Filmes e peças ︎◆ O Enigma do Príncipe

Jany Tamime fala sobre o figurino de HP à Movie Magic

A edição de julho da revista Movie Magic trouxe um longo especial a respeito do filme Harry Potter e o Enigma do Príncipe. Nós já publicamos as traduções das entrevistas com o ator Tom Felton, David Barron, com os produtores, e também com o diretor de arte Stuart Craig.Hoje nós trazemos outra entrevista, dessa vez com a figurinista Jany Temime, responsável pelas vestes da série desde Prisioneiro de Azkaban.

Nesse filme, o quadribol é trazido de volta e nós introduzimos um novo design para ser usado pelo apanhador e o goleiro, Harry e Rony. O quadribol é um jogo muito perigoso. Nós queríamos ter algo um pouco mais forte em termos de aparência. Existe acolchoamento que vai proteger os ombros e as costas. A capa é algo que você veste para voar. Ela tem um capuz, porque nós somos bruxos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

As adições têm uma inspiração do Futebol Americano, mas não é completamente do futebol americano porque os ombros tinham que ser capazes de se movimentar quando eles estivessem voando. Consideramos talvez introduzir um capacete, mas pensamos que poderia ser demais durante a partida. No entanto, quando eles estão treinando, eles vão usá-lo.

Nós também temos uma nova vestimenta para a Sonserina. Ela é em prata, e tem alguns lindos tons de preto e prata sobre o verde. É muito mais sedosa. Eles parecem muito maiores e mais maneiros. Todas elas, eu acho, parecem fantásticas.

Confiram a tradução na íntegra em notícia completa!

HARRY POTTER E O ENIGMA DO PRÍNCIPE
Vestindo o Corpo Estudantil de Hogwarts

Movie Magic
13 de julho de 2008
Tradução: Daniel Mählmann
Revisão: Renata Grando

Para a figurinista Jany Temime, cada filme Harry Potter apresenta um novo desafio a ser vencido

Jant Temime, nascida na França, recebeu a tarefa de se assegurar de que cada filme Harry Potter trouxesse com eles uma distinção que os separasse dos filmes que os precederam. É um desafio que ela tem vencido repetitivamente, como será visto em novembro quando Harry Potter e o Enigma do Príncipe será lançado. Jany também foi escolhida para trabalhar com os figurinos da final de duas partes, Harry Potter e as Relíquias da Morte. Alguns de seus numerosos créditos fora de Harry includem Invincible (2001), Bridget Jones: O Limite da Razão (2004), Filhos da esperança (2006) e The Fifth Beatle, ainda a ser lançado.
Na entrevista a seguir, Jany discute alguns de seus trabalhos nos filmes Harry Potter, oferencendo uma visão interior dos processos de sua produção.

O que foi desafiador no quesito figurino para o novo filme?
Foi desafiador porque as crianças já não são mais crianças. Eles são adolescentes, quase adultos, para ser honesta. Eles atingiram uma idade na qual primeiro eles precisam ter um estilo muito mais definido do que eles talvez precisassem ter no passado. Eu não estou dizendo que há muitas intrigas entre eles, mas eles precisam ter boa aparência e têm que ser atraentes. Já não se pode mais colocar qualquer coisa neles e eles ficam bem. Ninguém quer ser engraçado ou ridículo, todos querem parecer bem. Nesse filme, foi como vestir 20 adultos, mas ainda assim mantendo um estilo, porque eles possuem um estilo que o público espera que eles tenham.

Nada de novo em particular em termos de roupas?
Houve uma série completamente nova de novos figurinos, que deram bastante trabalho como de costume. Nesse filme, o quadribol é trazido de volta e nós introduzimos um novo design para ser usado pelo apanhador e o goleiro, Harry e Rony. O quadribol é um jogo muito perigoso. Nós queríamos ter algo um pouco mais forte em termos de aparência. O acolchoamento foi introduzido por causa da idade dos jogadores e o perigo, porque eles vão muito mais longe quando têm dezessete ou dezesseis anos. Eles ousam muito mais, então no jogo, sendo mais perigoso, precisam de mais proteções. Existe acolchoamento que vai proteger os ombros e as costas. A capa é algo que você veste para voar. Ela tem um capuz, porque nós somos bruxos. As adições têm uma inspiração do Futebol Americano, mas não é completamente do futebol americano porque os ombros tinham que ser capazes de se movimentar quando eles estivessem voando. Consideramos talvez introduzir um capacete, mas pensamos que poderia ser demais durante a partida. No entanto, quando eles estão treinando, eles vão usá-lo. Nós também temos uma nova vestimenta para a Sonserina. Ela é em prata, e tem alguns lindos tons de preto e prata sobre o verde. É muito mais sedosa. Eles parecem muito maiores e mais maneiros. Todas elas, eu acho, parecem fantásticas.

Estes filmes têm mudado e evoluído conforme passam. Você diria que o desafio também se estende aos trajes?
Constantemente, porque nada é mais difícil do que seqüências, pois você tem que manter um certo estilo, ainda que tenha de inovar. Você precisa inovar a fim de manter a audiência alerta e entretida e, ao mesmo tempo, você precisa dar a ela o que ela espera.

Trabalhar com diretores diferentes nos diversos filmes, cada um traz seu próprio desejo e visão do filme em particular?
Isso foi algo que foi muito emocionante sobre os filmes, mas dessa vez nós temos o mesmo diretor, David Yates, mas nós o amamos. Ele é maravilhoso, muito criativo e realmente tem um sonho no qual trabalhar, então isso foi tudo bem. Tivemos um excelente novo diretor de fotografia, que também foi maravilhosamente artístico e muito desafiador.

