Layout Potterish
Layout Potterish
   
 
Layout Potterish
Layout Potterish
 

Imagens de Evanna Lynch no set de filmagens de seu novo filme [ler]

 

Seção destinada a Arte das Trevas será inaugurada no Warner Bros. Studio Tour London [ler]

 

Notícias quentinhas [ler]

 

Harry Potter e a Jornada do Herói [ler]

 

 
 
Layout Potterish
Layout Potterish
 
Clube do Livro- Tolkien Clube do Livro- Garota Replay. Clube do Livro- Jesus Potter. Clube do Livro- A maldição do Tigre.      

 
Layout Potterish
Layout Potterish
 
Confira todos
os modelos e
compre já a sua!
 
 
Layout Potterish
Layout Potterish
Layout Potterish

 
«   »

Qual Casa?
//Por Luiz Guilherme - segunda-feira, 31 de dezembro de 2012 às 14:24

O ano-novo propõe reflexões sobre o que passou e o que deve acontecer no período que está para começar. É o momento no qual as pessoas aproveitam para traçar novos planos e riscar das lembranças tudo aquilo que, de um modo ou de outro, tenha sido considerado ruim.

Nesse ambiente de reflexão, Igor Ferreira nos traz uma coluna cuja temática é o mais comum dos questionamentos entre os fãs de Harry Potter: a qual Casa de Hogwarts eu pertenço? Leia o texto de hoje e não se esqueça de responder à pergunta do nosso colunista!

Por Igor Ferreira

Qual de nós nunca foi assaltado obcecadamente por aquela velha pergunta que todo potterhead é praticamente obrigado a fazer a outro que acaba de conhecer? Não, eu não estou falando coisas do tipo de “Voldemort ou Harry?”, “Comensais ou Armada?” ou ainda “Três Vassouras ou Cabeça de Javali?”. É algo muito mais simples e, ao mesmo tempo, remotamente mais complexo, uma coisa que eu tenho certeza que vários de vocês já precisaram pensar mais de dezenas de vezes. Trata-se da épica indagação que admite diversas formas, das quais escolho a seguinte inscrição: de que casa você é?

Cada uma das casas de Hogwarts representa muito mais do que a imagem que seus fundadores fizeram dela, elas traduzem genericamente a essência de seus integrantes e servem-lhe de cartão de visita para todo o restante da escola, quiçá de todo o mundo bruxo. Querendo ou não, a imagem do grupo sobressai à do indivíduo em particular, o que faz com que as exceções dentro de cada casa sejam caladas. Dessa forma, sua casa dá aos olhos de fora a primeira impressão, certa ou errada, sobre você e seus colegas.

Para os legítimos alunos de Hogwarts, entretanto, tudo se torna mais fácil. Além de poderem apreciar ao vivo toda a magia da escola (nós o fazemos pelas as palavras de Joanne Rowling), não precisam sequer escolher sua própria casa, uma vez que o magnífico Chapéu Seletor faz isso por eles. Nós, porém, trouxas… Trouxas? Eu disse trouxas? Risque esta frase! Risque! Risque! Droga de pena de repetição rápida! Nunca mais compro nada de Dunga. Retomando, nós, não iniciados devidamente em uma escola de bruxaria (Bem melhor assim, não?), no entanto, precisamos escolher, analisando da melhor forma a nossa consciência, aquela que um dia (Se Merlin quiser!) será nossa casa em Hogwarts.

Aí chega a hora do problema. São poucos os que têm imediata empatia por uma única casa e decidem-se rapidamente por qual fundador abraçar. Admiro esses raros casos, pois deles emanam os típicos e estreitos traços que os fundadores delinearam ao colocaram pedra sobre pedra para construir o castelo. Mas, confusos de plantão, não temam! O que acontece conosco, ousemos dizer, é tudo culpa de J.K. Rowling, que, mais uma vez trabalhando perfeitamente, não se escusou de traçar o ser humano dotado de diferentes valores e concepções. Traduzindo: ainda que tentemos buscar dentro de nós somente a coragem de Grifinória, a sabedoria de Corvinal, a generosidade de Lufa-Lufa ou a ambição de Sonserina, esses sentimentos hão de mesclar-se e morar dentro de nós, uns mais fortes e outros menos, confirmando a verdadeira confusão mental em que vivemos.

