J. K. Rowling ︎◆ Livros ︎◆ O Enigma do Príncipe

Entrevista com J.K. Rowling (3ªparte)

Como todos já sabem, os webmasters dos sites Mugglenet e TLC tiveram a oportunidade de entrevistar a autora JK Rowling no dia do lançamento do sexto livro.
A parte final da entrevista (com uma grande quantidade de spoilers, assim como as anteriores) você pode conferir clicando aqui.

Para facilitar, links das traduções: Parte 1, Parte 2 e Parte 3.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

MA: Uma das ganhadoras do concurso “pergunte à Jo” do Leaky, ela tem 50 anos, e vive numa pequena cidade do leste dos EUA. Eu acho que isso foi respondido no sexto livro, mas, “As memórias colocadas na Penseira refletem a realidade ou o ponto de vista da pessoa a que ela pertence?”
JKR: Realidade. É importante que eu deixe isso claro, porque Slughorn deu a Dumbledore essa patética cortada-e-arrumada memória. Ele não quis dar a de verdade, e ele de um jeito óbvio alterou e depois remendou ela.Então, o que você realmente lembra é visto na penseira.

ES: Eu estava totalmente errado sobre isso.
JKR: Sério?

ER: Eu tinha certeza de que na verdade era a sua interpretação da memória.Não fazia sentido para mim ser capaz de examinar seus próprios pensamentos numa perspectiva em terceira-pessoa. Seria como se você estivesse roubando porque você sempre seria capaz de olhar as coisas do ponto de vista de outra pessoa.

MA: Então há coisas que você não viu pessoalmente na hora, mas que você pode ver depois?
JKR:Sim, e essa é a mágica da Penseira,é o que dá vida à ela.

ES: Eu quero uma dessas!
JKR: Sim.Do contrário, ela seria só que nem um diário, não? Confinada ao que você lembra.Mas a Penseira recria o momento para você, então você pode ir à sua própria memória e reviver coisas que você não tinha notado na hora. Está em algum lugar da cabeça, e o que eu tenho certeza, em todos os nossos cérebros. Eu tenho certeza de que se pudéssemos acessar isso, coisas de que não nos lembramos estão lá em algum lugar.

ES: A nossa outra pergunta do “Pergunte à Jo” (sobre os sacrifícios feitos pelo James e pela Lily), é da Maria Vlasiou,25,da Holanda. E a terceira é da Helen Poole,18,de Yorkshire-e também uma das autoras do fan livro “Plot Thickens” . É aquela sobre Grindelwald, que eu tenho certeza de que você estava esperando que a gente perguntasse.
JKR: Uh huh.

ER: Com certeza-
JKR: Então vamos lá, me lembre.Ele está morto?

ES: É, ele está morto?
JKR: Sim, ele está.

ES: Ele é importante?
JKR: [arrependida] ohhh…

ES: Você não tem que responder, mas pode nos dar alguma coisa do passado dele?
JKR: Eu vou falar para vocês o mesmo tanto que eu falei para alguém que me perguntou isso há agora pouco. Vocês conhecem o Owen que ganhou o concurso de televisão britânico para me entrevistar?Ele me perguntou sobre o Grindelwald [pronunciado “Grindelvald” HMM…]. Ele disse, “É coincidência que ele morreu em 1945?”, e eu disse não.Impressiona-me fazer alusão a coisas que estavam acontecendo no mundo trouxa, então eu acho que enquanto tem uma guerra trouxa acontecendo, há também uma guerra no mundo mágico.

ES: Isso tem alguma conexão com—
JKR: Eu não irei fazer comentários sobre isso.
[risos]

MA: Elas alimentam uma a outra,a guerra trouxa e a dos bruxos?
JKR: Sim, eu acho que sim.Mm.

MA: Você ficou muito quieta.
[todos riem; JKR loucamente]

MA: A gente gosta quando você fica quieta, isso significa –
ES: Que você claramente está escondendo alguma coisa.
MA: A nossa próxima vencedora é de Delaney Monaghan,e tem 6 anos,via mãe,Vanessa Monaghan. Elas são de Camberra,Austrália. “Qual é o significado, se há, dos papeis de chicletes que a Sra. Longbottom sempre dá ao Neville?”
ES: Rápido, fale na gravação[o que você acha que é] antes que ela responda-
MA: Eu acho que é uma triste marca de uma mulher louca.
JKR: Isso também foi perguntado para mim nesta manhã.Essa idéia foi uma das poucas inspirada por um evento real.Contaram-me uma história que, para mim, foi muito triste, sobre a mãe idosa de um conhecido meu, que tinha Doença de Alzheimer e estava internada numa ala hospitalar.Ela estava severamente demente e não reconhecia seu filho,mas ele ia esperançoso visitá-la duas vezes por semana,e costumava levar doces. Isso era o ponto de conexão entre eles;ela reconhecia ele como o que lhe entregava os doces.Isso foi muito triste para mim.Então eu usei a história. Neville dá a sua mãe o que ela quer,e (me deixa triste pensar nisso) ela quer dar algo em troca,mas o que ela dá para ele é essencialmente inútil.Mas ele mesmo assim aceita como valioso porque ela que está dando,e então significa alguma coisa,em termos emocionais.
Mas as teorias sobre os papeis de chicletes estão por aí.

