O Cálice de Fogo

David Edwards comenta o filme

O crítico David Edwards que assistiu Harry Potter e o Cálice de Fogo ontem na pré-estréia mundial disse para o The Mirror suas considerações sobre o novo filme.

Entrar na sala de cinema para assistir as novas aventuras do bruxo adolescente foi como entrar sem querer num encontro religioso de renascimento.

Continue after the AD

Multidões de crianças sortudas o suficiente para conseguir entradas sentam-se tremendo de excitação e, quando o projetor começa a rodar, há uma gritaria que não pareceria inapropriada numa convenção do Billy Graham. [Continua…]

David ainda disse que a duração de 157 minutos deixou o filme um pouco longo. Será?

HARRY POTTER E O CÁLICE DE FOGO: UM VEREDITO DE DAVID EDWARDS
Tradução: Júlio

Entrar na sala de cinema para assistir as novas aventuras do bruxo adolescente foi como entrar sem querer num encontro religioso de renascimento.

Multidões de crianças sortudas o suficiente para conseguir entradas sentam-se tremendo de excitação e, quando o projetor começa a rodar, há uma gritaria que não pareceria inapropriada numa convenção do Billy Graham.

E ninguém no cinema poderia ser saído decepcionado já que o quarto filme é o melhor da série – uma fantasia épica impressionante, mágica e verdadeiramente hipnotizante que faz lembrar como um filme infantil pode ser ótimo. Com 2 horas e 37 minutos, ele é um pouco longo, acreditem.

Baseado no bestseller de JK Rowling, o filme começa com Harry, Ron e Hermione indo à Copa Mundial de Quadribol. É um espetáculo que provaca medo onde times rivais duelam em suas vassouras, animado pelos milhares de torcedores.

Mas tempos sombrios aproximam-se na forma do vilão Lord Voldemort.

Há momentos brilhantemente engraçados, particularmente a presença da jornalista intrometida Rita Skeeter.

Há também uma ótima participação do Brendan Gleeson como Alastor “Olho-Tonto” Moody, o professor alcoólatra. Os veteranos Timothy Spall, Maggie Smith, Alan Rickman, Gary Oldman e Robbie Coltrane também reaparecem de forma agradável.

Mas a melhor parte do filme é a abordagem cômica da angústia adolescente, principalmente as tentativas desajeitadas de Harry para se aproximar da enfeitiçante Cho Chang.

Diferente dos três primeiros filmes que receberam censura livre, o Cálice de Fogo tem censura de 12 anos – e pode-se entender o porquê. Muito, muito mais sinistro do que qualquer coisa que veio antes. Eu não recomendaria para as crianças pequenas. Há um tom ameaçador no filme que é persistente e o vilão de Fiennes (Voldemort) vai ser o pesadelo das crianças.

Há alguns outros problemas com o filme, no entanto. Primeiramente há a duração de um épico. E também aqueles que não estão familiarizados com os filmes anteriores podem ter dificuldade com o decorrer da trama deste último.

Harry Potter e a Ordem da Fênix está em pré-produção mas terá que fazer um esforço fenomenal para sair melhor que o Cálice.