A Ordem da Fênix ︎◆ Filmes e peças ︎◆ O Enigma do Príncipe

Heyman fala sobre EdP e complexidade de Draco Malfoy

Numa entrevista exclusiva concedida à revista Movie Magic, David Heyman, o produtor dos filmes Potter, falou sobre adaptação do sexto livro, as diferenças entre ele e Ordem da Fênix – também dirigido por David Yates – e o progresso de Tom Felton como Draco Malfoy.

Eu acho que Tom sempre foi maravilhoso, mas ele sempre interpretou Draco Malfoy levemente mais intensificado. Ele tem sido o vilão, é isso que ele é. Mas nesse filme, em parte porque está no livro, parte por causa do que escolhemos para enfatizar no roteiro e parte pelo que David está trazendo como diretor, ele é um papel muito mais complexo – e Tom Felton está adotando isso. Ele é o escolhido assim como Harry é o escolhido. Ele foi escolhido por Voldemort para matar Dumbledore, assim como Harry é “o escolhido” e Voldemort é o seu destino. Draco não está, no geral, confortável com a tarefa que lhe foi dada. Em uma mão, ele está empolgado sobre fazer um nome para ele mesmo e a importancia, mas ele luta com sua consciência e se isso é algo que ele quer ou que deveria estar fazendo. E todas essas nuances que Tom está trazendo a ele são ótimas. Ele parece um personagem mais rico e profundo do que nós tínhamos sido capazes de ver até então.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Confiram a tradução na íntegra em notícia completa, e os scans das páginas em nossa galeria clicando aqui!

Vale lembrar que a entrevista foi feita antes da divulgação oficial de que Relíquias da Morte seria dividido em duas partes, por isso Heyman expõe dúvida quanto à idéia.

Thanks, Tom Felton Daily.

HARRY POTTER E O ENIGMA DO PRÍNCIPE
David Heyman fala sobre sexto filme

Revista Movie Magic
13 de maio de 2008
Tradução: Daniel Mählmann

Como diretor; David Yates está trazendo algo diferente a Enigma do Príncipe depois que ele fez Ordem da Fênix?
Eu acho que a natureza desse filme é um pouco diferente de Ordem da Fênix. Por exemplo, o último foi um filme de golpe firme, muito intenso e obscuro. Esse agora, eu acho, tem mais cores, mais variedade em sua palheta. Eu acho que ele é muito emocional, verdadeiro, engraçado e ao mesmo tempo tem alguns daqueles momentos de adrenalina que eu acho muito empolgantes. Acho que as cores do filme são muito diferentes se comparadas ao último. Eu acho que há mais calor, eu poderia dizer.

Yates está continuando a impulsionar os atores da forma que ele fez no último filme?
Um exemplo perfeito disso é Tom Felton como Malfoy. Eu acho que Tom sempre foi maravilhoso, mas ele sempre o interpretou levemente mais intensificado. Ele tem sido o vilão, é isso que ele é. Mas nesse filme, em parte porque está no livro, parte por causa do que escolhemos para enfatizar no roteiro e parte pelo que David está trazendo como diretor, ele é um papel muito mais complexo – e Tom Felton está adotando isso. Ele é o escolhido assim como Harry é o escolhido. Ele foi escolhido por Voldemort para matar Dumbledore, assim como Harry é “o escolhido” e Voldemort é o seu destino. Draco não está, no geral, confortável com a tarefa que lhe foi dada. Em uma mão, ele está empolgado sobre fazer um nome para ele mesmo e a importancia, mas ele luta com sua consciência e se isso é algo que ele quer ou que deveria estar fazendo. E todas essas nuances que Tom está trazendo a ele são ótimas. Ele parece um personagem mais rico e profundo do que nós tínhamos sido capazes de ver até então. Então eu acho que David está continuando a aprofundar os personagens. E as piadas são realmente muito humanas; o embaraço do romance, de como as pessoas são trazidas separadas e juntas é feito de uma maneira muito verdadeira, mas muito engraçada. Eu acho que ele está fazendo um trabalho maravilhoso. Ouça, eu estou muito empolgado sobre esse filme. Nós apresentamos 20 minutos de fita ao estúdio ontem e eles pareceram muito satisfeitos – mas não vamos iludir a nós mesmos, o que eles poderiam dizer? “Nós estamos em um verdadeiro problema aqui!”?