Como operador do Direito (é, sou estagiário no Departamento de Execução das Leis da Magia), sou obrigado a encontrar um caso concreto ao qual possa aplicar a teoria. Tomemos, pois, a minha própria experiência como exemplo. Sim, por mais que meus amigos conheçam um Igor decididamente corvino, meu lado ambicioso já falou muito mais alto do que qualquer outra coisa, fazendo o papel de parede do meu computador ficar permanentemente verde e prata. E quando percebi que meu ser jamais fora o de um bom sonserino e meu coração mole e a minha generosidade afloraram significativamente, estive a ponto de vestir amarelo e preto e seguir o caminho da sala comunal próxima à cozinha, quando o Pottermore chegou na minha vida e decidiu me por na Grifinória, a casa pela qual jamais houvera me interessado. Mas pensando bem, meus amigos eram, mais do que minha prioridade, quase a minha razão de viver. Cogitei seguir os leões, mas não tive coragem, e não me envergonho nem um pouco disso, pois foi desse modo, analisando todas as opções, que eu percebi qual das características dos fundadores eu mais prezava em meu ser: a sabedoria que dignifica os escolhidos por Rowena.

Partindo do pressuposto do particular (eu) para o geral (nós), creio que para todos os que ainda não têm certeza de em qual sala comunal descansar após as aulas, a dica é analisar, priorizar e definir. Analisar quem você é em cada cubículo de existência. Priorizar e ressaltar a sua característica mais significativa. E só então, depois de tudo isso, poder definir em qual casa se abrigar. As demais características, entretanto, mesmo com brasão já bordado no peito, jamais o deixarão, pois “não só de pão vive o homem”. Cada um de nós é um agregado de fatores, impossível de ser composto por uma única vertente. O que digo é que um típico sonserino, corvino ou lufano poderá ser extremamente corajoso (Snape, Luna e Cedrico), e existirão sempre grifinórios geniais (Dumbledore, Minerva e Hermione) ou covardes (Pedro Pettigrew).

Só para dar uma noção ainda melhor de que casa escolher em caso de dúvida, vamos fazer uma analogia bem simples e concreta, já que às vezes a inteligência, a coragem, a obstinação e a generosidade tornam-se conceitos um tanto vagos e de difícil aplicação. Mais uma vez é hora de pulverizar. Não, pena idiota, eu disse pormenorizar! Não, não é parabenizar! Ah, droga, me dá esse pergaminho! Mais uma vez é hora de detalhar.

Imaginemo-nos num claríssimo ambiente de guerra, com canhões e tendas espalhados por todos os cantos, homens correndo de um lado para outro e tantos outros metidos em seus escritórios negociando a guerra e tentando, através der contratos e regalias, obter o melhor proveito da situação, mantendo-se sempre perseverantes no caminho que escolhem trilhar e nas palavras que optaram por proferir. Bem, esses seriam os sonserinos, homens e mulheres ambiciosos que enxergam em cada situação um modo de obter algum prestígio pessoal ou mesmo coletivo (não devemos nunca nos esquecer do enorme elo de união que os sonserinos estabelecem entre si!), e defendem até o fim as suas próprias convicções.

E ao lado dos “donos da guerra” estão aqueles que a projetam, arquitetam, dispõem os combatentes no campo de batalha e determinam a melhor forma para vencer. São obviamente os estrategistas da Corvinal, que se valem de toda a sua sabedoria para coordenar no cerne de cada batalha os que, sem qualquer receio ou temor, lançam-se contra seus inimigos, munidos de extrema coragem e protegendo com suas próprias vidas todos os outros. Ou seja, os legítimos grifinórios. Entretanto, até os mais valentes e destemidos sofrem os efeitos ferrenhos de uma guerra e necessitam, mais do que nunca, daqueles que lhes prestem asilo e auxílio, almas caridosas que zelem pelos doentes e feridos, que deem aos mortos um destino digno e apoiem suas famílias em momentos de dificuldade; são, obviamente, os generosos e caridosos lufanos.

