J.K. Rowling vai ao Twitter para criticar mensagens agressivas às mulheres

//Por Ana Carolina Aguiar - sábado, 10 de junho de 2017 às 04:53

Não é de hoje que J.K. Rowling tem usado sua conta no Twitter para falar sobre seus trabalhos, responder aos fãs e também discutir questões políticas, econômicas e sociais. Nesta sexta, dia 9, Rowling foi novamente o foco ao questionar as palavras normalmente escolhidas para criticar às mulheres, principalmente àquelas que são figuras públicas.

Motivada pelo comentário de um homem que ela costumava seguir, que se referiu à Primeira Ministra britânica, Theresa May, como “vadia”, J.K. Rowling escreveu uma série de 14 Tweets discutindo o assunto.

Confira os Tweets que a autora escreveu na extensão do post.

“Acabo de deixar de seguir um homem que eu considerava esperto e engraçado, porque ele chamou Theresa May de vadia. 1/14”

“Se você não consegue discordar de uma mulher sem recorrer a esses insultos imundos e antiquados, dane-se você e sua política. 2/14”

“Estou cansada de homens ‘liberais’ que são desmascarados toda vez que uma mulher os desagrada, recorrendo imediatamente à palavras rudes e humilhantes 3/14”

“associadas à feminilidade, agindo como velhos misóginos e clamando a si mesmo como se estivessem sendo corajosos.4/14”

“Quando você faz isso, Sr. Cara Legal e Liberal, você está aliando-se, intencionalmente ou não, com aqueles homens que enviam imagens pornográficas violentas de mulheres 5/14”

“e ameaças de estupro, que tentam de todas as maneiras intimidar mulheres para fora da política e espaços públicos, tanto real quanto digital. 6/14”

“Puta”, “vadia” e, naturalmente, estupro. Nós somos feias demais para sermos estupradas, ou merecemos o estupro, ou merecemos sermos estupradas e assassinadas. 7/14″

“Todas as mulheres que eu conheço que se atreveram a expressar publicamente sua opinião tiveram que suportar este tipo de abuso pelo menos uma vez, 8/14”

“enraizado na aparente determinação de humilhar ou intimidá-la com base no fato dela ser mulher. 9/14”

“Se você quer saber o quão mais desagradável isso fica caso você seja também negra ou gay, pergunte a Diane Abbot or Ruth Davidson. 10/14”

Eu não me importo se estamos falando de Theresa May ou Nicola Sturgeon ou Kate Hooey ou Yvette Cooper ou Hillary Clinton:11/14″

“feminilidade não é uma falha no modelo. Se sua resposta imediata a uma mulher que te desagrada 12/14

“É chamá-la de um sinônimo para vulva dela (Em inglês, a palavra ‘cunt’ pode significar também ‘vagina’), então deixe de ser pretensioso e assuma: você não é um liberal. 13/14”

“Você está a poucos passos de um cara escondendo-se por trás de um desenho de sapo. 14/14”

Diversas pessoas reforçaram o discurso da autora, compartilhando suas histórias sobre quando se depararam com homens parecidos com o que ela descreveu, ou de quando foram vítimas de preconceito por serem parte de uma minoria.

A fala de J.K. Rowling nos lembra que um verdadeiro debate político fundamenta-se em bons argumentos e respeito, e independem de gênero, etnia, religião ou orientação sexual. Afinal, como já dito por Alvo Dumbledore: “palavras são nossa inesgotável fonte de magia. Capazes de formar grandes sofrimentos e também de remediá-los”. É necessário, portanto, ter muito cuidado na hora de escolhê-las.

 

Assista ao último vídeo do nosso canal:

This post is also available in: Ingl�s

Voltar |
Categorias: JK Rowling
Nota 1Nota 2Nota 3Nota 4Nota 5 (6 votos, média: 4,67 de 5)
Loading...

Comentários