Não categorizado

Novas Críticas de Ballet Shoes

Com o lançamento do filme Ballet Shoes nessa semana, vários periódicos britânicos estão fazendo críticas sobre o filme protagonizado pela atriz Emma Watson. Emma foi definida como surpreendentemente boa e o filme como um clássico infantil muito amado.                                         
Ballet Shoes é um clássico infantil, escrito por Noel Streatfield. Mas o extraordinário nesta adaptação é que ela supera a nostalgia, criando um drama inteligente e de nuança que não é somente para crianças, mas sim tão satisfatoriamente doce quanto um chocolate com laranja dentro de uma meia de Natal.

Emma Watson, em seu primeiro papel fora da série “Harry Potter”, é surpreendentemente boa. Todos aqueles primeiros discursos como Hermione se foram, para dar lugar ao retrato natural e adorável de Pauline, a mais velha, que cambia entre ansiedade em relação a sua carreira de atriz que está florescendo, um leve orgulho e um desejo genuíno, como todas têm, de manter esta estranha família unida.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Todas as expectativas foram facilmente alcançadas. O elenco fabuloso incluiu alguns dos nossos atores estabilizados favoritos, mas se algo, eles todos foram ofuscados pelas três jovens atrizes que fazem as três irmãs adotivas na intenção de deixar seus nomes nos livros de história.

Confira as quatro críticas publicadas por periódicos britânicos, traduzidas, em notícia completa.

EMMA WATSON – BALLET SHOES
As irmãs estão se virando sozinhas

The Daily Record – Graham Keal And Paul English
22/12/2007
Tradução: Bruna Moreno

Um rico, porém mal-humorado e velho solteiro caçador de fósseis, se vê como o guardião relutante de sua sobrinha órfã Sylvia e sua babá na Londres Edwardiana.

Inesperadamente, ele começa a gostar de Sylvia. Gosta tanto, na verdade, que começa a recolher bebês abandonados em suas viagens e a trazê-las dentro da mala para sua casa.

Este é começo para esta deliciosa confecção saudosista baseada no clássico romance de Mary Noel Streatfeild, adaptada pelo escritor Heide Thomas de Cranford e que ostenta uma equipe cheia de estrelas, incluindo Richard Griffths como Tio ‘Gum’ e Victoria Wood como a babá.

Assim que todas as bebês chegam, a ação avança para os anos 30, quando as meninas começam a se transformar em jovens mulheres. Emilia Fox toma o papel de Sylvia, com Emma Watosn, Yasmin Paige e Lucy Boyton como as três órfãs mais novas, Pauline, Petrova e Posy.

Mas suas tranqüilas vidas na enorme casa londrina passam a ter os dias contados depois que Gum vai vaguear por Galapagos, deixando dinheiro suficiente para cinco anos.

Depois que o dinheiro acaba e ainda não há sinal dele, Sylvia e sua fiel babá passam a hospedar inquilinos – o que leva a um fluxo de excêntricos. Tem o silenciosamente melancólico Mr Simpson (Marc Warren, interpretando um rapaz bonzinho pela primeira vez na vida), a exótica e teatral dançarina Theo (Lucy Cohu) e os aposentados de meias azuis compridas Dr Smith e Dr Jakes (Harriet Walter e Gemma Jones).

Mas, apesar dos novos moradores, a família continua a um passo da falência, até que as três jovens garotas começam a se virar do seu próprio jeito no mundo e encontram seus destinos ao realizarem seus maiores sonhos.

Para Pauline, é uma carreira de atriz, para Petrova, é qualquer coisa que se relacionar com máquinas e vôo, e para Posy é a vida como a bailarina principal, sob os olhos pequenos e brilhantes de Madame Fidolia, papel de Eileen Atkins.

A maioria delas exagera na interpretação pelo o que valem, mas é bastante divertido e cheio de um falso estilo dos anos 30.

EMMA WATSON – BALLET SHOES
Emoção Doentia

The Scotsman – Andrea Mullaney
22/12/2007
Tradução: Bruna Moreno

As garotas vão ficar entrar em êxtase perante o balé clássico mas, agora falando sobre “Dança Comigo”, será que vamos ter muito Bruce?

Ainda nem é Natal e eu já ganhei meu presente: um grandioso convite nostálgico na forma de “Ballet Shoes”. Agora, é aqui em que nossos leitores se dividem: metade de vocês está dizendo “hmmph, o que é isso?”, enquanto a outra metade está vibrando mentalmente: “Ballet Shoes! Com Pauline, Petrova e Posy Fossil!”.

