Filmes e peças ︎◆ J. K. Rowling ︎◆ Livros

Primeiro Harry Potter dos cinemas não foi de JKR

Por mais estranho que isso possa parecer, o primeiro “Harry Potter” dos cinemas não foi baseado na série escrita por J. K. Rowling, e sim um personagem do filme “Troll”, digirido por John Carl Buechler e lançado em 1986.
No entanto, o que seria apenas um nome, certo? O mais chocante, no entanto, é que há muitas similaridades entre eles: um jovem rapaz entra num mundo paralelo, cheio de magia e travessura, e descobre que tem que salvá-lo de um mago cruel e poderoso.

O filme, feito mais de uma década antes do livro Harry Potter e a Pedra Filosofal ser publicado, foi um sucesso de baixo orçamento na América quando foi lançado.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Agora “Troll”, que clama pelo título de “o primeiro filme de Harry Potter”, está para ser refilmado pelo mesmo diretor, mas com um orçamento bem maior. Ele será lançado no final do próximo ano, e Buechler, mago veterano de efeitos especiais, tem até falado sobre uma franquia de filmes da escala de “O Senhor dos Anéis” ou a seqüência sobre “Nárnia”, e afirma que está procurando atores de qualidade “A” para o novo elenco. Ele planeja oferecer pequenas participações para o elenco do primeiro filme, incluindo a estrela de Seinfeld, Julia Louis-Dreyfus, que fez sua estréia cinematográfica em “Troll”.

Um porta-voz de Rowling falou para “The Observer” neste final de semana, que a autora não é contrária aos planos de refilmagem de “Troll”. Ele declarou que ela nunca viu o filme original, ao contrário das especulações na internet sobre as similaridades entre os enredos e o mesmo nome do personagem herói.

Para saber mais sobre o filme, clique em notícia completa.

HARRY POTTER
A segunda versão para o primeiro Harry Potter

The Observer ~ Vanessa Thorpe
07 de outubro de 2007
Tradução: Virág Venekey

Um jovem rapaz entra num mundo paralelo, cheio de magia e travessura, e descobre que tem que salva-lo de um mago cruel e poderoso. Se esta é uma história que soa familiar, a notícia de que o rapaz mencionado tem o nome de Harry Potter podem confirmar que estamos num território narrativo muito bem conhecido.

Ainda que este não seja o trabalho de JK Rowling. Este é o enredo de um filme de fantasia infantil de 1986, quase uma década antes da Escola de Hogwarts ser imaginada. Agora está para ser refeito em Hollywood.

“Troll”, dirigido por John Carl Buechler, foi um sucesso de baixo-orçamento na América quando foi lançado. O “Boston Globe” chamou-o de “uma surpresa excitante e sombria” e o filme arquivou uma reputação apenas falada após conseguir o terceiro lugar nas bilheterias no seu final de semana de estréia, apesar do fato de ser contra o arrasa quarteirões “A Hora do Pesadelo II”. Desde então ganhou status de “culto” como uma antiguidade entre filmes de aficionados.
Agora “Troll”, que clama pelo título de “o primeiro filme de Harry Potter”, está para ser refilmado pelo mesmo diretor, mas com um orçamento bem maior. O novo filme será lançado no final do próximo ano, e Buechler fala que espera lançar uma série de animação na TV e uma linha de brinquedos acompanhando o acontecimento. O diretor, e mago veterano de efeitos especiais, tem até falado sobre uma franquia de filmes da escala de “O Senhor dos Anéis” ou a seqüência sobre “Nárnia”, e afirma que está procurando atores de qualidade “A” para o novo elenco. Ele planeja oferecer pequenas participações para o elenco do primeiro filme, incluindo a estrela de Seinfeld, Julia Louis-Dreyfus, que fez sua estréia cinematográfica em “Troll”.

Todo o material de publicidade anterior para a refilmagem por Buechler e da produção da MoviePlus tem sido cuidadosamente acompanhada por uma extensiva negação, de que “Troll” não tenha sido “preparado, aprovado, ou licenciado por alguma entidade que criou ou produziu a série de livros sobre Harry Potter de JK Rowling, ou a série de filmes sobre Harry Potter da Warner Bros”. Deixa bem claro que “os personagens Sr. Harry Potter e Harry Potter Jr não estão relacionados ou inspirados no livro e no filme de JK Rowling e da Warner Bros”. Harry Potter e sua família foram personagens de um filme de 1986, “Troll”, que foi criado de forma independente e distribuído antes do primeiro livro de JK Rowling. Apesar desses esclarecimentos, não parece que o filme vá ter uma saída livre, sem controvérsias, nos cinemas.

Um porta-voz de Rowling falou para “The Observer” neste final de semana, que a autora não é contrária aos planos de refilmagem de “Troll”. Ele declarou que ela nunca viu o filme original, ao contrário das especulações na internet sobre as similaridades entre os enredos e o mesmo nome do personagem herói.

Buechler, que dirigiu a sétima da seqüência de sucesso “Sexta-feira 13”, disse que quer enfatizar o apelo familiar da história nesta refilmagem e colocar menos peso nos efeitos especiais e contexto de horror do original. “É tudo sobre as crianças”, afirmou ele. “Eu quero fazer um filme que toda a minha família possa assistir”.

Na história de Buechler, que ele co-escreveu no final dos anos 80, a família Potter se move para um novo apartamento em São Francisco, onde uma bruxa está aprisionando Torok, um mago maligno ou troll. Torok, que pode transformar partes de si mesmo em outros personagens, se disfarça como a irmã de Harry Potter e começa a transformar todos os apartamentos do quarteirão numa floresta cheia de criaturas fantásticas.

O guia de filmes “Time Out” conclui que o original “tem o balanço exato entre a fantasia infantil e uma agradável auto-paródia”, mas Buecher tem planos maiores para essa refilmagem. “A grandeza desta é enorme”, afirma ele. “Eu acho que vai ser uma espécie de cruzamento entre Senhor dos Anéis e Nárnia. Eu estou realmente animado desta vez. Na verdade a tecnologia atrapalhou a visão do mundo mágico no original, cheio de personagens de fantasia, e agora eu vou ter um orçamento suficientemente grande para fazer da forma correta”.

A nova versão de “Troll” vai ser produzida por Steve Waterman, que produziu “Pequeno Stuart Little”, “Gasparzinho” e “Alvin and the Chipmunks” A equipe de artistas dos efeitos especiais de Buechler também será reunida 20 anos depois. “A diferença é que eles estavam apenas começando no passado, e agora muitos deles já ganharam prêmios Emmy e Oscars”, conta ele.