Assim chega ao fim a guerra, e também essa coluna, tentando inserir no consciente de cada um a importância da diversidade de grupos e pessoas, de ações e funções, de qualidades e defeitos, para a constituição de uma forma consistente e sólida de caminhar e atingir um objetivo central, de vencer a batalha diária que travamos com o mundo. É o que aquele velho clichê insiste em afirmar: “a união faz a força”. Mas enfim, chegou a hora de decidir: qual o seu papel nessa guerra? Em que casa você está?

Igor Ferreira não sabe, mas eu já o enfeiticei muitas vezes na Torre da Corvinal.

| Voltar |
Categorias: Colunas, Ensaios, Igor Ferreira, Notícias em Destaque
Nota 1Nota 2Nota 3Nota 4Nota 5 (1 votos, média: 1,00 de 5)
Loading ... Loading ...




Comentários
Ao postar, não use xingamentos e palavrões.

Fabiana | segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

eu realmente tinha uma dúvida enorme,porquê o pottermore me deu a chance de escolher entre a Lufa-lufa e a Sonserina,optei pela Lufa-lufa,mesmo adimirando muito a Sonserina,vi que o meu lugar era na Lufa-lufa explicar o porquê eu não sei,porém prezo os valores e os bruxos de todas as casas.
P.S.Igor sempre que leio suas colunas eu dou uma boa gargalhada,você escreve perfeitamente e também consegue inserir humor,parabéns :-D


Rodrigo Slytherin | segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

No meio dessa guerra que você descreveu, acho que haveria uma grande (enorme) possibilidade de eu correr tanto quanto Malfoy correu quando viu aquele vulto encapuzado bebendo o sangue do unicórnio no primeiro ano dele em Hogwarts.

Então, sem dúvidas, sou um Sonserino de primeira.


Breno Behnken | segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Devo ser uma das exceções que você citou, que existem caladas. Sempre gostei mais da Sonserina, e sempre admirei os sonserinos, e quando eu fui inserido (agora oficialmente) na Sonserina pelo Pottermore eu comemorei bastante. Mas nunca me senti encaixado nas definições de sonserino. Sempre me senti parte da casa verde e prata, e disso me orgulho muito.


Yanca | segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Amei o texto, continuo achando que seria da Grifinória


Ingrid Nogueira | segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Ah, quando comecei a ler HP eu brigava MUITO afirmando ser de Grifinória…
Hoje eu me reconheço como lufana. Jamais estaria na frente de batalha, mas também não correria como Pettigrew… eu ajudaria em algo que não me pusesse em tanto risco mas, ao mesmo tempo, fosse pequeno e importante.
Lufa-Lufa com muito orgulho! ;)


Lucas Lopes | segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

É um lindo texto….. capaz de despertar certas dúvidas em nossas mais profundas convicções!! Sempre fui firme quanto a minha pretensão à Grifinória, mas confesso que com esse texto cheguei a duvidar, ou melhor, não saber qual era realmente meu lar, a altaneira e confortável torre da Grifinória, ou os receptivos aposentos da Lufa-Lufa. Após ler e muito refletir, finalmente possuo a mais inabalável certeza de ser um grifinório, corajoso, leal, pronto a estender a mão a um amigo, e sobre tudo, pronto a me arriscar e sacrificar por ele!! Agradeço a você Igor, por me dar essa certeza!! Hoje, consigo ver, sem a menor sombra de dúvida que seja, que o Pottermore não estava errado!! Meu corpo, meu coração, e meu espirito, pertencem à GRIFINÓRIA para todo o sempre……


Dan Cruz | segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Tenho muito da Grifinória, porém sempre me identifiquei com muitas características da Sonserina, já que sempre coloco meus objetivos acima de tudo. Quando veio o Pottermore, ele me colocou na Sonserina e o (grande) texto apresentando a casa me convenceu de vez que pertenço à ela. Digamos que sou como o Snape: um Slytherin, porém corajoso xD


Marina Lawliet | segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Eu tenho bastantes características da Corvinal, mas muito da Grifinória também. Eu faria os planos de estratégia, mas também iria para a batalha, se fosse necessário – ou não.
Mas é, um “homem não vive só de pão” assim como um visgo não é feito apenas de narguilés. :)


