir uma exibição de teste do filme Harry Potter e o Enigma do Príncipe em Chicago, esqueceu de contar sobre a tão esperada cena da caverna em sua prévia publicada ontem no TLC.Hoje ela reparou o seu erro e divulgou uma descrição bastante completa desse momento singular de toda a série. Seus detalhes começam antes de Harry e Dumbledore deixarem Hogwarts, e vão até a conclusão final, no pé da torre de Astronomia.

Além disso, nós também traduzimos outras informações soltas que ela postou no fórum do site. Ambos os textos podem ser encontrados clicando em notícia completa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Alertamos novamente que esse relato contém inúmeros spoilers do sexto filme, então recomendamos a sua leitura apenas àqueles que não se importam em obtê-los antes de assistir o longa-metragem no cinema.

Logo mais nós publicaremos a tradução do relato feito pelo MuggleNet. Continuem ligados no Ish!

Atualizado: A Rachezee publicou mais uma pequena mensagem, dessa vez sobre a mão murcha de Dumbledore; leia-a aqui!

HARRY POTTER E O ENIGMA DO PRÍNCIPE
Informações soltas sobre o filme

The Leaky Cauldron ~ Rachezee
07 de setembro de 2008
Tradução: Daniel Mählmann

Perebas aparece brevemente no filme. Ele abre a porta da Rua da Fiação e, em seguida, Snape bate a porta em sua cara usando a magia, deixando-o fora da sala de estar.

A cena do cadarço [entre Harry e Gina] ocorre logo antes deles se inclinarem e quase se beijarem na Toca, Gina está em um roupão, porém ela está mais coberta do que quanto está vestida. Eu pessoalmente achei esse momento nada singular. Foi o momento logo depois que capturou a minha atenção.

Não tinha o Voldemort adulto nesse filme, e o papel de Neville foi muito pequeno. Ele realmente era uma ferramenta de acesso à festa de Slughorn, porque ele não fez parte do Clube do Slugue. Aquela parte foi tão ridícula.

Gostaria de acrescentar que Dumbledore e Harry não aparecem nas cenas das memórias. Harry mergulha sua cabeça na penseira e as assiste dali. Não está implícito que ele vê tudo de cima, mas é como se mergulhando a sua cabeça na penseira, ele ficasse imerso no mundo da memória.

O papel de Hermione definitivamente foi enfraquecido, e o filme ficou melhor por isso! Ela continua tão presente quanto a Hermione deveria ser em comparação ao Rony e Harry, mas não está acima do principal como vimos nos filmes anteriores.

E este filme fluiu bem. Ao contrário de OdF, a maior parte de todas as cenas principais teve tempo suficiente na tela para me satisfazer antes de continuar em um bom fluxo para a cena seguinte.

HARRY POTTER E O ENIGMA DO PRÍNCIPE
Descrição da cena da caverna

The Leaky Cauldron ~ Rachezee
07 de setembro de 2008
Tradução: Daniel Mählmann, Fernanda Midori e Iago Sales

Sinto muito pessoal, na minha pressa de escrever a minha resenha, eu esqueci da cena da caverna! Portanto, aqui está.

Dumbledore encontra Harry no topo da torre de Astronomia e eles aparatam para o exterior da caverna. Quando eles estão saindo, Harry fica surpreso que eles possam aparatar dentro dos terrenos de Hogwarts, e Dumbledore diz algo como “Essa é a beleza de ser diretor”.

A cena para a qual aparatam, apesar de estar um pouco inacabada, foi ainda assim absolutamente deslumbrante. As falésias e grandes ondas dominam a cena. Dumbledore encontra seu caminho para a ante-câmara e corta sua mão (para os fãs de Star Trek – ele faz isso de uma maneira Klingon – diretamente no meio de sua mão). A parede se mexe e Dumbledore explica ao Harry que Voldemort teria criado defesas ao redor da Horcrux.

A caverna é muito diferente do que eu tinha imaginado e de todas as fanarts que já vi, mas continua uma visão maravilhosa e enregelante. Ela me lembrou um pouco da caverna normal misturada com o lugar de cristal de gelo para o qual o Super Homem vai em um de seus filmes. Toda a caverna é uma vasta formação de cristais enormes, retalhados e brutos, sobressaindo-se das paredes do teto e do chão.