ES: Você não pode culpar elas.
JKR:Quero dizer, ela não está tentando passar mensagens secretas para o filho.

MA: Ela não é muito consciente –
JKR: Não.Você está certa. Mas isso é um exemplo clássico de “ Vamos deixar isso quieto”, porque não vai nos levar a nenhum lugar muito interessante ,mesmo se elas(as teorias) estiverem erradas.

MA: É provavelmente um dos momentos mais tocantes dos livros.
JKR:Eu acho que é importante como um momento do personagem.

MA: Nossa terceira pergunta ganhadora é da Monique Padelis, 15, de Surrey. Como e quando o véu foi criado?
JKR: O véu esteve lá sempre que o Ministério existiu, e o Ministério da Magia está lá há muito tempo,só não tanto quanto Hogwarts. Estamos falando de centenas de anos. Não é importante saber exatamente quando,mas séculos,definitivamente.

JKR: O véu esteve lá sempre que o Ministério existiu, e o Ministério da Magia está lá há muito tempo,só não tanto quanto Hogwarts. Estamos falando de centenas de anos. Não é importante saber exatamente quando,mas séculos,definitivamente.MA: Era usada como uma câmera de execução eu só para estudos?
JKR: Não, só estudos. O departamento dos Mistérios é só para estudos. Eles estudam a mente, o universo, morte…

MA: A gente irá voltar para aquela sala, que estava trancada?
JKR: Sem comentários.

ES: Dumbledore não tem rivais no seu conhecimento de magia –
JKR: Mmhm.

ES: Aonde ele aprendeu tudo isso?

JKR: Eu o vejo primeiramente como alguém autodidata. Com tudo, ele em seu tempo teve acesso a ótimos professores em Hogwarts,então ele foi educado do mesmo modo que todo mundo também é. Uma linha importante de se investigar é sobre a família de Dumbledore,muito mais do que papeis de chicletes.

MA: A família dele?

JKR: Família, sim.

MA: A gente deveria falar um pouco mais sobre isso?

JKR: A gente não. Mas vocês podem! [risos]

MA: E quanto à família do Harry – seus avós – eles foram mortos?

JKR: Não. Isso nos leva a um território mais mundano. Como escritora, seria mais interessante, para o enredo, se Harry estivesse completamente sozinho. Então eu preferi eliminar toda a sua família exceto pela tia Petúnia. Quero dizer, James e Lily são muito importantes para o enredo, claro, mas os avós? Não. E, porque eu gosto das histórias do passado: os pais de Petúnia e Lily, morte normal de trouxas. Os pais de James eram idosos, já estavam ficando um pouco quando ele nasceu, o que explica ser filho único, muito paparicado,tivemos-ele-tarde-então-ele-é-nosso-tesouro, como normalmente acontece,eu acho. Eles estavam velhos,em termos bruxos, e morreram.Doença bruxa. E é isso. Nada sério ou sinistro sobre a morte deles.Eu só precisava deles fora do caminho,então eu matei eles.

MA: Isso Poe um fim nas teorias do Herdeiro da Grifinória também.

JKR: [pausa] Sim.Bem – sim.

MA: Mais uma (teoria) que é derrotada.

[risos]

JKR: Bem. Aí está.Vejam, eu sei que “Half-blood Prince” não irá agradar todo mundo, porque põe um fim em muitas teorias. Quero dizer, se não pusesse,eu não estaria fazendo meu trabalho direito. Algumas pessoas particularmente não irão gostar,e muitas pessoas não irão gostar da morte,mas isso sempre esteve planejado para acontecer.
Nós não sabemos ainda se foi um furo de verdade na segurança ou o que, ou apenas especulações que estavam certas.

ES: Com este livro?

MA: Lembra das apostas?

ES: Ah é –

JKR: Sim,as apostas. Bem,agora estamos 50/50. Se vocês se lembram, na “ Fênix”, a aposta era na Cho, e foi exatamente a mesma coisa. De repente alguém põe algo como £10,000 em que a Cho Chang iria morrer, e você não iria achar que alguém gastaria tanto dinheiro,então pensamos que eles achavam que tinham contatos. Na do Dumbledore,ainda não sabemos. Foi um furo genuíno ou alguém só chutou,e estava certo?

ES: Eu lembro de ter posto uma enquête no Mugglenet perguntando se as pessoas achavam que era verdade.