Olhando para trás em alguns dos primeiros filmes, quais são os seus sentimentos sobre os trajes? Por exemplo, Prisioneiro de Azkaban de Alfonso Cuarón foi o primeiro a agitar um pouco as coisas em termos da aparência da série, diretamente nos trajes em si.
Para aquele filme, nós escurecemos as cores e incluímos um capuz com as cores das casas no interior, então você imediatamente sabia a qual cada cada estudante pertencia. Para incentivar individualidade, nós demos a todos a escolha de camisetas, coletes, pequenos casacos de lãs e outras variações no uniforme. E com os uniformes de quadribol, a idéia era deixá-los mais modernos, artes semelhantes dos esportes como futebol e rugby. Por isso nós introduzimos listras e números. E pela seqüência de quadribol ser na chuva, nós tivemos de utilizar um tecido impermeável muito moderno, e que por si mesmo deu aos uniformes uma aparência mais contemporânea.

Também não houve uma diferença na maneira de Dumbledore de Michael Gambon, em comparação ao de Richard Harris?
Alfonso queria Dumbledore parecesse como um velho hippie, mas ainda muito chique e com muita classe. Seus trajes anteriores tinham sido bastante pesados e majestosos, mas nós pegamos um pouco de seda e fizemos um tie die nela, de modo que quando Dumbledore está andando por aí, suas vestes esvoaçam atrás dele. É uma aparência muito mais leve, o que também dar ao personagem mais energia. E para algumas pessoas como Pedro Pettigrew, nós adicionamos um terno e cabelos trançados de três pontas da época de 1970. Sua aparência é de congelado no tempo, e se tornou muito reveladoramente exposto e desgastado.

Quando olhamos para Cálice de Fogo, é óbvio que houve um número de oportunidade interessantes para o figurino.
Quando nós estávamos criando o traje para Olho-Tonto Moody, nós nos inspiramos nos faroestes para criarmos sua capa preta. Moody é um guerreiro. O homem não tem casa, não tem um lar. Ele literalmente vive em sua capa. Nós tivemos uma equipe que passou uma semana envelhecendo e desgastando a capa para dar a ela uma aparência digna de uso para a vida toda. E para a aparência do armário de Rita Skeeter, eu fui inspirada pelos anos 1980 – cores fortes, bem angulares e específicas da história que ela está investigando. Por exemplo quando os concorrentes enfrentam o desafio com os dragões, ela está vestida em um material do tipo de pele de cobra, com escamas. Quando ela comparece ao desafio de mergulho, não é nenhum acidente a roupa dela ser um verde venenoso, enjoativo.

Obviamente, você também criou vestimentas distintas para as diferentes escolas que estavam na competição.
Sim, exatamente. As garotas de Beauxbatons são sofisticadas e auto-conscientes, então eu as coloquei no tecido mais sensual e feminino que pude encontrar, uma delicada seda na cor azul da bandeira francesa. O tecido se adere a forma delas, em completo contraste ais uniformes restritivos que as garotas de Hogwarts vestem. Os meninos de Durmstrang radiam uma masculinidade que as garotas nunca haviam visto antes com a bruta, quase primitiva e grosseira vestimenta de lã, pesadas botas e capas de lã.

Cálice de Fogo também teve o Baile de Inverno, que requisitou uma grande quantidade de figurinos também.
Nós preparamos mais de 300 figurinos para o Baile de Inverno sozinho. Primeiro, nós desenhamos os trajes de noite dos meninos. Cada um tinha uma gravata preta ou branca e um bonito colete. Harry veste um colete preto bem clássico. Os Sonserinos têm gravatas brancas, porque se referem a si mesmos como luxuosos. Desenhar os vestidos das meninas levou vários meses, durante os quais 100 costureiros de vestido e artistas de vestimenta estavam fazendo os longos. As meninas estavam tão animadas pelo que elas iam vestir. Era como se elas estivessem indo a um baile de verdade!O vestido de Hermione tinha que ser realmente especial. Eu queria que fosse um vestido de contos de fada, algo que faria todas as crianças engasgarem quando ela entrasse na sala.

E em Ordem da Fênix, um personagem como Umbridge trouxe consigo tanto… rosa.
A cor de seus figurinos era pré-determinada pelo livro: rosa, mais rosa, rosa supremo. Toda vez que a vemos, ela está com um rosa diferente, Conforme ela ganha poder, a cor fica mais forte e mais cruel até que ela acaba no mais profundo cereja. Também, nesse filme trabalhar com Evanna Lynch (Luna Lovegood foi muito interessante. Ela era bem especifica com alguns detalhes.Eu fiz brincos para ela que eram rabanetes vermelhos, e ela insistiu que eles tivessem que ser laranja. Era assim que ela conhecia a personagem. Nós queríamos nos assegurar que o figurino de Luna refletisse uma garota com gostos bem individuais e seus interesses próprios, mas não tão completamente diferente que ela não se encaixasse com os outros.

Você ficou responsável pela adaptação de duas partes de Harry Potter e as Relíquias da Morte?
Sim, e é desafiador também, porque é o fim. Você tem que fazer o final da melhor maneira que puder. É muito desafiador para mim. Eu estou receosa, na verdade, porque eu sempre senti que fazendo o número cinco ou o número seis, você poderia fazer melhor na vez seguinte. Agora é o último, então eu tenho que dar meu melhor. Esse é o fim. É sempre difícil fazer o final, porque é o último que as pessoas vão sempre lembrar.