J. K. Rowling

JK Rowling responde perguntas de fãs

Com o lançamento do livro Harry Potter e as Relíquias da Morte, muitas perguntas surgem na cabeça dos fãs, perguntas que não foram respondidas pela autora, no último volume da saga.Em sua entrevista com a Revista Time e em webchats com fãs, a autora JK Rowling revela mais alguns segredos sobre o desfecho da série.

Por ser composta de inúmeros spoilers, você só poderá conferir a notícia na íntegra clicando em Notícia Completa.

Continue after the AD

Este artigo contém spoilers!
Se mesmo assim deseja lê-lo integralmente, clique em Notícia Completa.
Para mais informações ou dúvidas, consulte nossa Política Anti-Spoilers.

HARRY POTTER E AS RELÍQUIAS DA MORTE
Entrevista na TIME ~ JK Rowling

23 de Dezembro de 2007
Tradução Inglês: Renan C. C. Silva

Em sua entrevista com a TIME e em webchats com fãs, a autora de Harry Potter revela mais alguns segredos.

1. Por que Fred também não aparece no bosque no final?
“Sabe de uma coisa? Eu nunca sequer pensei em Fred voltando. Foi como sempre planejei, de quando o primeiro livro foi finalizado, de que os três marotos e a mãe dele voltariam. Havia quatro heróis como era na geração anterior e um deles traiu os outros, e então houve os três. Então eu quis que Harry fosse rodeado por sua mãe e Tiago e Sirius e Lupin, todos que tinham morrido de alguma forma por ele. Você sabe que Lupin tinha abandonado sua vida na batalha de Harry, ele não tinha que voltar, não tinha que lutar. Tiago tinha morrido tentando proteger sua família; Sirius muito obviamente tinha morrido lutando junto com Harry, e então sua mãe que mais explicitamente tinha morrido por ele. Eu nunca pensei em trazer Fred de volta de maneira alguma. Era toda a geração anterior, e todos eles eram firmemente figuras paternas para Harry.”

2. Harry morreu?
Rowling escreveu isso muito cuidadosamente, então poderia ser lido de duas formas. “Ele simplesmente entrou em um estado de inconsciência em que seu subconsciente lhe diz tudo que precisa saber? Dumbledore não lhe diz nada que ele não podia ter entendido com algums palpites instruídos.” Mas na mente dela, Harry entrou em um limbo entre a vida e a morte, e encarou uma escolha sobre que caminho seguir.

Ela explica em seu site que esse encontro envolve algumas leis muito profundas da magia, que o próprio Voldemort não entendia: “Tendo colocado o sangue de Harry em si mesmo, Voldemort está mantendo vivo o poder protetor de Lílian sobre Harry – exceto que o poder do sacrifício de Lílian é uma força positiva que não apenas continua a amarrar Harry à vida, mas dá ao próprio Voldemort uma última chance… Voldemort inconscientemente colocou algumas gotas de bondade de volta em si mesmo; se ele tivesse se arrependido, podia ter sido curado mais profundamente do que qualquer um teria suposto. Mas com certeza, ele se recusou a sentir remorso.” Também, desde que Voldemort está usando a Varinha das varinhas, que na verdade pertence a Harry, nem a Cruciatus nem a maldição da morte funcionam direito. “A maldição Avada Kedavra, entretanto, é tão poderosa que machuca Harry, e também consegue matar a parte dele que não é realmente ele, em outras palavras, o fragmento da própria alma de Voldemort que ainda está se agarrando a dele. A maldição também incapacita Harry grave o suficiente que ele podia ter sucumbido à morte se tivesse escolhido essa trajetória.”

3. A pergunta que a surpreende: O que era aquela criatura no canto em King’s Cross?
“O impulso de Harry, ao ponto de total teimosia, é salvar. Sua mais profunda natureza é tentar e salvar, mesmo quando ele está errado em fazê-lo, quando é conduzido à armadilhas – ‘Eu tenho que salvar, eu tenho que tentar proteger’ – porque ele foi deixado com esse legado muito desgastante de sua mãe que se sacrificou por ele e agora ele vai embora e tenta salvar o máximo de pessoas que puder.”

Mas esse encontro com Voldemort é diferente. “Pela primeira vez ele se aproxima dessa criatura vulnerável, nua, mutilada e quer ajudar, mas sente repulsa pela primeira vez pelo sofrimento. E ele está certo em sentir isso. É algo que deliberadamente se auto mutilou como o foi, é o último pedaço dilacerado da alma de Voldemot. Eu tenho que explicar porque muitos perguntaram.”)

4. A pergunta que ela temia receber: De que era feita a varinha de Dumbledore?
“Essa teria sido uma pergunta bastante comprometedora. Porque eu tinha essa coisa de sabugueiro na minha mente, porque sabugueiro tem essa associação no folclore, é a árvore da morte. Eu pensei ‘o que vou dizer?’ Deixaria escapar uma pista muito grande. Mas não perguntaram.

5. O que Dumbledore realmente viu no Espelho de Ojesed?
Sua família, viva e completa e reconciliada.

6. Onde as crianças bruxas estudam antes de Hogwarts?
A maioria é lecionada em casa, porque elas não são realmente capazes de controlar seus poderes então seria perigoso demais deixá-las por aí.

7. Harry e Voldemort são parentes?
Sim, distantemente, através dos Peverell; mas quase todas as famílias bruxas são aparentadas se você voltar longe o suficiente.

8. Com quem Draco Malfoy casa?
Astoria Greengrass, irmã mais nova da família Greengrass. Nós conhecemos Daphne Greengrass, parte do grupo da Sonserina de Pansy Parkison, no livro V quando Hermione presta seus N.O.Ms. Neville se casa com Ana Abbott, que se torna a proprietária do Caldeirão Furado. “Eu tenho tudo planejado em minha mente porque eu não poderia deixar de fazer isso.”

9. Onde trabalham os personagens principais quando adultos?
Harry e Hermione estão no Ministério: ele acaba liderando o departamento de Aurores. Rony ajuda Jeorge na loja de logros e faz muito bem. Gina torna-se uma jogadora profissional de Quadribol e depois correspondente de esportes do Profeta Diário.

10. Teddy Lupin era um lobisomem?
Não, ele era um Metamorfomago, como Tonks (que, por falar nisso, era uma Lufa-Lufa).