JKR: E qual foi o resultado?Isso é muito interessante.

ES: A maioria achou que ele iria morrer no livro 6- bem,6 ou 7. A maioria achou que era no livro 7.

JKR: Sério?É…

ES: Foi provavelmente 65/35, mas definitivamente a maioria achou que ele iria morrer.

JKR: É,bem, eu acho que se você der um passo para trás,no gênero literário em que eu trabalho,quase todo herói deve prosseguir sozinho.É assim que deve ser,todos sabemos isso,então a questão é quando e como,não é, se você sabe o mínimo sobre construção desse tipo de enredo.

ES: O sábio velho mago com a barba sempre morre.

JKR:Bem,era basicamente isso que eu estou dizendo,sim.

[risos]

MA: Isso é interessante,porque aquele momento – eu acho que todos nós percebemos que ele iria morrer logo que ele começou a passar todo o conhecimento dele.

JKR: Mm.

MA: E no momento que o Harry diz,” Eu percebi isso,e meus pais perceberam isso,e é uma questão de escolha.” A gente parou e disse, “ Ok,vamos todos falar sobre isso ,porque a) Dumbledore está morrendo, b) esta é a bandeira que sinaliza que iremos lutar até o fim. “ Eu sinto que aquele foi um momento definitivo para a série inteira. Você concorda?

JKR: Sim,definitivamente, porque eu acho que há uma linha entre o momento “Câmera Secreta” quando o Dumbledore diz a tão famosa frase, “São nossas escolhas que definem quem somos, e não nossas habilidades,” direto para Dumbledore sentado no seu escritório,dizendo para o Harry , “ a profecia só é importante porque você e o Voldemort escolheram fazer ela ser.” Se vocês dois tivessem escolhido ir embora,ambos podiam ter vivido! Essa é a questão. Se ambos tivessem decidido,” A gente não vai entrar nessa”, e fossem embora…mas,não vai acontecer, porque para o Voldemort, Harry é uma ameaça. Eles devem se encontrar.

ES: Eu lembro de ter pensando enquanto eu lia a “Ordem da Fênix”,o que aconteceria se Harry e Voldemort resolvessem…

JKR: dar as mãos e continuarem com suas vidas? Bem nós concordarmos em não concordar com essa atitude!

[Risos]

ES: O que aconteceria se ele nunca tivesse escutado a profecia?

JKR: Foi como eu postei no meu site.

ES: Estou feliz que você tenha definido isso

JKR: É o que acontece em “Macbeth”. Eu simplesmente adoro “Macbeth” É possivelmente a peça de Shakespeare que eu mais gosto.E foi essa a questão,não foi? Se Macbeth não tivesse conhecido as bruxas,ele teria matado Duncan? Teria algo de tudo aquilo acontecido? Aquilo foi destino ou ele fez com que tudo aquilo acontecesse? Eu acredito que ele fez tudo aquilo acontecer.

MA: Se todos decidissem dar se as mãos e irem jogar golfe tudo seria mais fácil

[Risos]

MA: Existe muito demonstrações de intensa lealdade e bravura ligadas ao sacrifício – especialmente no livro três, “Você deveria ter morrido ao invés de trair os seus amigos”. E então, temos uma tonelada de pensamentos desse tipo. Essa é uma mensagem muito intensa, muito forte para se passar para crianças de 8 ou de 10 anos que estão lendo o livro, dizer que você deveria morrer por seus amigos.

Com certeza eu pensei nisso num contexto de um desafio muito grande. Deus me perdoe – eu espero que isso nunca aconteça com uma criança de oito anos, pedirem para que essa morrer por alguém, porém estamos falando aqui de um homem adulto que, considero eu, estava em uma situação de batalha. Numa batalha total. Eu acredito que a pergunta correta seria vocês, como leitores, acreditam que Sirius teria morrido? Porque foi o Sirius quem levantou essa questão.

ES: Com certeza

MA: Sim.

JKR: Certo, bem, isso é o que eu acredito. Sirius teria feito isso. Ele, com todos os seus culpas e falhas, tinha esse profundo senso de honra, enfim, e ele teria preferido morrer de forma honrada ao viver com a desonra e a vergonha de saber que ele enviou aquelas três pessoas para a morte, as três pessoas que ele amava acima de todas as outras, porque, como Harry, ele é também é uma pessoa sem um lar e sem uma família.