Cavalheiros, “Ballet Shoes” é um clássico infantil muito amado, escrito por Noel Streatfield. Mas o extraordinário nesta adaptação é que ela supera a nostalgia, criando um drama inteligente e de nuança que não é somente para crianças, mas sim tão satisfatoriamente doce quanto um chocolate com laranja dentro de uma meia de Natal.

Três bebês sem parentesco são acidentalmente adotadas por um excêntrico explorador dos anos 30, que as larga com sua sobrinha (Emilia Fox) e Nana (Victoria Wood), antes de desaparecer em uma jornada. Anos depois, elas estão completamente, ainda que distintamente, sem dinheiro. Elas hospedam inquilinos, incluindo Marc Warren de Hustle, e as então adolescentes são mandadas para uma escola de teatro, onde elas tentam alcançar o trabalho que lhe dará o dinheiro tão necessitado.

Em uma sociedade onde pessoas jovens estão crescendo assumindo que a fama é puramente desejável por seu próprio objetivo, este é um antídoto bem-vindo, mostrando os aspectos adversos das artes cênicas. Apesar de trazer uma boa sensação, o filme não se intimida em mostrar crianças se comportando mal e enfrentando tensões creditáveis, medos e inseguranças. Um enredo alternativo dá aos adultos um romance encantador, e este detalhe não é exagerado.

Emma Watson, em seu primeiro papel fora da série “Harry Potter”, é surpreendentemente boa. Todos aqueles primeiros discursos como Hermione se foram, para dar lugar ao retrato natural e adorável de Pauline, a mais velha, que cambia entre ansiedade em relação a sua carreira de atriz que está florescendo, um leve orgulho e um desejo genuíno, como todas têm, de manter esta estranha família unida.

Yasmin Page, da série “The Sarah-Jane Adventures” é tão excelente como a irmã do meio, Petrova, a mais esquisita – enquanto Pauline se torna uma estrela e Posy uma futura bailarina, a pobre Petrova é “lixo”, e prefere muito mais se tornar uma pilota como Amy Johnson. Mesmo assim, ela se força a caminhar dolorosamente pelas audiências humilhantes e nas partes de figurante.

Ballet Shoes foi lindamente adaptado por Heide Thomas, que também é responsável por outros excelentes scripts, como o adorável “Cranford” e a versão cinematográfica de outro favorito das crianças, “I Capture The Castle”. O rei das adaptações dos clássicos, Andrew Davies, deveria assistir esta.

EMMA WATSON – BALLET SHOES
Revisão de TV – Ballet Shoes, BBC Um, Dia depois do Natal

TV Scoop – Anna Waits
27/12/2007
Tradução: Raquel Monteiro

A novela de Noel Streatfield, Ballet Shoes, foi amada por garotinhas e por garotas nem tão pequenas por décadas agora, então era importante que a BBC fizesse justiça com a adaptação deles do Dia depois do Natal. BBC fazendo um drama periódico – você esperou que falhasse?

Claro que não, e todas as expectativas foram facilmente alcançadas. O elenco fabuloso incluiu alguns dos nossos atores estabilizados favoritos – incluindo Dame Eileen Atkins, Victoria Wood, Marc Warren e Emilia Fox – mas, se algo, eles todos foram ofuscados pela das três jovens atrizes que fazem as três irmãs adotivas na intenção de deixar seus nomes nos livros de história.

A história acompanha três pequenas órfãs que foram adotadas por um excêntrico paleontólogo, Gum, (Eu aposto que a maioria dos paleontólogos são excêntricos) que geralmente vai em viagens em torno do mundo, deixando-as aos cuidados de Sylvia (Fox) – a primeira pessoa a caridade de Gum – e Nana (Wood). As preocupações com dinheiro fazem com que Sylvia convide inquilinos a ficar na casa enorme, e são esses recém-chegados que puseram as meninas no caminho ao estrelato.

O primeiro a chegar é Sr. Simpsons, feito por Marc Warren de uma forma excepcionalmente diminuída – realmente ele é um dos nossos atores mais versáteis. Tranqüilo, reservado, e claramente sentindo os efeitos de alguma tristeza recente, ele rapidamente fica amigo da menina do meio Petrova, que é obcecada com motores e abençoada com o bom sentido, e portanto o ajuda com seu fabuloso motor do carro. As outras meninas – Pauline e a pequena Posy – são muito mais extrovertidas e caprichosas do que sua irmã ajuizada, e são imediatamente tomadas por outro inquilino, Senhorita Theo Dane. Theo era atriz e agora ensina na escola Madame Fidolia dando aula de artes, o que ela sugere que as crianças assistam.

