J. K. Rowling

J.K. Rowling pensou em cometer suicídio anos atrás

A autora J.K. Rowling confessou ao jornal Times Online que pensou em cometer suicídio depois de separar do seu primeiro marido, Jorge Arantes, em 1993, e enfrentar a vida difícil de uma mãe solteira com sua primeira filha Jessica Isabel.
Nossa autora disse que buscou terapia de comportamento cognitivo depois de sofrer “pensamentos suicidas”. Mesmo já tendo comentado sobre ter sofrido de depressão, é a primeira vez que ela fala sobre ter procurado ajuda:

“A vida por volta de 1990 era difícil, mas eu realmente caí no buraco. O que me fez procurar ajuda… Foi provavelmente minha filha. Ela era que me firmava no chão, me segurava firme, e eu pensei: isso não está certo, não pode estar, ela não pode crescer comigo nesse estado”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Jo ainda comenta sobre uma de suas sessões em que sua terapeuta original não estava presente e o hospital mandou uma substituta que a liberou:

“Ela disse: ‘Se você se sentir um pouco para baixo, venha e converse com a enfermeira’ e me liberou”. Rowling adiciona “Nós estamos falando sobre pensamentos suicidas aqui, não um ‘Eu me sinto um pouco miserável”.

Felizmente, duas semanas depois, eu recebi uma ligação da minha terapeuta original que revisou as anotações… Ela me chamou e eu voltei a receber acompanhamento dela.

Ela definitivamente me salvou, hoje não teria a coragem de passar por isso novamente.”

O tratamento cognitivo envolve uma série de sessões desenvolvidas para controlar pensamentos negativos. Departamentos de saúde do mundo inteiro recomendam essa técnica para depressões, bulimia e estresse pós traumático.

“Eu nunca tive vergonha de ter passado por uma depressão, nem mesmo remotamente. Nunca. Por que estaria? Passei por um momento muito difícil, e estou orgulhosa de ter saído dessa.”