Você está certo, é uma mensagem bem intensa, mas eu estou basicamente escrevendo sobre esse lado mal e, eu já tinha dito isso antes, eu acho que, eu fico surpresa quando algumas vezes as pessoas dizem pra mim “Sabe? Os livros estão ficando tão sombrios”,eu fico pensando, “Bem, que parte da ‘Pedra Filosofal’ você achou fofinha e tranqüila?”Sabe, tem toda uma inocência sobre isso, Harry é muito jovem quando ele vai para Hogwarts, mas o livro já começa comum duplo assassinato. A possibilidade da morte, creio eu, está presente durante “A Pedra Filosofal” e eu acredito que existem algumas imagens bem horrendas nesse livro. Acredito que o primeiro livro contenha imagens bem mais fortes do que no segundo, exceto pela cobra gigante, pois a imagem de uma figura encapuzada bebendo o sangue de um unicórnio é de dar arrepios. Bem, foi pra mim quando eu pensei nisso, e eu realmente, até hoje depois de todos esses anos, acho que a idéia daquele rosto atrás da cabeça do Quirrel é uma das imagens mais perturbadoras de todo o livro. (De todo o livro, eu falo de todos os livros da série).

Então, sim, é intenso, eu concordo com você, mas eu acredito se tratar de uma maneira intensa mas bonita. Tem muitas coisas nisso que são perturbadoras, intencionalmente, mas eu acredito que nunca tenha cruzado a linha entre o chocar e o chocar exageradamente. Eu acho que eu poderia justificar cada cena mórbida contida no livro. Uma cena que eu achei que talvez eu tivesse dificuldade de conseguir fazer com que os editores aceitassem é a cena em que é descrita a forma física do Voldemort antes de ele entrar no caldeirão no quarto livro, vocês lembram? Ele era tipo um feto. Eu senti uma repugnância visceral por aquilo que eu tinha acabado de criar, mas tinha uma razão para aquilo estar lá e vocês irão ver isso. E eu discuti isso com a minha editora e ela disse que tava tudo bem. O fato é que ela estava mais perturbada era com o fato do túmulo se abrir. Acredito que é mais uma vez a idéia do sacrilégio, não é mesmo? Não há nada de mais naquilo, porém mais uma vez nos deparamos com a violação de um tabu.

MA: Qual é a cor dos olhos do Ron?

JKR: Os olhos do Ron são azuis. Eu nunca havia mencionado isso? [JKR tapa os olhos]

MA: Eles estavam ansiosos para que perguntássemos isso.

JKR: Azuis. Os do Harry são verdes,os do Ron azuis e os da Hermione castanhos.

MA: Qual é a forma do patrono do Ron?

JKR: A forma do patrono do Ron? Eu também nunca havia dito isso? Ah não, isso é chocante! [Risos] O patrono do Ron éum cachorro pequeno como um Jack Russell, e essa é uma escolha bem sentimental, pois eu tenho um desses. Ele é louco!
(Nota: Como eu não sei o nome da raça do cachorro em português, resolvi deixar um link para vocês verem qual é o cachorrinho)

MA: Essa não é uma pergunta relacionada ao assunto, mas eu realmente queria lhe perguntar isso – com toda a fama e riqueza que você acumulou, como você mantém os seus filhos com o pé no chão e cientes de uma vida normal?

JKR: É a grande prioridade da minha vida. Eu acredito e espero que tenhamos uma vida completamente normal, acredite ou não. Coisas surreais acontecem quando eu saio de casa e vou de encontro aos fãs em um castelo iluminado, mas isso realmente tem uma reação mínima neles. Eu acredito que, assim como qualquer um consegue, nós também conseguimos ter uma vida normal. Nós vamos ao shopping assim como qualquer outra pessoa, passeamos pela cidade como qualquer outra pessoa. Bem, isso é o que eu sinto.Eu também acho que é importante que todos os meus três filhos cresçam vendo eu e o Neil trabalhando. Tanto eu quanto o Neil não conseguimos imaginar a possibilidade de pararmos de trabalhar, colocar os pés pra cima e ficar viajando pelo mundo ou coisas do tipo, por mais interessante que essa idéia aparente ser algumas vezes.Nós continuamos trabalhando e acredito que esse seja um ótimo exemplo para darmos as crianças, que independente da quantidade de dinheiro que você tenha, o auto conhecimento está em descobrir o que você faz de melhor. Está em fazer o seu próprio trabalho, não é mesmo?

MA: Sim. Você já conseguiu descobrir os dois estudantes da Grifinória que estão faltando?

JKR: [Tapa os olhos] Ohh! [Frustrada.] Eu ia trazer a resposta pra vocês, mas desculpa, eu não fiz isso, mas vou colocar no meu site.

MA: A Ginny mandou mesmo aquele cartão no dia dos namorados para o Harry?

JKR: Sim, abençoada seja!MA: Mas isso foi coisa dela ou do Tom Riddle?

JKR: Não, foi coisa da Ginny

MA: Bem, ela recebeu troco por isso

JKR: [Risos] Possivelmente.

MA: Eu acredito que você deixou isso claro na cena do trem [no primeiro livro], quando ele estava vendo – todos os relacionamentos, aquela cena provavelmente deixou tudo claro.

