J. K. Rowling

J.K. Rowling está inspirada

Em sua última atualização do diário em seu site, Rowling disse que está bastante inspirada ao escrever o sétimo livro:

É como se todas as idéias que deveriam ter escapado na velocidade periódica usual nas últimas semanas explodissem agora da minha caneta durante as poucas horas que tenho para trabalhar. Normalmente eu sou mais produtiva quando tenho, ou recentemente tive, um tempo limitado. [Mais…]

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ela também postou sobre a visita à Romênia que fará hoje e amanhã cuja tradução pode ser lida aqui.

Algumas fotos foram publicadas. O TLC postou estas. Fotos do Yahoo! News.

Diário

25 de Janeiro

Às vezes escrever se torna tão fácil que parece como se você estivesse fazendo ditado de sua inspiração. No meu caso, isto acontece após um período em que fico incapaz de escrever, como durante o Natal (neste ano junto com os resfriados dos meus filhos mencionados anteriormente). É como se todas as idéias que tinham escapado como de costume, nas últimas duas semanas tenham explodido da minha caneta uma vez que eu tenha tido algumas horas disponíveis para trabalhar. Normalmente eu sou mais produtiva quando eu tenho, ou quando tenha tido recentemente, um tempo limitado.

É claro que este maravilhoso estado de produção não vai durar, nunca dura. É possível que eu fique perdida numa complicação da trama, ou temporariamente abandonada na borda de um grande buraco na história. Até lá, no entanto, eu devo aproveitar esta maré de inspiração.

Notícia

Lançamento do Children’s High Level Group

Nos dias 25 e 26 deste mês estarei em Bucareste, capital da Romênia, para ajudar no lançamento do Children’s High Level Group. Esta será uma breve viagem na qual irei também ajudar a arrecadar fundos para o Grupo num jantar de caridade.

Em 2003 eu li um artigo no Sunday Times britânico sobre o uso de camas com grades em instituições psiquiátricas na República Tcheca. O artigo alegava que crianças de dois anos de idade eram mantidas nestas camas, sem contato físico ou conforto, durante a maior parte do dia e da noite. A foto que acompanhava o artigo – de um garotinho olhando através de uma rede de fios para câmera – ainda está clara em minha mente; de fato, foi tão pertubador que quando meus olhos caíram sobre ela, meu instinto imediato foi virar a página imediatamente para que eu não tivesse que ver aquilo.

No entanto, envergonhada do meu impulso covarde, eu peguei o jornal e li o artigo do começo ao fim, jurando que se o texto estivesse compatível com a figura, eu tentaria fazer alguma coisa sobre o problema.

Não é preciso dizer, a história detalhando o aperto de crianças mentalmente desfavorecidas presas em jaulas deixou a leitura terrível. Então eu comecei a escrever cartas, primeiramente para todos os Membros do Parlamento Europeu da Escócia e depois para o Embaixador, Primeiro-Ministro e Presidente da República Tcheca.

Esta agitação com as cartas me fez conhecer a Baronesa Emma Nicholson, que vem trabalhando com problemas semelhantes na Romênia, resultando em melhoras importantes no bem-estar e proteção infantil naquela país. Ela me pediu para entrar no Children’s High Level Group que irá trabalhar numa escala bem maior para garantir os direitos infantis definidos na Convenção das Nações Unidas e outros órgãos internacionais.

Os problemas sociais que levam ao alojamento de crianças em instituições são complexos e não serão resolvidos rapidamente; mas isto é uma boa razão para começar o mais rápido possível. Atualmente há um grande acordo entre os especialistas da saúde infantil que danos irreparáveis são causados às crianças vivem nestas instituições sem os pais. O Children’s High Level Group irá dividir o conhecimento e experiência acumulados nos últimos anos na área de proteção dos direitos infantis e irá trabalhar com outros órgãos internacionais para realizar mudanças significativas para o maior número de crianças possível.

PS: Mas nada disto quer dizer que eu tenha parado de escrever o livro sete… caso estejam pensando nisso!