J. K. Rowling

“Parabéns pra você…!”

borda1 - “Parabéns pra você...!”hpjk - “Parabéns pra você...!”
Foi há exatamente 27 anos, pelo menos na ficção, que uma nova história se iniciava. Harry Potter nasceu e desencadeou uma série de situações que com certeza fazem parte do nosso dia-a-dia. Foram horas e horas, que se somadas ultrapassariam meses e meses, de leitura dedicadas a este personagem. E não é para menos.
Quantos de nós não nos identificamos com ele, mesmo que por um breve momento da história? Será que ainda conseguiremos perceber o tamanho do aprendizado que tivemos ao lermos o cotidiano de um certo bruxinho em uma certa escola de magia e bruxaria? Provavelmente não. Porém, nunca é demais lembrar que esse bruxinho, já não tão bruxinho assim, estaria aniversariando hoje.

Mas há uma outra história mais importante que essa. No dia 31 de julho de 1965, há exatamente 42 anos, nascia Joanne Rowling, a mulher que viria a mudar completamente as nossas vidas.

A equipe Potterish não teria como simplesmente vir parabenizá-los. Todas as mudanças que JK Rowling – ou como é mais conhecida entre a gente, a tia Jo – causou em cada um de nós foram muito importantes e profundas, e até mesmo pessoais, levando-nos a achar que um simples “parabéns” é muito pouco. Por isso, listamos 42 motivos para amá-la: são fatos comuns de nossas vidas, coisas que todos os fãs já sentiram ao longo desses dez anos da série. Afinal, uma das grandes qualidades da J.K. foi justamente conseguir reunir tantas pessoas, tão diferentes, com um mesmo propósito: o de uma boa leitura.

Jo, é com muito amor e emoção que toda a equipe do Potterish deseja a você um feliz aniversário, e que a sua vida seja cada vez mais alegre e completa em todos os aspectos. Esperamos de todo coração que toda a felicidade e sentimentos bons que tivemos ao longo desses 10 anos voltem para você e se repitam por todos os anos de sua vida.

Feliz aniversário, JK Rowling e Harry Potter!

J.K. ROWLING
42 motivos para amar J.K. Rowling

Equipe Potterish.com
31 de julho de 2007

1. Pela a sua capacidade de transformar algumas centenas de páginas e milhares de linhas em lágrimas, risos e calafrios.

2. Por ser uma presença constante ao nosso lado: sol ou chuva, saúde ou doença, ela estava lá nos fazendo esboçar um sorriso a cada novo fonema.

3. Por influenciar nossas vidas de forma que ninguém mais fez.

4. Por nos fazer parecer um bando de patetas, dando gritinhos e correndo de um lado para o outro usando roupas muitas vezes desapropriadas para o ambiente, mas ainda assim, continuar orgulhosos disso.

5. Por se manter fiel a si mesma e aos seus fãs, não se corrompendo pelo dinheiro ou a fama, e continuar a nos tratar de igual para igual, dando atenção a todos de um jeito que só ela sabe.

6. Por nos ensinar a ter esperança sempre: no amor, na família e, acima de tudo, em nós mesmos. Não importam quais os sonhos, o importante é tentar alcançá-los.

7. Por nos ensinar a lidar com a perda. Ou não, visto que ainda tem gente que acha que o Sirius está vivo.

8. Por fazer adolescentes e adultos voltarem a acreditar que bruxos existem (e que alguns tem um gosto bem escandaloso para roupas).

9. Por nos lembrar que a magia, de fato, existe, e que se manifesta da forma mais sublime: o amor.

10. Pelo fim das piadinhas cruéis com crianças ruivas: graças aos Weasley, ser ruivo é “in”.

11. Por que ela lutou para fazer seu caminho na vida, mas nem teve muito o que enfrentar para achar o seu caminho até os nossos corações.

12. Por todas as vezes que ela fez com que nos jogássemos contra paredes em estações de trem na esperança de ir para outro lugar.

13. Por nos mostrar lugares incríveis que nunca realmente visitamos (e alguns deles NEM EXISTEM)!

14. Por todos os pais que tiveram de convencer seus filhos de que não havia forma alguma deles conseguirem enfiar uma cama no armário embaixo da escada.