JKR: Acredito que sim. Espero que sim. Então você gostou do que aconteceu com o Harry e a Ginny, não?

ES: Nós esperávamos por isso por anos!

JKR: Nossa, fico feliz

MA: Ai meu Deus, aquele beijo!

JKR: Sim.

ES: Realmente se concretizou!

JKR: Realmente aconteceu, eu sei! Eu me senti um pouco desse jeito.

MA: Você vinha tentando deixar eles…

JKR: Bem, eu sempre soube que isso iria acontecer, que eles ficariam juntos e então se separarem.

ES: Você sempre esteve…[a gente não conseguiu entender o que o Emerson disse nessa frase.]

JKR: Bem, não,não realmente, porque o plano era, e eu realmente espero que eu tenha conseguido passar isso, era de que o leitor,assim como o Harry, fosse gradualmente descobrindo a Ginny como a garota ideal para o Harry. Ela é valentona, não no sentido ruim da palavra, mas ela é corajosa. Ele precisa estar com alguém que consiga entender as exigências de estar com Harry Potter, porque ele é um namorado aterrorizante em várias maneiras. Ele é um garoto marcado. Eu acho que ela é divertida, e acho que ela é uma pessoa muito confortável e compassiva. Existem todas essas coisas que Harry necessita em sua garota ideal.Mas, eu acho que – estou falando de anos atrás quando tudo isso foi planejado – inicialmente, ela se sentia assustada pela imagem dele. Tipo, ele é como a imagem esculpida de um Deus quando ela o vê pela primeira vez aos 10 ou 11 anos e ele é aquele garoto famoso. Então a Ginny também tem que passar por uma jornada. E assim como aconteceu com o Ron, eu não queria que a Ginny fosse a primeira garota que o Harry beijasse. Isso era algo que eu queria, que estava planejado.
Uma das maneiras que eu queria provar que o Harry tinha realmente amadurecido bastante foi – você se lembra na “Ordem da Fênix”, lembra quando a Cho entra no vagão e ele pensa “Eu queria que ela tivesse me encontrado sentado com pessoas mais legais”? Ele estava com a Luna e o Neville. Então literalmente a mesma coisa acontece no sexto livro e lá está ele com a Luna e o Neville mais uma vez, porém dessa vez, ele está mais maduro, e até onde ele tem conhecimento, ele se encontrava no trem com duas das pessoas mais legais. Eles podem até parecer que não são tão legais. Harry realmente amadureceu muito. E eu sinto que a Ginny e o Harry nesse livro são totalmente iguais. Eles são perfeitos um para o outro. Ambos passaram por uma grande jornada emocional, e ambos passaram por muitas desilusões juntos. Então, eu realmente gostei de escrever isso. Eu gosto muito da personagem da Ginny.

MA: Ela tem uma grande importância, aquela coisa do Tom Tiddle, bem, ela é a sétima filha…

JKR: Bem, sobre a Ginny,ela foi a primeira garota a aparecer no clã dos Weasleys após gerações,porém tem toda aquela tradição da sétima filha de uma sétima filha e do sétimo filho de um sétimo filho, entãoépor isso que ela é a sétima, porque ela é uma bruxa talentosa, dotada. Acho que você vê umas pistas sobre isso, porque ela faz umas coisas bem impressionantes aqui e ali e vocês vão presenciar isso novamente.

ES: Por que a Sonserina…

JKR: Ainda é permitida em Hogwarts!

[Todos riem]

ES: Sim! Quer dizer, parece um stigma!

JKR: Mas eles não são todos mais. Literalmente nem todos são maus. [Pausa]. Bem, a resposta mais correta, não a relevante, seria que vc tem que aceitar todo o tipo de pessoa, você tem acolhe-las com suas faltas e todos tem os seus defeitos. O mesmo acontece com o corpo estudantil. Se eles se permitissem a união perfeita,você teria uma força que não seria detida por ninguém eeu acredito que é essa ânsia por união e por uma totalidade que faz com que eles mantenham aquele quarto da escola que talvez não englobe as mais generosas e nobres qualidades, na esperança, a maneira de Dumbledore, na esperança que de que eles irão se unir e vão atingir a harmonia. Harmonia é a palavra.

ES: Eles não poderiam…

JKR: Não poderiam apenas se livrar de todos eles? NÃO Emerson, eles realmente não poderiam

[Todos riem]

ES: Não poderiam colocar eles nas outras três casas, e talvez, bem, não seria o local perfeito para todos eles, mas talvez próximo o suficiente fazendo com que talvez eles não estivessem em um ambiente tão negativo?

JKR: Eles poderiam. Mas você tem que ter em mente que, que já havia pensado sobre isso…

ES: Até a sala communal deles é sombria…

JKR: Bem, eu não sei,porque particularmente acho que a sala comunal da Sonserina tem uma beleza fantasmagórica.

