A Ordem da Fênix ︎◆ Filmes e peças

MTV vai ao set de OdF

A MTV estadunidense acaba de divulgar uma reportagem feita nos bastidores da Ordem da Fênix. A equipe da MTV visitou o cenário do Átrio do Minstério da Magia, onde estava sendo filmado o dia da Audiência de Harry, com cerca de 300 figurantes fazendo os trabalhadores do Ministério. Em um cenário próximo, a segunda unidade

de filmagens gravava uma cena em que Hermione, Gina, Fred e Jorge usavam as Orelhas Extensíveis para descobrir os planos da Ordem, mas eram interrompidos por Bichento.
A reportagem está neste link e a tradução você confere aqui.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A MTV também disponibilizou no Overdrive três vídeos das filmagens. Clique aqui para vê-los.

Thanks HPANA.

Visita ao set de Harry Potter: Entre no Ministério da Magia nessa espiada dos bastidores
Daniel Radcliffe e o diretor David Yates falam do set de Harry Potter e a Ordem da Fênix.
por Jennifer Vineyard

WATFORD, Inglaterra — Uma cabine telefônica, suspensa por fios, está sendo cuidadosamente descida para o chão de um grande átrio.
Ela pára ao meio de muitas bruxas e bruxos apressados, nenhum deles prestando a menor atenção a Harry Potter (Daniel Radcliffe), que acabou de sair da cabine telefônica.

Após sua desesperada batalha com o renascido Voldemort no fechamento de Harry Potter e o Cálice de Fogo, o filme anterior na série, você poderia pensar que o mundo bruxo daria a Harry boas-vindas de herói e depois se uniria com ele para lutar contra o Lorde das Trevas.

Mas na seqüência Harry Potter e a Ordem da Fênix – que estréia em 11 de julho [nos Estados Unidos, 13 de julho no Brasil] – o governo bruxo está agindo de modo inverso, abafando (e conseqüentemente negando) o retorno de Voldemort para não causar pânico; as forças do mal estão sendo ignoradas enquanto as forças do bem estão desacreditadas. E assim, após o próprio Harry ter sido forçado a cometer um ato ilegal de magia menor de idade para auto-defesa, o menino bruxo tem que se defender de ainda mais uma forma: indo para a corte no Ministério da Magia (a cabine telefônica da qual ele saiu é a entrada secreta do Ministério no mundo trouxa, ou seja, não-mágico).
“É por isso que estou parecendo um quadrado” brincou Radcliffe, apontando sua camisa abotoada “Harry pôs sua melhr camisa — bem, nós decidimos que essas são as roupas dos Weasley, que ele meio que pegou emprestado. E ele penteou o cabelo. Ou quase.”
Apesar de ser um dia incrivelmente estressante para Harry, é também um dia maravilhoso, porque ele nunca viu essa parte do mundo bruxo antes. “O que é magífico sobre essas histórias é que somos apresentados a novos mundos o tempo todo,” disse o diretor David Yates “ou a partes do universo que você não tinha certeza que existiam. E agora Harry está numa parte do mundo Potter que ele como personagem e nós como público nunca presenciamos antes. Eu amo a idéia de que logo abaixo dos seus pés — de fato, você provavelmente pode até ouvir se colocar a cabeça na calçada e escutar — está um mundo oculto paralelo ao nosso.”

Apesar de Harry estar viajando de cabine telefônica para essa cena, a maioria dos funcionários e visitantes do Ministério da Magia chegam através de uma rede de caminés, usando Pó de Flu (uma substância explosiva que permite aos bruxos viajarem de um lugar ao outro através de lareiras na velocidade de um raio). Então construídas pelas paredes de um longo corredor nesse estúdio estão lareiras douradas que se iluminam de verde quando uma bruxa ou bruxo chega. Para fazer o paralelo com o lar, Harry chega na cabine telefônica através do Metrô de Londres na cena anterior.