Natasha Mendes | segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Eu sempre queria ser da Grifinoria, porque e a casa dos corajosos. Quando eu entrei no Pottermore, fui colocada na Lufa-lufa. Na situação de guerra que você descreveu, eu não estaria com os sonserinos, não seria tão egoísta. Não estaria com os corvinais, não seria tão fria e calculista assim. Não estaria lutando com os grifinorios, não conseguiria causar mal a alguém. Eu estaria com os lufa-lufa, tentando fazer a dor parar, ou pelo menos diminuir. Por isso, eu sei em que casa o Chapéu Seletor me colocaria: LUFA-LUFA, e com muito orgulho. Parabéns, o seu texto foi ótimo. Espero vê-lo mais por aqui. :)


Bruno Barros | segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Primeiramente, parabéns Igor pelo texto genial, me fez até querer comentar.

Olha, quando eu comecei a escutar Harry Potter, eu podia jurar que era da Grifinória e acho que muita gente passou por isso. Essa coisa do herói e dos “bonzinhos bonitinhos” estarem na Grifiória já fez com que muitas crianças inocentes quisessem estar junto à eles. Ok. Daí depois eu já passei pela Corvinal, mas sinceramente, não me convenci por inteiro disso, acho que realmente não seria meu lugar. A Lufa-Lufa sempre esteve entre minhas preferidas, mas não me sentia um pertencente dela. E o que faltou? Minha bela e cara Sonserina. Me sinto um deles já há uns 4 anos e o Pottermore confirmou isso. Não sou ignorante ao ponto de pensar que algum dia eu comece a prezar outros valores com mais prioridades em minha vida, já que como citou, carregamos todos estes valores característicos das casas dentro de nós, e me sinta parte de outra casa. Mas por enquanto…

Respondendo à sua pergunta; no meio da guerra eu, sinceramente, estaria metido em alguma discussão ou algum escritório tentando negociar alguma maneira de tirar o proveito daquilo tudo, defendendo minha palavra junto àqueles que decidi lutar com; logo, segundo o texto, pertenço à Sonserina!


alessandra regina | terça-feira, 01 de janeiro de 2013

eu gostoooooooooooo do harry potter!que eu troco tudo para poder veruns dos filmes dele :D 8) ;) :!: :?: :!:


Renata Oliveira | terça-feira, 01 de janeiro de 2013

Adorei o texto. E eu da Grifinória, com orgulho e sempre soube disso (faço parte dos “raros casos” mencionado por você), e o Pottermore confirmou. Entretanto, contra todas as supostas possibilidades, todas as minhas amigas e nesse grupo esta inserido a minha melhor amiga e parceira para tudo, são da Sonserina e eu me orgulho delas por isso.


Virgínia | terça-feira, 01 de janeiro de 2013

Desde o começo eu admirava a Corvinal, embora preze muito a coragem grifinória. Fui sendo Corvinal por convicção até que veio o Pottermore e me colocou na única casa em que eu achava que nunca iria parar: Sonserina. É. Aí fiz outra conta e deu Grifinória. Outra, Sonserina de novo. A 4ª… Grifinória outra vez. Só na 5ª, tentando manipular as respostas, foi que eu caí na bela e sábia Corvinal. Não é muito do que se orgulhar, er.
Bom, na maior parte do tempo eu na verdade achava que não era legitimamente de casa nenhuma, o que, vocês devem imaginar, não é muito legal pra nenhum potterhead. A sorte é que tem aquele fator x, a escolha. E se eu escolhi a casa dos sábios, sinto que ela me acolhe como filha legítima, que vai tentar ao máximo honrar a sua história.
Adorei a coluna. ^^


Virgínia | terça-feira, 01 de janeiro de 2013

Respondendo à pergunta… no meio da guerra, eu definitivamente estaria entre os estrategistas, focada na vitória e na melhor forma de consegui-la. Acho que a escolha deliberada de qual papel seguir também tem seu valor, afinal.