ES: Seria uma péssima idéia colocar todos os Comensais da Morte juntos em um mesmo lugar.

[Todos riem]

JKR: Mas eles não são todos- não pense que eu não entendi o que você quis dizer – nós, vocês os leitores e eu a autora,porque estou encaminhando todos vocês para esse ponto – vocês estão vendo a Sonserina sempre pela perspectiva dos filhos de Comensais da Morte. Eles são uma pequena fração da população total da Sonserina. Eu não estou dizendo que todos os outros Sonserinos são adoráveis, mas certamente eles não são o Draco, eles certamente não são, você sabe, o Crabbe ou o Goyle. Eles não são todos desse jeito, se fosse assim, não teria nem uma palavra para descrever a Sonserina, teria?

ES: Mas não existem tantos filhos de Comensais da Morte nas outras casas, existem?

JKR: Você irá encontrar pessoas relacionadas com Comensais da Morte em outras casas, sim, com certeza.

ES: Apenas em menor quantidade

JKR: Provavelmente. Eu sei o que você quis dizer. É a tradição ter quatro casas, mas nesse caso,eu queria que eles correspondessem aos quatro elementos. Sendo assim, a Grifinória é o fogo, a Corvinal o ar, a Lufa-Lufa a terra e a Sonserina a água, daí o fato de o local em comum para todos eles ser o fundo do lago. Então mais uma vez,foi essa idéia de harmonia e equilíbrio, que você teve necessariamente quatro elementos e através da interação deles você criaria um local bem forte. Mas ele se mantém separados, como nós sabemos.

ES: Tiago foi o único que se sentiu atraído pela Lílian?

JKR: Não. [Pausa.] Ela era como a Ginny, ela era uma garota popular.

MA: Snape?

JKR: Essa é uma teoria que tem chegado a mim repetidamente.

ES: E o Lupin?

JKR: Eu não posso responder a nenhuma das duas

ES: E que tal ambos? Um de cada vez?

JKR: Eu não posso responder, posso?ES: Você pode nos dar alguma pista sem nos enganar (Emerson se confundiu; ele quis dizer “sem entregar muita coisa”)–?

JKR: Eu nunca, que eu saiba, menti quando me fizeram alguma pergunta sobre os livros. Que eu saiba, você pode imaginar, já me fizeram centenas de perguntas; é perfeitamente possível em algum ponto eu ter falado algo errado ou equivocado não intencionalmente, ou eu posso ter respondido sinceramente na hora e então mudado de idéia em um livro subseqüente. Isso me deixa cautelosa ao responder alguma pergunta com muitos detalhes porque eu tenho que ter um espaço adicional para chegar lá e fazer do meu jeito, mas nunca em uma parte importante da história.

Lupin gostava muito da Lílian, vamos colocar deste jeito, mas eu não gostaria que ninguém saísse pensando que ele competiu com o Tiago por ela. Ela era uma garota popular, e isto é relevante. Mas eu acho que vocês já viram isso. Ela era um bom partido.

MA: Como eles acabaram juntos? Ela odiava o Tiago, pelo o que vimos.

JKR: Será mesmo? Você é uma mulher, você sabe o que estou dizendo. (Risadas)

ES: Como foi que o Fred e o Jorge sabiam que a Irlanda ia ganhar o jogo e a Bulgária capturaria o pomo?

JKR: Bem, eu acho que se você realmente entendesse de quadribol você poderia ter previsto isto. O que eles tinham –

ES: Mas como você pode prever isso, porque você não sabe quando o pomo irá aparecer.JKR: Era um risco. Eles arriscaram tudo nisso. Isto é Fred e Jorge, não é? Eles são os que correm risco na família. Você tem o Percy de um lado da família – conforme, faz tudo correto – e você tem Fred e Jorge, que levam um caminho totalmente diferente de vida e que estavam preparados para arriscar tudo. Eles arriscaram tudo o que eles tinham, o que é o tanto que qualquer um pode fazer.

JKR: Era um risco. Eles arriscaram tudo nisso. Isto é Fred e Jorge, não é? Eles são os que correm risco na família. Você tem o Percy de um lado da família – conforme, faz tudo correto – e você tem Fred e Jorge, que levam um caminho totalmente diferente de vida e que estavam preparados para arriscar tudo. Eles arriscaram tudo o que eles tinham, o que é o tanto que qualquer um pode fazer.MA: Como eles descobriram como fazer o mapa funcionar?

JKR: Você não – bem. Foi assim que eu me expliquei na época, e isto parece improvisado. Você não acha que seria uma coisa de Fred e Jorge dizer de brincadeira, e então ver esta coisa transformar?

MA: Sim.

JKR: Você não pode simplesmente vê-los?

ES: Mas a combinação exata das palavras? Isto é muita sorte, ou Felix Felicis –

JKR: Ou, o mapa ajudou.

