As Relíquias da Morte ︎◆ Livros

Entrevista exclusiva com Lia Wyler: Título provisório revelado (Editado)

A tradutora da série Harry Potter em uma entrevista exclusiva com o Potterish nos revelou suas impressões iniciais sobre o título do sétimo e último livro: Harry Potter and the Deathly Hallows e sua provável tradução para o português que é:

Harry Potter e as Insígnias Mortais

Na entrevista Lia também comenta o trabalho com a tradução do livro 6. Abaixo você confere um trecho da entrevista:   

Hallows no plural significa entre muitas coisas os deuses pagãos e seus lugares de culto. Como no sétimo livro Harry estará procurando as outras horcruxes, faria sentido procurar nos lugares mais prováveis, não?

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Para ler a entrevista completa, clique aqui. Agradecemos mais uma vez a tradutora Lia pelo tempo cedido e sua amizade para com nosso site. Comunidade no Orkut para o livro, clique aqui.

Editado: Devido a manifestação dos visitantes sobre o título, a tradutora Lia nos enviou a seguinte informação: * Título tem que ser instigante, provocar o leitor à leitura. HP e as insígnias mortais é provisório, no dicionário podemos ver as duas palavras e comparar; -relíquias- têm significação religiosa e -insígnias- dizem respeito aos símbolos de poder. Mortal tanto pode ser o que causa morte como o que morre.* Lembramos mais uma vez que o título é provisório e poderá sofrer alguma mudança após o lançamento do livro em inglês.

Entrevista para Potterish.comLivro 7Potterish.com: Quais foram suas impressões iniciais quanto ao título do sétimo livro? Você arriscaria uma tradução não-oficial, mesmo sem conhecer o contexto? Se sim, qual seria? Deverá ser uma tradução mais fácil que a de Half-Blood Prince?

Lia: Hallows no plural significa entre muitas coisas os deuses pagãos e seus lugares de culto. Como no sétimo livro Harry estará procurando as outras horcruxes, faria sentido procurar nos lugares mais prováveis, não?

Potterish.com: Uma pesquisa na internet nos mostrou que na Escócia -Hallows- pode significar Fonte de Luz, entretanto a polêmica religiosa em torno dos livros não torna provável que a palavra tenha um significado religioso. O que você pensa sobre isso?

Lia: Harry Potter é um bruxo, portanto cultua deuses anteriores ao deus cristão — daí os ataques de que a obra divulga a bruxaria, nome com que o mundo ocidental designa as práticas não-cristãs.
Fiz uma breve pesquisa em dicionários célticos e não encontrei a acepção para hallows que você me deu. Encontrei sim, em cultura céltica, a explicação de que as hallows na maioria das lendas representam as insígnias de um rei ou os objetos que alguém sai procurando em uma cruzada pessoal religiosa ou não. Um bom exemplo seria o Santo Graal, entendido aqui metaforicamente como um objeto muito desejado pelo qual vale a pena arriscar a vida, como as horcruxes que Harry sairá buscando. As insígnias citadas nas lendas célticas e inglesas, nas lendas do ciclo arturiano são a espada da luz, o caldeirão da cura, a pedra do destino, a lança de combate entre muitas outras. Você reparou que o objeto cultuado pela Grifinória é a espada e ficava guardada no gabinete de Dumbledore?
Então, o futuro título em português fará referência às insígnias bruxas, talvez com outro nome mas com esse sentido. Acabei de conversar com o dono da Editora Rocco e chegamos ao seguinte título provisório, em primeiríssima mão para a Potterish.com: -Harry Potter e as insígnias mortais-Livro 6

Potterish.com: Você acha que o sexto volume da série tenha sido mais difícil de traduzir, considerando-se o problema com o título?

Lia: Não acho os livros de J. K. Rowling complicados, mas a tradução de uma série exige que o tradutor repita as escolhas que fez na primeira ocorrência de uma palavra ou de um fato em todos os volumes. Isto pode ser bom ou pode ser um desastre que só poderá ser remediado depois de terminar a série. Por exemplo chamei o quidditch de quadribol porque é jogado com 4 bolas e descobri em outro volume que a autora, ao contar a história do jogo, diz que no início ele era jogado apenas com uma bola. E que a bola não era bola, era passarinho — e um passarinho inventado. Há gente que acha que tradução é muito simples: -pega-se m dicionário de inglês, outro de português, põe-se a palavra lá no Google e Plim! Plom! eis a solução!- Não se traduzem palavras, traduz-se cultura.
O título foi trabalhoso por que não se podia, é claro, dar nenhuma pista de quem era o príncipe, título que em inglês leva inicial maiúscula e ajuda a construir o mistério de sua identidade. Em português precisamos criar outra solução, daí enigma, palavra semanticamente carregada de mistério.

Comunicação com os Leitores

Potterish.com: Você possui um site ou blog?

Lia: Não; não gosto muito de exposição, como a maioria dos meus colegas tradutores e, embora curta avanços tecnológicos — sempre gostei de sci fi –, ainda não me acostumei com a idéia de me expor em um site como defunto em capela esperando que venham me trazer flores ou pedras. A Internet criou um anonimato que acoberta os covardes e permite aos mal informados agredirem impunemente. O Potterish é um dos raríssimos sites com o qual colaboro por que reconheço que ele é tão especial quanto a série que escolheu para discutir.

A tradução brasileira da série Harry Potter é reconhecida como uma das melhores do mundo, graças ao trabalho impecável de Lia Wyler. O Potterish.com agradece o tempo concedido para essa que já é a terceira entrevista que ela nos cede e o carinho que ela demonstrou por nosso site.