15. Pela sua coragem. Pois sabemos, apesar das reclamações, que deve ser ainda mais doloroso para ela do que é para nós, perder um personagem (e ter que lidar com a resposta dos fãs ao novo cadáver).

16. Por nos ensinar o significado dos termos “paranóia” e “observação”. Ela não estava brincando quando disse “Vigilância Constante”. Nem a gente.

17. Por todos os momentos humilhantes envolvendo gargalhadas ou, na pior das hipóteses, lágrimas em locais públicos.

18. Pelas milhares de brigas pelo mundo envolvendo pré-adolescentes que diziam: “O HARRY É MEU!” “NÃÃÃÃO, ELE É MEEEEEU!”

19. E pelas outras milhares envolvendo garotas que diziam: “EU JÁ DISSE QUE ELA FICA É COM O RONY!” “NÃO, NÃO, NÃO! É COM O HARRY!”

20. Por nos ensinar algo que os nossos pais nunca conseguiram: a ter paciência e esperar sentados. (E as variantes: sentados e roendo unha, sentados e batendo o pé, sentados e fazendo fanfics, sentados e bolando teorias, sentados e arrancando cabelos… ).

21. Por todas as vezes que perdemos a voz gritando dentro de um cinema.

22. Por todas as vezes que damos tapa em alguém por ouvir um spoilers. Ou por todas as vezes que alguém bateu na gente por termos deixado escapar um.

23. Pelas noites que ela passou em claro, escrevendo para nós. E pelas que NÓS passamos em claro, lendo, e sem precisar de uma gota de cafeína.

24. Por cada arrepio de felicidade que nós sentimos ao tocar, pela primeira vez, um novo volume da saga.

25. Por cada novo amigo feito em livrarias ou filas de cinema.

26. Por nos ensinar que todos são iguais e merecem respeito. Não importa se são brancos ou negros, gordos ou magros, centauros ou elfos domésticos.

27. Por todos os meninos e meninas que já se decidiram sobre sua nova profissão: nada de princesas ou astronautas, eles querem ser bruxos.

28. Por mostrar que justiça e melhores condições de vida podem ser alcançadas através de animais mágicos e um pouco de quadribol.

29. Por todos os pais que dormiram tranqüilos sabendo que seus filhos não estavam em uma festa, e sim no quarto ao lado lendo um bom livro – pelo menos por um ou dois dias do ano.

30. Pelas diversas vezes que fomos incompreendidos ao tentar explicar para os nossos pais as diversas utilidades de se ter uma lareira uma casa (mesmo morando nos trópicos).

31. Pela capacidade – completamente irritante – que só ela tem para guardar segredos tão bem.

32. Por toda uma nova leva de adjetivos úteis: “Como ela era feia, você nem imagina! Cabelo Hermione, nariz Snape e, para piorar, tinha um buço HAGRID!”.

33. Por fazer o mundo da tecnologia, do avanço, do stress e da falta de tempo parar totalmente só para ler um livro.

34. Por que a vida de todos nós seria mais agradável se pudéssemos usar o feitiço “silencio” de vez em quando.

35. Por nos ensinar que não há lugar como nosso lar. E que nosso lar é Hogwarts. Cadê minha carta? QUERO IR PARA CASA!

36. Por nos dar amigos verdadeiros e eternos que, ainda por cima, cabem na nossa prateleira.

37. Pelos momentos de aflição passados por nossos pais ao tentarem explicar o porquê, exatamente, dos filhos deles tentarem capturar corujas no quintal.

38. Por fazer o Ish entender que, assim como o trio, para se sair bem, é preciso se manter em equipe sempre.

39. Por todo personagem apaixonante e toda cena emocionante, por toda lágrima derramada e todo riso mal contido. Por todos os momentos passados em filas, todos os segundos sentindo a agonia de espera.

40. Por todos os braços de fãs que seguraram seus livros contra o peito, sem se contentar de alegria.

41. Por todas as crianças que dormiram e sonharam com Hogwarts e que hoje acordam, crescidos e mudados, sabendo que tudo o que passou valeu a pena.

42. Sim, existem muito mais do que 42 motivos para se amar J.K. Rowling, mas eles não são importantes. Deve-se amá-la sim, mas não por tudo isso. Não, para amarmos Joanne Kathleen Rowling, basta sabermos que ela nos deu os melhores dez anos de todas as nossas vidas – e sermos muito gratos, mesmo!