J. K. Rowling

Rowling participa de documentário sobre Esclerose Múltipla

A autora J.K. Rowling concedeu uma entrevista para um novo documentário sobre a esclerose múltipla, a ser transmitido pela BBC da Escócia, segundo reportou sua versão online.
No documentário, Jo fala sobre seu arrependimento por não ter contado para sua mãe, a qual sofria da doença, que estava escrevendo Harry Potter. Ela também comenta sobre a falta de fundos e interesse pela condição:

As pessoas são diagnosticadas e mandadas para casa. É uma frustração para aqueles de nós cujos membros da família têm EM que tão pouco esteja sendo feito, porque é uma condição que altera a vida e muito pode ser feito agora, então por que não está acontecendo?

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Veja uma parte da entrevista aqui, e a tradução do artigo em notícia completa.

O documentário “Hidden Epidemic: The Truth about MS” (“Epidemia Escondida: A Verdade sobre a EM”, sem tradução no Brasil), irá ao ar amanhã às 22:45, horário local, na BBC.

As cenas provavelmente estarão disponíveis na Internet nos próximos dias, então continue de olho no Ish! Aos que se interessarem pela causa no Brasil, por favor, cliquem aqui para maiores informações.

JK ROWLING
O arrependimento Harry Potter de Rowling

BBC News
22 de julho de 2008
Tradução: Renata Grando

A autora best-seller JK Rowling falou de seu arrependimento por nunca ter contado a sua mãe sobre sua famosa criação mundial, Harry Potter.

Ela começou a trabalhar com seus contos do bruxo aprendiz seis meses antes de sua mãe, Anne, morrer de esclerose múltipla aos 45 anos.

Os comentários de Rowling vieram em um programa da BBC da Escócia sobre a doença degenerativa. A escritora expressou frustração com a falta de fundos para pesquisas sobre EM.

Lembrando de sua mãe, a autora de Edimburgo disse: “Eu comecei a escrever Harry seis meses antes de ela morrer. Esse obviamente é um grande arrependimento, porque eu nunca contei a ela que eu estava escrevendo-o. Ela nunca soube nada sobre Harry Potter”.

Falando sobre a dor no decline gradual de sua mãe antes de sua morte em 1990, Rowling disse: “Quando eu saí de casa, ela estava andando sem ajuda. Quando eu me formei, ela estava em uma cadeira de rodas e em casa precisava de um andador. Era horrível ver”.

Rowling, cujos livros Harry Potter se transformaram em uma bem sucedida série global de filmes, disse que sua mãe havia mostrado sinais marcados de sua doença seis ou sete anos antes de ser diagnosticada.

Uma perda de sentido no braço direito havia se espalhado por metade de seu torso em um ano.

Em 2006, a multi-milionária Rowling fez uma grande doação para um centro de pesquisa de esclerose múltipla na Universidade de Edimburgo para ajudar a encontrar uma cura.

Ela agora têm atacado a visível falta geral de fundos e interesse pela condição, que afeta cerca de 500 pessoas na Escócia.

“É uma Cinderela da doença, você ouve isso toda hora porque têm poucos fundos, porque é ignorada”, ela disse.

“Eu acho que é possivelmente comum a muitas condições neurológicas. Simplesmente parece ser uma área que não parece ser muito atrativa para fundos”.

Rowling, benfeitora da Multiple Sclerosis Society Scotland, acrescentou: “As pessoas são diagnosticadas e mandadas para casa. É uma frustração para aqueles de nós cujos membros da família têm EM que tão pouco esteja sendo feito, porque é uma condição que altera a vida e muito pode ser feito agora, então por que não está acontecendo?”