6 Livros para ler no Natal

//Por Kaio Rodrigues - sábado, 24 de dezembro de 2016 às 16:43

Natal é um momento a ser passado com quem amamos. Além disso, é a oportunidade perfeita para ler bons livros e mergulhar em boas histórias. Pensando nisso, Kaio Rodrigues pediu ajuda a Anna Constantino, e juntos, o editor da Seção Granger e sua colunista reuniram seis histórias que não tratam especialmente do Natal, mas que dialogam diretamente com os sentimentos da noite feliz.

Descubra mais sobre essas histórias na extensão do post.

“Deixe a Neve Cair”, de Lauren Myracle, John Green e Maureen Johnson

Na noite de natal, uma inesperada tempestade de neve transforma uma pequena cidade num inusitado refúgio romântico, do tipo que se vê apenas em filmes. Bem , mais ou menos. Porque ficar presa à noite dentro de um trem retido pela nevasca no meio do nada, apostar corrida com os amigos no frio congelante até a lanchonete mais próxima ou lidar sozinha com a tristeza da perda do namorado ideal não seriam momentos considerados românticos para quem espera encontrar o verdadeiro amor.

“Coração de Tinta”, de Cornélia Funke

Há muito tempo Mo decidiu nunca mais ler um livro em voz alta. Sua filha Meggie é uma devoradora de histórias, mas apesar da insistência não consegue fazer com que o pai leia para ela na cama. Meggie jamais entendeu o motivo dessa recusa, até que um excêntrico visitante noturno finalmente vem revelar o segredo que explica a proibição.

É que Mo tem uma habilidade estranha e incontrolável: quando lê um texto em voz alta, as palavras tomam vida em sua boca, e coisas e seres da história surgem como que por mágica. Numa noite fatídica, quando Meggie ainda era um bebê, a língua encantada de Mo trouxe à vida alguns personagens de um livro chamado “Coração De Tinta”. Um deles é Capricórnio, vilão cruel e sem misericórdia, que não fez questão de voltar para dentro da história de onde tinha vindo e preferiu instalar-se numa aldeia abandonada. Desse lugar funesto, comanda uma gangue de brutamontes que espalham o terror pela região, praticando roubos e assassinatos. Capricórnio quer usar os poderes de Mo para trazer de “Coração De Tinta” um ser ainda mais terrível e sanguinário que ele próprio. Quando seus capangas finalmente seqüestram Mo, Meggie terá de enfrentar essas criaturas bizarras e sofridas, vindas de um mundo completamente diferente do seu.

“O Hobbit”, de J. R. R. Tolkien

Inesperadamente, Bilbo Bolseiro, um hobbit de vida confortável e tranquila no Condado recebe a visita de 13 anões e Gandalf que o arrastam em uma jornada através das montanhas e das terras ermas enfrentando elfos, orcs, trolls, wargs, para o resgate de um tesouro muito bem guardado por Smaug, o Dragão. Bilbo se vê em diversas confusões e encontra algo que mudaria não só sua vida como de toda Terra Média.

“Comer, Rezar, Amar”, de Elizabeth Gilbert

Em torno dos 30 anos, Elizabeth Gilbert enfrentou uma crise da meia-idade precoce. Tinha tudo que uma americana instruída e ambiciosa teoricamente poderia querer – um marido, uma casa, um projeto a dois de ter filhos e uma carreira de sucesso. Mas em vez de sentir-se feliz e realizada, foi tomada pelo pânico, pela tristeza e pela confusão. Enfrentou um divórcio, uma depressão debilitante e outro amor fracassado, até que se viu tomada por um sentimento de liberdade que ainda não conhecia. Foi quando tomou uma decisão radical – livrou-se de todos os bens materiais, demitiu-se do emprego, e partiu para uma viagem de um ano pelo mundo – sozinha.

“Harry Potter e a Pedra Filosofal”, de J. K. Rowling

A vida do menino Harry Potter não tem um pingo de magia. Ele vive com os tios e o primo, que não gostam nem um pouco dele. O quarto de Harry é, na verdade, um armário sob a escada, e ele nunca comemorou um aniversário sequer em onze anos.

Até que, um dia, Harry recebe uma carta misteriosa, entregue por uma coruja: uma carta com um convite para estudar num lugar incrível chamado Escola de Magia e Bruxaria Hogwarts. Lá ele vai encontrar não só amigos, esportes praticados em vassouras voadoras e magia para todo lado, como também seu destino. Se ele sobreviver a tudo que está descobrindo, é claro.

Quem não se lembra dos maravilhosos banquetes natalinos de Hogwarts, não é mesmo?

“Um Conto de Natal”, de Charles Dickens

O enredo nos traz a figura de Ebenezer Scrooge, um avarento homem de negócios londrino, rabugento e solitário, que não demonstra um pingo de bons sentimentos e compaixão para com os outros. Scrooge não deixa que ninguém se aproxime e rompa a sua dura carapaça, preocupando-se apenas com os negócios, o dinheiro e os lucros. No anoitecer frio da véspera natalina, ele é visitado pelo fantasma de Jacob Marley (seu antigo sócio comercial, morto há sete anos) que o repreende e anuncia que Scrooge se prepare, pois será visitado por três espectros do seu próprio passado, presente e futuro… A história da redenção do velho Scrooge vem comovendo adultos e crianças de todas as épocas.

Ana Luisa Constantino é formada em Biblioteconomia pela UNESP e editora do Potterish.

Kaio Rodrigues é estudante de Letras da UERJ, colunista do Potterish e editor da Seção Granger.

Voltar |
Categorias: Autor, Autores, Kaio Rodrigues, Seção Granger
Nota 1Nota 2Nota 3Nota 4Nota 5 (5 votos, média: 3,40 de 5)
Loading...

Comentários