Isso realmente soa muito empolgante.
Sobre o que eu estou empolgado – e acho que tem sido verdade de cada filme e eu acho que vai ser verdade desse e do sétimo livro também – é que cada um é diferente, e é isso que os tornam tão novos em cada vez.

Como um produtor, há algo especial sobre o fato que há literalmente milhões de pessoas fora daqui que mal podem esperar para ver esse novo filme?
Isso vai soar estranho, mas o que pensamos enquanto um é feito é simplesmente fazer o melhor filme possível. Não se pode pensar sobre a pressão da expectativa do público, porque se nós pensarmos, vamos ficar paralisados. Isso em uma mão, mas em outra, é um verdadeiro privilégio trabalhar em algo onde, com um grau de certa segurança, existe um público. O tamanho do público pode aumentar ou diminuir, dependendo, mas você sabe que cada um dos filmes é bem recebido. O filme de menor sucesso fez $795 milhões ao redor do mundo. Até então, eles sempre têm se saído incrivelmente bem. O terceiro de certa forma levou a um novo começo nos filmes, e o quarto e quinto trouxeram um crescimento. Em parte foi por uma mudança, em parte foi pela época do ano, e todos tipos de fatos contribuíram para isso. Mas lá está um público, e eu provavelmente nunca vou trabalhar novamente em algo onde há essa segurança e certeza de um público esperando. Eu estou tentando curtir isso. Também porque nós o fizemos de forma bem sucedida por cinco filmes, a Warner confia na gente e está apoiando de toda forma. Eles nos deixaram sozinhos e nos encorajaram, não estão respirando em nossos pescoços e são muito generosos, e até mesmo nos permitem fazer os filmes que queremos para fazer e tomar alguns riscos. Mesmo contratar Alfonso Cuarón, em retrospectiva, não foi um risco, realmente foi. David Yates também foi um risco.

Mas permitindo isso, mesmo que esses “riscos” não pareçam seguros, eles parecem ter pago em múltiplas maneiras, que é o porquê da série ter se tornado, como eles proclamam orgulhosamente, a franquia de maior sucesso da história do cinema.
Bem, é muito legal para qualquer um dizer isso, mas alguém pode olhar para o preço do ingresso de cinema e tudo isso tem uma explicação. Ao mesmo tempo, ler sobre isso é algo realmente legal para a minha mãe e meu pai, e para minha esposa também. Eu o levei com uma pitada de sal porque, um, nós estamos no meio disso e dois, eu estou ciente do que o coloca nessa situação.

Mas ainda assim é bem legal. Você alcançou em cinco filmes mais que James Bond fez em 21 filmes e Star Wars, em seis.
Quer saber? Isso é legal. Eu tenho que admitir. É simplesmente ótimo ser parte disso. Obrigado, Jo!

Existe alguma verdade nos rumores da Internet sobre dividir “Harry Potter e as Relíquias da Morte” em dois filmes?
Nós estamos discutindo como vamos fazer sobre o sétimo livro, mas essa discussão não nasceu de nenhuma razão financeira. Em vez disso, a questão é como raios nós vamos condensar esse livro em um filme? Então, sim, há verdade nisso, nós estamos discutindo como vamos fazê-lo, mas nenhuma decisão ainda foi tomada. No número Cinco, por exemplo, você poderia remover Rony jogando Quadribol. Geralmente você pode remover coisas sem afetar muito; certamente situações onde há a história de Rony e Hermione, que realmente não impulsionam adiante a narrativa de Harry. Mas chega um ponto no sétimo onde isso se torna difícil, porque é a resolução, é a solução do que veio antes e a ligação das pontas soltas. É primariamente a história de Harry, e tudo tem um papel nela. Nós estamos apenas tentando imaginar o que fazer. Se nós pudermos fazê-lo em um, nós faremos. Se não pudermos imaginá-lo assim, nós faremos dois, mas com uma janela entre os filmes muito menor do que a comum.

Para esclarecer uma coisa, seus direitos são limitados aos sete livros, certo? Vocês não são capazes de fazer uma aventura original de Harry Potter, são?
Eu acho que nós podemos fazer o que quisermos com as personagens, mas não acho que vamos fazer. Quero dizer, o que poderíamos fazer com Harry? Eu não consigo imaginar. Não é algo que eu provavelmente poderia pensar em fazer, ao menos que Jo Rowling viesse com respostas. Simplesmente não soa confortável comigo. Eu acho que nós não poderíamos fazer nada que não fosser relatado em um material-fonte de Jo.