Não categorizado

Nova entrevista com Dan e novo photoshoot

As notícias sobre Dan não param! A webmaster do site DR.co.uk publicou uma entrevista feita pelo telefone com ele na semana passada, na qual conversam sobre as experiências, os simbolismos e a razão por ele ter escolhido December Boys. Segue um trecho abaixo:

“Para ser sincero, não há como saber. Se aparecer um script com certeza eu adoraria fazê-lo, mas eu nunca me limitaria dizendo que irei fazer um filme indiano, irei fazer um blockbuster, irei fazer uma peça… O que aparecer , se for realmente bom eu farei.”

A tradução da entrevista pode ser encontrada em notícia completa, e podemos ouvir parte do áudio da entrevista aqui.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Além disso, lembram-se de duas fotos que apareceram numa matéria do Herald Sun? Elas foram tiradas de um photoshoot realizado em Sidney durante a promoção de December Boys. Graças ao site DR.de, nós agora podemos mostrar as 20 fotos tiradas na ocasião. As imagens já podem ser vistas em nossa galeria clicando aqui.

Thanks DR.co.uk and DR.de!

Atualizado: Os scans da revista Inside Film foram divulgados pelo DR.com. Há algumas novas fotos do ator, tiradas pelo fotógrafo Dennys Ilic, e você pode vê-las clicando aqui.

DANIEL RADCLIFFE
Entrevista por telefone

Dan Radcliffe.uk
7 de setembro de 2007
Tradução: Anna Zanichello

Page: Oi Dan!
Dan: Olá Page, como você está?

Page: Estou bem e você?
Dan: Eu estou muito bem obrigada.

Page: Aqui estamos de novo.
Dan: [risadas] Aqui estamos de novo, mas por um filme diferente desta vez.

Page: Sim! Parabéns! Vou tentar ser rápida, pois sei que só temos 10 minutos, vamos direto ao assunto!
Dan: Fantástico. Muito obrigada.

Page: Okay. Existe alguma razão para o filme estar sendo lançado tanto tempo após o término das filmagens?
Dan: Para ser honesto com você Page, é só… você sabe como as coisas são… é um filme independente e então geralmente leva mais tempo para o filme ser distribuído. Com Potter, o lançamento é garantido em todos os cinemas de todos os lugares,mas filmes como December dão mais “trabalho”.

Page: Oh sim. Você pode falar um pouco sobre o Catolicismo e o simbolismo religioso que definitivamente prevalece neste filme. Como foi para você atuar neste ambiente e por que você acha que Maps vira um padre?
Dan: Bom… Eu acho que Maps se torna um padre por que… porque sua experiência é como um trauma do mundo… é tão destrutivo para ele, que eu acredito que sua vontade é se afastar desse mundo para não ser ferido novamente. Esse é meu ponto de vista. Mas também, em termos do Catolicismo no filme… Eu acho que é natural que aja resistência sobre a religião no filme porque esses meninos cresceram em um orfanato católico. Então para mim… é isso… as coisas passam pelo contexto dos meninos. Obviamente existe muito simbolismo neste filme com a Virgem Maria e coisas assim mas eu quero dizer … isso … não se vai muito fundo nessas relações……não coloca nenhuma mensagem particular a respeito, é somente o que os garotos julgam de si mesmos.Isso … é o que se tornaram seus valores.

Page: Em December Boys existem cinco garotos, mas no filme são só quatro.
Dan: Sim.

Page: Deveríamos esperar que o quinto garoto esteja narrando o filme para nós?
Dan: Não. A história é narrada por Misty, que é o personagem de Lee Cormie. Hum, ele… o quinto garoto..Eu quero dizer, no livro são cinco garotos, e a idade deles varia dos 5 aos 9 anos, eles são bem mais novos.E livro é…Eu ouvi dizer a um tempo atrás que o livro seria relançado para coincidir com o filme, e realmente dei risada, pois são duas histórias muito diferentes.Qualquer um que leu o livro ficará chocado em ver como eles são diferentes.
Porque essa é uma das melhores coisas, eu acho… A déia de transformar este livro em um filme está sendo cogitada a 40 anos, e originalmente era muito parecida com o livro. Ele iria ser dirigido por um cara famoso por filmes de terror, e na época todos os estúdios disseram: WOW! Esse será nosso próximo filme. Nenhum deles leu o livro. Até que foram descobrindo que se tratava de um filme infantil, e não um blockbuster de horror. Então o projeto ficou passando de estúdio em estúdio por 40 anos… e foi sendo modificado até se tornar o filme que vemos hoje.