Dentro de algum tempo, fica claro que Pauline e Posy foram destinadas ao palco. Pauline é uma atriz natural (depois de algum treinamento de pentâmero dos inquilinos finais, acadêmicos Dr. Jakes e Dr. Jones) e Posy é uma promessa com o seu balé que ela é tomada sob a tutela direta de Madame. Entretanto, Petrova pega pequenos papéis para atuar para ajudar com as contas, mas o que mais gosta é de trabalhar no carro de Sr. Simpson, e uma relação encantadora desenvolve-se entre Sr. Simpson e Sylvia.

E isso, bastante simples, é o traçado principal da história. Não acontece um monte de coisas, mas como eu disse antes, o verdadeiro prazer vem da atuação das meninas que fazem as irmãs. Como a mais velha, Pauline, Emma Watson saiu imediatamente da sombra de Hermione Granger e mostrou ser inacreditavelmente talentosa. Petrova foi feita por Yasmin Paige que simplesmente continuou o seu maravilhoso trabalho como em Maria nas Aventuras de Sarah Jane. E finalmente Lucy Boynton, como Posy, impressionando não só com a sua atuação, mas também com o seu balé – finalmente, uma atriz que faz uma bailarina supostamente talentosa que realmente pode dançar belamente.

Fique de olho nessas três. Se houver alguma justiça elas serão enormes estrelas – talvez tão celebradas como Victoria Woods e Eileen Atkinses no nosso tempo? É uma vergonha que isto, indo até 10pm, foi possivelmente perdido pelas garotinhas que o teriam amado mais.

EMMA WATSON – BALLET SHOES
Televisão – Ballet Shoes

The Financial Times – Karl French
24/12/2007
Tradução: Raquel Monteiro

Há vários deleites em potencial ainda nas lojas até semana que vem ou por ai, mas o que se destaca na estação até aqui é Ballet Shoes (BBC2 8.30 pm), um elegante, quase imaculada adaptação executada de um livro de crianças muito amado entre as guerras. Para aqueles estranhos com a novela – isto é, homens – ela é a história de três meninas adotadas e dadas o sobrenome apropriado Fossil por um caçador de fóssil esquisito, Grande Tio Matthew (Richard Griffiths).

Matthew, conhecido como Gum, rapidamente desaparece, abandonando as três meninas com sua pura sobrinha Sylvia (Emilia Fox), e as crianças logo resolvem fazer a sua marca no mundo nos seus respectivos campos: atuação, balé e aeronáutica. É tudo muito antiquado e terrivelmente doce e parece estranho que seja mostrado tão tarde, quando ele apelaria seguramente pra maior parte das meninas pré-adolescente que são fãs do livro e a meninos que são fãs de Emma “Hermione Granger” Watson, ótima como Pauline, a mais velha das meninas Fossil.

No decorrer da ação, Pauline refere-se casualmente à assistência de uma das suas performances como as jovens princesas Elizabeth e Margaret Rose, que estão no coração da Monarquia de David Starkey: os Windsors (Canal 4 8.30pm).

De fato as duas estrelas do show são Elizabeth e próprio Starkey, e você pode sentir bem que, quando ele fala do impacto no momento feito atravez da transmissão pela televisão da coroação do monarca presente, ele põe um tanto demasiada ênfase em como ele se introduziu com seus oito anos tanto à monarquia como à televisão. Embora isto seja tão vivo e autoritário como nos filmes prévios desta série longa, Starkey é impedido pela mesma familiaridade com a matéria sujeita desta vez e ele luta para trazer uma perspectiva fresca à sua história colorida de morte, renovação, abdicação e divórcio.

Significativamente, a parte mais empolgante no filme é a seção final, na qual ele vira a sua atenção ao seu assunto de estimação, os detalhes arcanos da história constitucional – ou, melhor, o futuro constitucional, já que ele imagina que o papel pode ser feito pelo nosso seguinte monarca, e embaixo de que nome. Starkey realça o quão vital um papel no sistema de honras continuará sendo embora este assunto fosse sem dúvida muito distante da sua mente durante as suas observações finais, que se encontram como algum filme promocional do reino do futuro rei.

Em outro lugar há uma adaptação sólida da Velha Loja de Curiosidades (ITV1 9.00pm) que alardeia de um par de realizações centrais de peso pesado: Derek Jacobi traz muita compaixão ao papel do avô fraco do pobre Pequeno Nell, enquanto Toby Jones afunda os seus dentes no papel do vil Quilp, um sortimento de frutos do mar e ovos duros e, no que diz respeito ao assunto, um pouco do cenário enquanto ele está nele.

Ocasionalmente, alguém que acredita que Dickens não tem nenhuma relevância contemporânea deve ser apontado na direção de uma dessas histórias sombrias, nas quais os dependentes de um “ainda muito” caráter central vivo procuram tê-lo declarado morto e ir a uma sepultura aquosa, para reclamar da sua garantia de vida.