Eles fazem seu caminho para a água e Dumbledore avisa ao Harry para não tocar nela, e ele começa a levantar o barco com magia. Então ele e Harry enrolam uma corrente longa e pesada.

A ilha é uma formação de cristais, assim como a bacia. Agora, a única coisa verdadeiramente extravagante e estranha sobre toda essa cena é que eles usam uma grande concha branca parcialmente embutida em uma pequena rocha para colher a poção. Em minha opinião, isso parece bastante bobo. Dumbledore diz ao Harry para forçá-lo a beber a poção e Gambon, mais uma vez, atua um pouco melhor do que o seu trabalho habitual, sendo forçado a beber a poção.

Em um momento próximo do fim, você pode ouvir muito suavemente Dumbledore gaguejando algo como “por favor, não os machuque, é tudo culpa minha.” Mas era quase inaudível e eu duvido que alguém que não leu o livro tenha pegado a fala. Em seguida, depois que o último gole é bebido, Gambon meio que volta para a sua atuação bastante pobre e desencontrada, e diz com força demais “Harry, água.”

Mas primeiro Harry volta à bacia e recupera o medalhão e no fundo nós podemos ouvir Dumbledore dizendo “Harry, água” ficando um pouco mais fraco a cada vez que diz isso. Harry tenta encher a bacia com água do feitiço Aguamenti, mas não consegue pegá-la com aquela concha idiota. Depois de tentar várias vezes e Dumbledore começar a cair, ele vai até o lago para enchê-la lá.

De repente, a luz que emanava da ilha com a bacia se apaga, e Harry acende sua varinha (a maior parte infelizmente com o feitiço inexistente, luminous-maximus, ou o que quer que ele tenha usado no começo do terceiro filme), e lentamente estende a colher para a água do lago. No momento que ele a toca, uma mão é estendida e agarra o punho de Harry. A platéia inteira saltou de medo. Harry tenta se defender do Inferi com todos os feitiços que nós o ouvimos tentar nos livros. Mas no final, ele é puxado para baixo da água.

Antes de continuar, devo dizer que a cena do Inferi foi uma das mais espetaculares desse filme. Eles se parecem um pouco com uma nova versão dos dementadores, mas com formas muito mais humanas e amarronzadas. Temo não estar descrevendo-os bem, porque eles foram mesmo assustadores de se ver. Os ângulos da câmera capturaram a cena de Harry tentanto desesperadamente denfender Dumbledore e a si mesmo dos Inferi enquanto eles escalam subiam com dificuldade na ilha, de todos os ângulos diferentes, e a quantidade deles acaba subjugando Harry e ele é puxado para o fundo do lago.

Enquanto Harry está embaixo d’água, a vista que temos é debaixo dele olhando para cima, e também podemos ver a ilha toda. De repente, o Inferi que segurava Harry o solta e ele nada até a superfície coberta de chamas violentas. O “anel de fogo” que Dumbledore conjura é uma visão inacreditável, muito longe do que acho que todos imaginaram nos livros, mas incrivelmente espetacular. Harry e Dumbledore voltam ao barco e então a cena corta para Harry ajudando Dumbledore através da caverna.

As falas muito esperadas (estou parafraseando) “Não se preocupe, senhor, levarei nós dois de volta” e Dumbledore respondendo “Não estou preocupado, estou com você” são ditas. Executadas muito bem por Radcliffe, porém um tanto sem graça, na minha opinião, por Gambon, que claramente não sabe o valor emocional significante que nós fãs sabemos que essas falas têm.

Eles então aparatam de volta no topo da torre de Astronomia. Não há marca negra no céu. Mas enquanto Dumbledore diz que precisa de Severo e não Madame Pomfrey, eles ouvem um tumulto e Dumbledore ordena que Harry fosse se esconder e não aparecesse ou interferisse. Uma ordem que no livro Harry nunca seguiria, mas no filme Harry obedeceu. Harry vai para baixo do chão de madeira da torre, onde Dumbledore está de pé, e onde ele pode ver tudo através das grandes fendas entre as madeiras. Draco chega e Tom faz um trabalho brilhante como um garoto tentando ser ameaçador e amedrontado ao mesmo tempo. Algumas falas do livro são um tanto abatidas por Dumbledore dizendo coisas como “Draco, você não é um assassino.”. Depois os comensais da morte chegam todos de máscaras, exceto Belatriz e Greyback. Belatriz apressa Draco a fazer o que deveria, embora sua varinha se abaixe levemente.