Page: Você é permitido de falar com sotaque australiano para nós hoje?
Dan: Não, infelizmente terão que esperar o lançamento do filme.

Page: Existe um comportamento um tanto estranho no filme, como roubar coisas… O que nos dá uma ótima impressão do que podemos esperar do filme, o que eu acho muito bom, foi legal ter esse tipo de comportamento sabendo que a mídia não poderia ficar horrorizada com você por estar escrito no script?
Dan: Sim, foi muito divertido se pensar nessa maneira que você colocou. Sim foi muito bom. Muito agradável. Mas todo o filme foi você sabe uma ótima experiência, uma grande diversão. Particularmente trabalhar com os outros garotos foi muito bom!

Page: Como você se sentiu sobre… bom, na vida real você é filho único, como foi de repente ter três irmãos [Dan dá risadas] e ser um “protetor”?
Dan: [risadas] Eles são crianças maravilhosas. São inteligentes, sensíveis, engraçados, você sabe, foi muito bom estar com eles, conhecê-los, saber como cada um é bem no fundo.

Page: Você se achou desprotegido deles?
Dan: Eu me achei com certeza protetor deles. Eu não acho que estava desprotegido. E a razão é que simplesmente porque minha experiência na idade deles foi tão positiva que eu quis dar a eles a mesma sensação que eu tive enquanto filmávamos.

Page: Maps não fala muito neste filme, o que te força a utilizar mais suas expressões faciais. Foi difícil?
Dan: Foi. Diálogo torna as coisas muito mais fáceis, esse foi meu maior desafio neste filme e a parte que mais gostei de interpretar… somente usando meus pensamentos. Foi uma grande diversão para mim, foi uma coisa que ainda não havia feito em Potter.

Page: Você acha que existe alguma relação em escolher papéis onde o personagem não possui os pais ou não os conhece. Harry não tem pais, os pais de Alan Strang eram estranhos e ele se sentia órfão. É uma coincidência que você tenha escolhidos papéis similares neste ponto?
Dan: Sim, com certeza. Eu nunca planejei ir por esse caminho, você sabe… isso aconteceu!

Page: Okay. E você também mencionou que escolheu este papel porque o script era muito bonito, e eu não sei você deve ter ouvido falar que Mark Rosenbergh ganhou um prêmio pelo script…
Dan: Eu sei! Fantástico!

Page: … Você já leu o livro e se sim, você ficou satisfeito pela maneira com a qual foi escrito?
Dan: Sim… Eu falei com o diretor Rod Hardy e perguntei a ele se deveria ler o livro e ele me disse “Dan, honestamente, o script é tão diferente do livro… eu acho que você não acrescentara nada o lendo…” Então eu realmente não li o livro. Mas, o script era… normalmente scripts são muito parecidos…porque as direções são basicamente iguais…muito formais…sabe “ele vai para lá, ela abre a porta”. Mas este era tão maravilhoso, e realmente interessante… era excitante ler, instantaneamente as imagens apareciam na minha cabeça…Então esse foi um dos principais diferencias que me fizeram optar por este por este filme entre tantos.

Page: Você teve que aperfeiçoar de alguma forma sua maneira de interpretar por estar em um filme independente, com um orçamento bem mais baixo que blockbusters como Harry Potter?
Dan: Não… Não particularmente. Geralmente…sua atuação é igual…para ser sincero você só faz mais cenas por dia. Essa é a única diferença, você tem que se preparar mais do que para os outros filmes.

Page: Você espera poder fazer outro filme independente como December Boys?
Dan: Para ser sincero, não há como saber. Se aparecer um script com certeza eu adoraria fazê-lo, mas eu nunca me limitaria dizendo que irei fazer um filme indiano, irei fazer um blockbuster, irei fazer uma peça… O que aparecer , se for realmente bom eu farei.

Page: Okay. Poderemos ver algum dia, um livro de poesias publicado por você?
Dan: … Se… se você espera, será um longo tempo longe [Page dá risadas].

Page: Isso é tudo que tenho Dan!
Dan: Fantástico!

Page: É isso, consegui em 10 minutos (todos riem).
Dan: Brilhante. Muito obrigado Page!

Page: Obrigada por ligar, gostei muito!
Dan: Se cuida

Page: Tchau, você também.