Eventos ︎◆ Livros

“Harry Potter para instigar o amor à ciência” conta universidade

borda1 - “Harry Potter para instigar o amor à ciência” conta universidadePotterish :: Harry Potter, o Ickabog, Animais Fantásticos e JK Rowling “Harry Potter para instigar o amor à ciência” conta universidade
Não é de hoje que projetos estudantis usam Harry Potter como tema chave para início de algum ponto que de longe parece não despertar o interesse de jovens adultos. Desta vez a Universidade de Houston descobrirá técnicos dentro das salas de aula com a mágica ajuda dos livros Potter.
A explicação é simples, utilizar elementos de ficção da série que possam dar o ponto de partida para o entendimento dos elementos reais e a intensa investigação que poderá ser causada sobre eles. Confira um trecho abaixo:

“Os alunos estão sempre ansiosos para aprenderem novas coisas e ouvirem a partir de fontes atualizadas, especialmente se estiver ligado a Harry Potter”, contou Christine Hawthorne, que participa do programa. “Estou esperançosa de que a conclusão deste programa obtenha os resultados imaginados sobre os meus alunos”. O período escolar é o momento perfeito para introduzir estes conceitos. É tão importante para os estudantes nesta idade para incentivá-los precocemente, exatamente onde a ciência está em causa.”

O alto preço de investimento, quase 3 milhões da National Science Foundation, será utilizado na evolução no domínio das nanotecnologias e nanociências, com a iniciativa de professores da universidade citada, e de distritos estudantis locais Dickinson e Galena Park, Faculdade de Engenharia de Cullen e do Colégio de Ciências Naturais e Matemática.

Confira a reportagem completa divulgada pelo site EurekAlert na extensão.

HARRY POTTER
Universidade utilizará Harry Potter para instigar o amor pela ciência nos arredores estudantis de Houston.

EurekAlert ~ Angela Hopp
21 de abril de 2009
Tradução: Iago Sales

Na esperança de que será lançado um feitiço no meio local dos estudantes, uma equipe da Universidade de Houston está iniciando este programa que vai aproveitar toda a magia da série de Harry Potter para fazer ressoar em temas técnicos locais das salas de aula.

Financiado por uma concessão de quase 3 milhões de dólares da National Science Foundation, as inovações do domínio das nanotecnologias e nanociências, serão iniciadas com alunos de graduação da Faculdade de Engenharia Cullen e do Colégio de Ciências Naturais e Matemática.

“Apesar de ser uma adulto, a história de Harry Potter e o seu mundo mágico me surpreendeu tanto como um indivíduo como um cientista. Claramente a maioria das crianças e muitos outros adultos compartilham este fascínio” Disse-nos Pradeep Sharma, o professor que dirige o programa. “A parte mais importante é que vários aspectos da magia de Harry Potter pode ser explicado pela ciência ou é seguramente viável no futuro, dada a forma como a tecnologia é saltar para a frente.”

“Um exemplo que poderia facilmente traduzir-se em sala de aula, é a capa de invisibilidade de Harry. Existe uma intensa investigação em curso, com base na nanotecnologia, para criar essa camuflagem de materiais. Evidentemente, será difererente de poder desaparecer a “la Harry Potter”, mas, com este exemplo, um professor pode motivar a discussão de ótica e do estudo de como a luz se propaga e comporta”, disse Pradeep Sharma, professor que dirige o programa.” Disse Sharma.

Os cinco anos de programa visa dar fôlego à matemática e ciências, numa altura em que menos estudantes americanos estarão a prosseguir domínios técnicos. Sharma disse que pretende embutir nos alunos paixão e criatividade que irá conduzir uma carreira bem sucedida e finalmente preencher o fosso crescente na força de trabalho americana.

Os professores selecionados para o programa serão levados com a intelectualidade e temas anuais sobre nanociência através de um breve curso ministrado por professores da Universidade de Houston (UH).

Christine Hawthorne, uma professora de ciências da Dickinson Independent School District, disse que está “satisfeita por ter um par extra de mãos no trabalho” e que o programa pretende beneficiar a todos os envolvidos.

“Os alunos estão sempre ansiosos para aprenderem novas coisas e ouvirem a partir de fontes atualizadas, especialmente se estiver ligado a Harry Potter”, contou Christine Hawthorne, que participa do programa. “Estou esperançosa de que a conclusão deste programa obtenha os resultados imaginados sobre os meus alunos”. O período escolar é o momento perfeito para introduzir estes conceitos. É tão importante para os estudantes nesta idade para incentivá-los precocemente, exatamente onde a ciência está em causa.”

Sharma e seus co-pesquisadores associam o reitor Claydon Fritz e professores Stuart Long, Eugene Chiappetta e Hanadi Rifai, escolhido a dedos, todos graduados, e serão a “espinha dorsal” do programa.
Um desses alunos é Nathan Howell, que deixou uma posição em uma empresa de consultoria ambiental obter um grau avançado em engenharia ambiental na UH.

“Eu queria ser mais útil para o mundo que pede socorro e ao desenvolvimento ao mesmo tempo. Sou abençoado de uma capacidade de trabalhar com uma forma altamente técnica, e eu queria usar essa capacidade de agente de misericórdia por meio dos projetos de desenvolvimento da água”, disse Howell.

“Foi emocionante para mim me envolver com a escola através de um programa que nossa igreja realiza em Hogg Middle School na Heights. Nessa experiência, eu encontro o desafio de tentar estimular um interesse em minha mente para a ciência e a matemática, e eu posso ver o calor da literatura utilizando os jovens adulto a fazê-la. Minha mente está constantemente imersa no mundo da fantasia de “Crepúsculo” série de Stephenie Myer, e neste momento quero lê-lo novamente para que eu possa me conectar melhor com ele.”

A graduação irá completar um curso de quatro semanas neste verão para o plano de mãos no currículo e a familiarização com o estado das normas da ciência e da matemática.

Rifai disse que é importante emparelhar os graduandos, que serão as salas de aula em um dia por semana durante o ano letivo, com o direito dos professores.

“Tentamos fazer um jogo. Lembre-se, do outro lado da equação é o professor que irá trabalhar com o que eles estão interessados e em que nível da ciência que ensinam. Cada aluno tem suas próprias características, personalidades, e disciplina de investigação” diz ela.

“Se eu fosse dar uma palestra lá, os estudantes olhariam para mim como qualquer outro professore” disse. “Mas quando eles vêem alunos, eles se sentem muito mais próximos a eles, por ainda estão na escola. Portanto, eles irão interagir com eles, eu presumo”

Por sua vez, disse ela, uma diversificada “aprendizagem” vai surgir.

“Existem comunidades de aprendizagem na escola com alunos e professores. De alguma forma, há algo em que falta algo, realmente. Uma verdadeira comunidade de aprendizagem deve ter uma série de modelos diferentes, disse ela.

Os alunos são esperados para dominar a arte de articular idéias cientificas complexas, em termos simples, a uma ampla audiência e tornar-se professores, assessores do congresso e outros tipos de tecnocratas.

Claydon disse que o programa poderá ter um impacto duradouro sobre a graduação.

“Vai melhorar dramaticamente suas habilidades de comunicação e oferecer-lhes uma compreensão mais profunda da sua própria investigação. Vai servir como um verdade enriquecimento para estes alunos e a educação da universidade”, concluiu ele.