Livros

Rock Bruxo na MTV

A MTV americana divulgou na quarta feira, dia 6, um artigo no site falando sobre o gênero de música do fandom de Harry Potter: o Rock Bruxo. O artigo comenta bandas conhecidas pelo público em questão, como ‘Harry and The Potters’, ‘Draco and the Malfoys’ e ‘Whomping Willows’.

O ponto principal do artigo é o fato de que embora não seja inédito que bandas façam homenagens a artistas de outras fontes culturais, o ‘Rock Bruxo’ não é uma música ou mesmo um disco conceitual, o Rock Bruxo é efetivamente um novo gênero.

Continue after the AD

Agora só falta a MTV Brasil seguir o exemplo e dar espaço para as bandas do fandom nacional.

Atualizado: A tradução da notícia completa pode ser vista aqui.

Thanks, Mugglenet.

O fandom de Harry Potter atinge um nível mágico com bandas de Rock Bruxo
Jennifer Vineyard
08 de junho de 2007
Traduzido por: Patricia Abreu

Grupos como ‘Draco and the Malfoys’ e ‘Whomping Willows’ estão até tentando salvar o mundo como Harry com caridade.

Dois irmãos — ambos chamados “Harry” — perguntam à multidão do Knitting Factory em Nova Iorque, “Quem é o cara?” Os fãs gritam nomes de volta, e o mais novo dos dois diz “Voldemort? Rupert Murdoch? Vocês têm uma boa idéia. Vamos grudar no cara”.

Eles começam a tocar air guitar (guitarras imaginarias) e riem, “Tragam harmonia ao universo!” antes de gritarem arrebatadoramente “A Arma”.

Você pode estar pensando: Claro, Rupert Murdoch, mas Voldemort? Que tipo de show é esse?

Fãs dos livros e filmes de Harry Potter fizeram uma coisa mágica — e praticamente inédita — com sua devoção: eles a transformaram em músicas. Sim, já houve músicas inspiradas em outras séries de livros e filmes (pense em Led Zeppelin e “Senhor dos Anéis”), mas o rock bruxo não se trata de uma música ou mesmo de um álbum conceitual. Ele é um gênero.

“Não tem nada parecido em lugar nenhum”, disse Brian Ross da banda ‘Draco and the Malfoys’ (o Ween da cena). “Eu tento equiparar isso com ‘Guerra nas Estrelas’, porque esse era o equivalente quando eu era criança. Se houvesse bandas tocando musicas sobre ser Luke Skywalker e combater o Darth Vader, eu ainda iria a esses shows hoje em dia”.

No entanto, bandas de rock bruxo tocam canções sobre Harry Potter combatendo Lord Voldemort — e todos os outros cenários dos livros. Para cada personagem de Potter, há uma banda de rock bruxo correspondente, cantada pela perspective do personagem. ‘Harry and the Potters’ (a banda dos irmãos “Harry”), por exemplo, tem músicas sobre salvar Gina Weasley do Basilisco na Câmara Secreta e também de seu rival romântico Dino Thomas. ‘Draco and the Malfoys’, que fizeram uma brincadeira com ‘Harry and the Potters’, ridicularizam Harry por seu complexo de herói e pedem a Voldemort para acabar com Harry de uma vez por todas.

“Eu chamo de angústia bruxa”, disse Jace Crion da banda do Texas ‘Talons & Tea Leaves’. “Meus pais não foram assassinados por um bruxo malvado, mas as pessoas se identificam com a angustia adolescente”.

“Em algum momento, você vai se identificar com Harry”, disse Devin Overman do ‘Owl Post’. “As pessoas realmente gostam do conceito de que esse mundo não é o bastante – nós precisamos achar algo mais”.

E eles acham. Há bandas cantado do ponto de vista das plantas de ‘Potter’ (Whomping Willows), dos animais (Nagini) e objetos inanimados (como o Leaky Cauldrons ou o Ministry of Magic). Com a música de todo aspecto, desde folk até eletrônica e de metal até hip-hop, algumas vezes até dentro da mesma banda, a única coisa que une tudo isso é a perspectiva do mundo de ‘Potter’.

“Há 200 e poucas bandas, e cada um deles que seu próprio personagem”, explicou Matt Maggiacomo da ‘Whomping Willows’. “Draco e Harry e a Murta-Que-Geme foram tomados logo de cara, então você começou a pegar o diário de Tom Riddle ou o que fosse. Por exemplo, eu desenvolvi meu personagem pensando no que o Salgueiro Lutador (Whomping Willow) faz e o que isso significa, e percebi que ele está protegendo uma saída – então ela (a árvore) se torna uma saída que está estendendo as mãos. Eu diria que o Salgueiro Lutador é um personagem mal compreendido e acaba tendo muitos casos de amor apaixonados e com muita luta. Ele na verdade só precisa encontrar uma garota que goste desse tipo de coisa”.

Nem tudo que os roqueiros bruxos cantam é tirado diretamente dos livros e filmes. As Parselmouths, por exemplo, fizeram seus personagens como garotas estúpidas e superficiais da Sonserina que dizem coisas inapropriadas e (às vezes) cruéis — como se Sarah Silverman fosse aluna de Hogwarts. “Nós somos malvadas, mas nós somos femininas”, disse a vocalista das Parselmouths, Kristina Horner. “Nossos pais foram Comensais da Morte. Está tudo nas nossas cabeças”.

Parecer estúpido é só encenação. Muitas das bandas começaram como brincadeiras, mas começaram a ser levadas a sério (especialmente Siriusly Black, um grupo de rap bruxo). Num nível indie, as bandas estão gravando álbuns, vídeos, compilações, fazendo turnês e, como Harry, tentando salvar o mundo. Através de coletivas como a “Harry Potter Alliance” (Aliança HP) e compilações para caridade como o “Wizards and Muggles Rock for Social Justice” (Rock Bruxo e Trouxa para Justiça Social), há um grande empurrão do rock bruxo para conectar as questões do livro com as do mundo real.

“A literatura é aberta à interpretação”, diz Maggiacomo, “mas você pode relacionar Voldemort e seu movimento ao que está acontecendo em Darfur. O tema é puro-sangue, é impregnante”.

“Com o Ministério da Magia negando o retorno de Voldemort, negando um grande perigo para a comunidade, você pode ver paralelos”, diz o guitarrista/vocalista da ‘Harry and the Potters’ Paul DeGeorge. “Nossas músicas, como os livros, são realmente sobre o mundo real, de forma que as pessoas possam achar significados para o mundo exterior através de Harry Potter”.

Talvez seja por isso que há tantas músicas de amor para Gina Weasley — você não precisa ler “Harry Potter e o Enigma do Príncipe” para entender o tema de amantes jovens que se separam por forças além do seu controle. Como Alex Carpenter da Remus Lupins disse, “Você já conheceu a Layla? Eu acho que não, mas você ainda pode gostar de Eric Clapton”.