MA: Sim, sim. Você consegue vê-los meio que respondendo e brincando com os outros –

JKR: E o mapa ganhando vida aqui e ali quando eles chegavam cada vez mais perto, e finalmente eles chegaram na combinação exata das palavras e simplesmente irrompeu.

ES: O que raios Aberforth Dumbledore estava fazendo com aquelas cabras?

(Grandes risadas de todos)
JKR: O seu palpite é tão bom quanto o meu! (Risada maligna!)

MA: Excelente. E Dumbledore faz uma pequena piada sobre ele nesta, sobre conhecer pessoas em bares.
JKR: Sim, absolutamente. Sim, está certo. E vocês é claro vêem o Aberforth muito brevemente.

MA: O brilho de triunfo ainda irá fazer uma aparição?
JKR: Isto ainda é imensamente significante. E vamos encarar, eu não disse à vocês muito sobre imensamente significante, então vocês podem deixar a imaginação de vocês correr livremente aí.

ES: Eu acho que todo mundo percebeu que era significante quando leram, mas não vimos se materializar no 5 ou 6.
JKR: Bom, ainda é.

ES: Nós estivemos meio que esperando pela grande revelação.
JKR: Absolutamente, isso fica para o sétimo. Isso pertence ao sétimo.

MA: No final desse livro você meio que tem a sensação que sabe o que o Harry irá fazer, mas isso irá mesmo ser a trama central do resto da historia?
JKR: Não é tudo isso. Obviamente não pode ser tudo isso, mas mesmo assim, esse é o jeito para matar Voldemort. Isso para não dizer que será uma torturante e interminável jornada, mas isso é o que ele precisará fazer. Harry sabe – be m ele acredita que ele sabe – o que ele está por enfrentar. Dumbledore nunca tem palpites que ficam longe da realidade. Eu não quero entregar muitas coisas aqui, mas Dumbledore diz, ‘Existem quatro lá fora, você precisa se livrar de quatro e então você irá atrás de Voldemort.’ Então é aí que ele está e é isso que ele precisa fazer.

ES: É uma missão dificil.
JKR: É uma missão enorme. Mas Dumbledore deu para ele muitas dicas importantes e Harry, também, ganhou mais conhecimentos do que ele imagina. Isso é tudo que eu posso dizer.

ES: Parece que seria impossível. Se Harry tivesse ido sozinho à caverna ele não conseguiria, é o que parece.
JKR: Bem, eu estou disposta a apostar com você, que ate o final dessa semana, os leitores mais cuidadosos serão capazes de achar pelo menos um Horcuxes nos livros.
JKR: Bem, eu estou disposta a apostar com você, que ate o final dessa semana, os leitores mais cuidadosos serão capazes de achar pelo menos um Horcuxes nos livros.MA: Alguém disse ontem a noite que, e se Gina, com o diário –
JKR: Harry definitivamente destruiu aquele pedaço de alma, você viu ele tomar a forma, você viu ele ser destruído, ele não existe mais. E Gina não está de jeito algum possuida por Voldemort.

MA: Ela ainda é Ofidioglota?
JKR: Não.

MA: Ela tem uma dívida de vida com Harry pelo livro dois?
JKR: Não. Já Rabicho é diferente. Sabe, parte de mim adoraria explicar a coisa toda para você, é a historia do sétimo livro, sabe, eu honestamente queria contar…

ES: Nós não gostaríamos de escutar.
JKR: “Ah sim, continue, não vamos escutar!”
[Risos.]

ES: Quem é a madrinha de Harry?
JKR: Ele não teve madrinha.

ES: Sério?
JKR:Bem, Sirius nunca teve tempo para arrumar uma namorada, muito menos para casar.

ES: Eles poderiam ter escolhido alguma amiga próxima deles…
JKR: No momento que Harry foi batizado eles estavam escondidos. Não seria um batizado com uma grande cerimônia, porque eles já estavam em perigo. Então isso foi algo que eles fizeram em silencio, com poucas pessoas, eles queriam ter esse compromisso com Sirius. E – sim, não posso dizer mais.
[começamos a perceber que o tempo da entrevista estava acabando]

MA: Podemos fazer isso de novo??
[Risos.]
JKR: É uma possibilidade.

MA: EU quero dizer, por uma semana!
[Todos riem]
JKR: Ah, isso, me tranquem em um porão…

MA: Bem, minha família é Siciliana, Jo.
[Risos.]
MA: Espere, temos que perguntar mais uma coisa [Melissa poe um óculos verde e pega uma pluma verde para fazer uma piada com Jo.]
[Todos riem muito]
JKR: RITA! Eu senti a sua falta! Vou te dizer, existe apenas uma maneira para poder lidar com os artigos da Rita, risos, de outra forma você ficaria maluco. E é claro, eu agora tenho a minha cesta de lixo [no meu site]. É realmente incrível o quão isso te liberta, ser capaz de dizer diretamente para as pessoas para as pessoas que lêem os livros, “isso é lixo”. Nunca são coisas muito importantes, mas eu acredito que se tratadas como um todo, podem realmente desencaminhar uma pessoa. Em todo o caso Rita, eu gosto muito disso.

