Livros

Entrevista com a tradutora do Japão

Yuko Matsuoka é a responsável por traduzir os livros de Harry Potter para o idioma japonês. E a revista Metropolis conversou com ela sobre o processo de tradução.

Palavras como Muggles (Trouxas), Dementors (Dementadores) e Quidditch (Quadribol) não estão no vocabulário normal da maioria dos tradutores, mas estão no vocabulário de Yuko Matsuoka, a tradutora dos livros de Harry Potter no Japão. Uma tradutora profissional trabalhando em Genebra e Tóquio, Matsuoka é presidente da compania Say-zan-sha que se dedica inteiramente aos livros de Harry Potter e audio-books.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O herói das histórias de J.K. Rowling é um enorme negócio aqui. A versão japonesa do quinto volume da série foi lançada no dia primeiro de setembro, no qual, como todo fã irá dizer, é o primeiro dia de um ano letivo em Hogwarts. Os quatro primeiros volumes venderam mais de 16 milhões de cópias até agora no Japão. A primeira tiragem do quinto livro foi de 2,9 milhões de cópias, diz Matsuoka, que assumiu a Say-zan-sha após seu marido ter falecido em 1997.

“Normalmente, começo a fazer a tradução japonesa após um ano do lançamento da versão inglesa. Livrarias sempre me pressionam, mas não irei comprometer a qualidade. Como uma editora, eu costumava receber um cópia antecipadamente; agora eu tenho que esperar o lançamento da verão inglesa para ler.” Matsuoka já encontrou Rowling três vezes antes da escritora de Harry Potter ficar famosa. “Gosto muito dela. Ela é bem curiosa. Sabe o que quer e tem um ótimo senso de humor.”

Matsuoka tenta não ser influencida pelos filmes durante a tradução. “Um filme de 2 horas é muito curto para cobrir a história inteira. Após cinco livros, eu já tenho uma imagem bem definida das personagens em minha mente,” ela diz. Warner Bros, no entanto, pede para que ela preste atenção nas legendas dos filmes e versões dubladas assim a imagem criada nos livros é refletida nos filmes.

Matsuoka nunca imaginou que um dia ela estaria viciada num garoto bruxo. “Eu era uma garota séria. Nunca me vesti de bruxa ou joguei esses tipos de jogos. Leio muito. Meus pais diziam que eu não deveria estudar exageradamente, ” ela fala. “Mas eu li o primeiro livro e me apaixonei por ele como tantas outras pessoas. Nós recebemos muitas cartas de fãs, algumas são de mães dizendo que os filhos estão lendo mais por causa de Harry Potter.”