Com mais de 300 figurantes à mão para criar a sensação de um horário de pico matinal, essa é uma das maiores cenas do filme — não se espanta que levou três meses inteiros para construir esse cenário nos compridos Estúdios Leavesden, onde todos os filmes de Harry Potter foram filmados. Os cenários estão tanto dentro quanto fora: os 80 acres de área dos fundos inclui a fachada familiar da Rua dos Alfeneiros, a ordinária vizinhança suburbana onde Harry deve passar seus verões com parentes hostis.

A atenção aos detalhes nesse cenário é de atordoar. Alguns bruxos e bruxas atados aos escritórios param na barraca de lanchinhos do Ministério para comprar café e bolinho dinamarquês; outros examinam o jornal Profeta Diário enquanto andam até o distante fim do saguão; e alguns, já trabalhando, digitam freneticamente em escritórios superiores ou empurram carrinhos com altas pilhas de pergaminhos.

Se você esquecer por um momento que isso era supostamente um mundo mágico, poderia parecer completamente trouxa. Mas essa é a magia da coisa. Claro, muitos dos detalhes do Ministério — como a fonte das estátuas douradas — podem ser encontrados nos livro de Potter. Mas os detalhes aqui — a vida espalhafatosa desse mundo — foram todos inventados para o filme, o que faz os atores se sentirem até mais completamente parte disso.

Talvez seja por isso que tanta gente — e nem todos atores — querem tomar parte nessa cena. Um publicitário plantou seus parentes como figurantes, e o assistente do diretor está interpretando um entregador de jornais com cópias do Profeta Diário — um jornal que agora contém mais propaganda do que reportagens precisas. A mancheta de primeira página de hoje, por exemplo, é: “Dumbledore: Doido ou Desajustado?” É uma indicação funesta que o grande defensor de Harry está levando bofetadas, e pode não ser de muita ajuda nessa última críse. E o próprio Harry está levando uma sova do Profeta também — em histórias como a que está entitulada “Potter Tramóia?” Obviamente, esses dias são sombrios.

“Todo o modo como o Profeta Diário está pintando Harry como um vilão ou um mentiroso é obviamente desesperadamente frustrante.” diss Yates. “Todas essas histórias são propagadas, e são completamente não-verídicas. J.K. Rowling criou esses paralelos, e eles ecoam muito claramente coisas do nosso mundo — a negação da verdade no mundo exterior, um governo tentando suprimir e controlar informação.”

Enquanto isso, não longe dali, os amigos de Harry, Hermione Granger e os irmãos Rony, Gina, Fred e Jorge Weasley estão tentando conseguir um pouco de informação ao seu próprio modo em um cenário interior do Largo Grimmauld número 12, o quartel-general da organização Ordem da Fênix. Filmados por uma equipe de câmeras de segunda unidade, os atores — Emma Watson, Rupert Grint, Bonnie Wright e James e Oliver Phelps, respectivamente — estão acotovelados em um corredor, ouvindo escondidos os membros da Ordem com uma das muitas invenções mágicas da autora Rowling, as Orelhas Extensíveis.

“É uma orelha num fio, mas você precisa deslocar a cera para ouvir através dela” disse James Phelps.
“É um bizarro modo mágico de ouvir secretamente uma conversa na cozinha” disse Wright. “E eles são perturbados por Bichento, o gato de Hermione, que vem e começa a brincar com a Orelha porque ele acha que é um brinquedo. Ele fica correndo com ela, e nós ficamos um tanto incomodados porque estamos tentando descobrir o que está acontecendo.”

Obviamente, o tema de descobrir a verdade envolve ambas as cenas. Porque ultimamente, descobrir e lutar pela verdade tem sido a maior batalha de Harry. O átrio no qual ele está no começo do filme é também o cenário de “uma gigantesca seqüência de luta no final.” disse Radcliffe “Mas a luta de Harry é uma mais silenciosa e subterrânea dessa vez.” De fato, Harry tem que se defender não apenas na corte do Ministério, mas também na corte da opinião pública — e os juízes estão pilhando armas contra ele, até mais do que ele percebe.

“Não é um julgamento justo” disse Radcliffe. “O Ministério quer que ele seja condenado. Mas Dumbledore aparece para defender Harry, o quê é uma sorte, porque se não, seria um filme curto: Harry é condenado, vai pra Azkaban — corta pros créditos!”