MA: Mas isso não é engraçado? Eles fizeram isso pra mim
JKR: Isso é fantástico.Você sabia que a Miranda Richardson está interpretando a Rita no quarto filme? Estou ansiosa para ver o resultado.

MA: Nós vimos, nós visitamos o set de filmagens em um dos dias que ela estava gravando
JKR: Vocês foram?

ES: Ela parece fantastica no papel
JKR: Ela é uma atriz incrível

ES: Ah, eu tenho uma pergunta sobre isso. Quando você escreve os livros agora, você imagina os atores dos filmes ou os seus próprios personagens?
JKR: Meus próprios personagens. Todo o tempo

ES: A imagem dos atores não aparece para você enquanto escreve?
JKR: De forma alguma. Eu ainda vejo o meu Ron, eu ainda vejo o meu Harry, eu ainda vejo a minha Hermione. Eu já os escrevia por tanto tempo antes dos filmes começarem a serem feitos que não tem como a imagem dos atores substituírem as que já estavam em minha mente. Eu tive sorte nesse sentido. Eu vivi com esses personagens por tanto tempo, que não tem como outros terem efeito algum. Ocasionalmente eu – sobre o Ron e a Lilá, eu até que imaginei o Rupert. Tipo, obviamente tudo já estava planejado daquele jeito, mas eu meio que, quando dava uma pausa para tomar um café e pensava nisso ficava com aquele sorriso travesso no rosto pensando no Rupert.

MA: Fazendo aquela cena?
JKR: Não necessariamente fazendo aquela cena, com certeza ele vai estar mais que apto para essa tarefa, foi mais pensar nele participando dos testes de elenco para encontrar a Lilá, coisas desse tipo. É o fato de você sorrir imaginando as pessoas que estão interpretando os personagens. Mas eu realmente falei sério quando disse antes – você teria que percorrer um longo caminho até achar três atores melhores – ajustar aos personagens, passar a experiência que aqueles três já vêm passando, Rupert, Dan e Emma são incríveis.
[Pausa enquanto a gente olha para o relógio …]
JKR: Eu sei.

MA: Sessenta e seis páginas de perguntas, Jo.
JKR: Oh meu Deus.

ES: Vamos continuar a fazer as perguntas até ela nos expulsar.
[Todos riem]
ES: Hagrid é o guardião das chaves. Esse título significa algo?
JKR: Simplesmente que ele permite que você entre e saia de Hogwarts, bem, é um pouquinho mais interessante que isso, mas também não tão interessante assim. Então, mais uma vez, se trata de um fato que as pessoas não precisam ficar tão interessadas em descobrir.

MA: Existe alguma possibilidade de Ron e Harry finalmente lerem “Hogwarts, uma história”?
JKR: Nunca. [Risos.] Isso pra mim é um presente, porque tudo o que eu quero dizer, é dito quanto a Hermione diz “Quando vocês vão ler o livro?” Então assim ela responde aos leitores de um jeito que eu responderia.

MA: O Dobby sabe sobre a profecia?
JKR: Não.

MA: Ele sabia sobre os Potters…
JKR: Ele sabia a história deles,mas obviamente o conhecimento dele era limitado ao que os Malfoys sabiam.

MA: Ah, aqui tem uma [dos nossos fóruns] que eu realmente gostaria de te perguntar. O Snape alguma vez foi amado por alguém?
JKR: Sim, ele foi, o que o faz, de certas maneiras até mais culpável que Voldemort que nunca foi. Certo, mais uma pergunta pra cada um.

ES: Por que os bruxos e as bruxas não desaparatam quando estão em perigo?
JKR: Bem. Eu diria assim…É tedioso parar e dizer ao leitor quando você está escrevendo uma cena de ação que a pessoa desaparatou, mas existem maneiras de impedir que isso aconteça. Algumas vezes eles desaparecem sim, mas não muitas vezes, quando você está vendo esse tipo de cena em um lugar onde você não pode desaparatar, Hogwarts por exemplo. Sendo assim, essa não é uma opção para Harry quando ele está na escola. Existirão outros motivos pelos quais você não poderia desaparatar. O fato de você querer permanecer e lutar. Mas eles desaparatam algumas vezes. Tem que haver uma ação contra e a favor
JKR: [para Melissa] Vai, manda ver.

MA: Existia alguma outra pessoa presente em Godric’s Hollow na noite em que os pais de Harry foram mortos?
JKR: Sem comentários.
[Todos riem.]
JKR: Desculpa!