Entretanto sob o chão, Harry, que está apavorado assistindo a tudo com sua varinha preparada, está perto de Snape, cuja varinha também está em mãos, e leva seus dedos aos lábios para ter certeza de que ele continuasse quieto. A minha descrição não consegue capturar a cena bem o suficiente, mas fiquei surpresa ao descobrir meu coração partido, talvez porque eu sabia o que ia acontecer quando Snape apareceu por lá. Snape calmamente aparece acima, e Dumbledore, com força demais, diz “Severo, por favor”.

Snape faz o Avada Kedavra, e Belatriz fica empolgada. A cena com Dumbledore sendo levado pelo ar infelizmente estava inacabada, porque nós o vimos subindo no ar e depois aparentemente caindo ao lado da torre, mas ainda não havia qualquer movimento. Ele está imóvel em ambas as cenas. Tenho certeza que mais efeitos especiais vão ser adicionados mais tarde. Depois Belatriz lança a Marca Negra (outra maravilhosa atualização dos efeitos especiais, com um crânio e uma língua de cobra em fumaça preta). Todos os Comensais da Morte correm, destruindo um pouco do castelo em uma explosão de euforia ao longo do caminho. Não há nenhuma batalha no interior de Hogwarts e o único a perseguí-los é o Harry.

Não houve Amico Alecto em qualquer lugar que eu pudesse ver. Ah, e também não tem a Rosmerta. Esqueci de mencionar isso antes.

De qualquer forma, os Comensais da Morte colocam fogo na cabana de Hagrid e a cena que eu já descrevi acontece entre Harry e Snape. Harry então volta para encontrar a escola inteira reunida ao redor do corpo de Dumbledore, McGonagall na parte da frente completamente atordoada e silenciosa. Harry se ajoelha ao lado de Dumbledore, tira um cabelo do seu rosto e encontra o medalhão, mas não o abre. Agarrando o medalhão com força, ele começa a chorar e Gina o abraça, também chorando. Seguindo a ordem de McGonagall, todos acendem a varinha (acho que eles todos murmuram algo em uníssono, mas eu não lembro o quê) e lentamente as levantam no ar como se fossem um só. A tomada final da cena é de cima, com todas as luzes das varinhas iluminando a torre, Dumbledore, Harry e Gina.

HARRY POTTER E O ENIGMA DO PRÍNCIPE
Sobre a mão murcha de Dumbledore

The Leaky Cauldron ~ Rachezee
07 de julho de 2008
Tradução: Daniel Mählmann

Quanto à mão de Dumbledore, eu realmente tentei prestar atenção onde e quando a sua mão estava murcha. Eu realmente tentei, mas isso se revelou bastante difícil.

Eu procurei atentamente no início por uma mão murcha, mas não a vi. Acredito que Dumbledore estava usando o anel, embora ele parecesse diferente do descrito nos livros, e não parecia ser preto, e sim dourado (isso pode ser o resultado de efeitos especiais inacabados, talvez ele terá um brilho misterioso ou algo assim, quem sabe).

Mas eu me confundi que, ao menos para mim, foi bastante óbvio que o anel ainda era uma Horcrux quando Dumbledore e Harry investigaram a memória verdadeira de Slughorn. Dumbledore o trouxe para sua mesa, e Harry o tocou. Depois, Harry fez aquele movimento de galo que ele fez em OdF quando Voldemort o estava possuindo (muito bem encenada, na minha opinião, eu poderia acrescentar). E Dumbledore encara ele e o anel, parecendo fazer a conexão.

Agora, é possível que eu tenha interpretado erroneamente esta cena, você é quem decide.

Algum momento depois disso, a mão dele apareceu murcha e estranha, mas, para ser honesta, ela realmente parecia como um adereço mal feito. Eu só posso presumir que era outro efeito especial inacabado, ou pelo menos eu espero que seja. Eu observei a mão dele durante o filme inteiro, mas foi difícil conseguir olhar para as suas mãos na maior parte do tempo. Elas permaneceram escondidas principalmente por baixo da manga de suas vestes.