Bella | terça-feira, 01 de janeiro de 2013

Sempre soube que pertencia à GRIFINÓRIA lá no fundo como fui selecionada no Pottermore mas mesmo assim não tirou a angustia que todo fã de Harry Potter sente ao se deparar com o chapeu seletor.


Bruna Tsutiya | terça-feira, 01 de janeiro de 2013

SEMPRE me identifiquei com a Grifinoria, porém também tinha as dúvidas q o povo poe em nossas cabeças.Coloco acima de tudo os amigos e a familia (pois faria qualquer coisa por eles)porém uns dizem q sou muuito inteligente e carinhosa e nada egoista (nunca gostei muito da soncerina,mesmo e a minha prioridade é os amigos).
Quando chegou o Pottermore, após de me colocar na Corvinal, fiquei doida, tinha tudo pra ser da grifinoria, mas é claro q como qualquer “guerra” vc pensaria antes de sair correndo e estuporando alguém, faria um pequeno plano. Daí tá, fui para a corvinal (nao era a minha casa preferida,mas estava em 3°lugar na minha lista), meu coração sempre foi da maravilhosa grifinoria e tenho isso extremamente claro desde o ano passado (2012) quando percebi o quanto a amizade era tudo ;)
nao me sinto muito feliz na corvinal, mas nao me sinto completamente infeliz lá.
Se um dia fosse para Hogwarts mesmo, aposto q o chapel seletor me colocaria na grinoria ( nao só pq eu pediria, mas tb pq lá nao precisa de questionários q me deixam apavorada, e sim só por na cabeça)
P.S. me falaram q ele ia ficar com duvida entre corvinal e grifinoria assim como hermione e neville :roll:


Felipe Riddle | terça-feira, 01 de janeiro de 2013

Sempre quando fiz o teste das casas eu sou selecionado a Slytherin, as qualidades que mais admiro na humanidade é a generosidade e inteligência (que nesse caso Hufflepuff e Ravenclaw), mas eu simplesmente não me vejo nessas casas, eu admiro essas qualidades, mas eu não as tenho, quando fui fazer o teste no pottermore, pensei: É agora! pois o que for decidido aqui será o ponto final dessa questão, e foi Slytherin novamente, me sinto honrado por fazer parte da Slytherin e J.K.Rowling já nos mostrou que independente da Casa, o bruxo é bom ou mau por escolha, caráter. Prof. Slughorn por exemplo é um homem ambicioso, seletivo, mas não é uma má pessoa, muito pelo contrário, nossa casa diz sobre nossa personalidade, mas não é o fundamento total de quem somos, na guerra, eu estaria na frente de espada na mão, com um lindo brasão da Slytherin no peito.


K | quarta-feira, 02 de janeiro de 2013

No começo, quando eu conheci HP, eu me considerei da Grifinória. Pouco tempo depois eu percebi que não me encaixava nessa casa e escolhi a Lufa-Lufa… que faz bem mais o meu tipo. em 2003 (dois anos sendo fã de HP… cerca de um ano sendo grifinória um sendo lufana) eu fiz um teste das casas em uma revista (que por sinal tenho ela até hoje) e cai na Corvinal…

Eu não esperava. Mas com o tempo eu comecei a perceber que eu estava na casa certa. Nos anos seguintes, todos os teste que eu fazia, caia na Corvinal (um ou dois cai na Lufa-Lufa). Cerca de 4 aos atrás eu fiz um teste “cientifico” para saber qual casa eu pertencia (na época o site era em inglês, mas já o encontrei em português). Parece-me ser um teste bem confiável, pois são mais de 100 questões e não são obvias. Nesse teste cai tbm na Corvinal (o segundo lugar foi Lufa-lufa, terceiro Grifinória e por ultimo Sonserina). Deu 84% em comum com a Corvinal…

Desde aquele dia eu me considerei uma Corvinal legítima. Quando soube do Pottermore e que teria o teste das casas criado pela JK, eu fiquei muito ansiosa, pois sabia que seria como o própria chapéu estar me selecionando!

Quando chegou o momento, eu fiquei muito nervosa, mas fiz o teste co calma e respondendo com sinceridade (eu me vi como o Harry: tudo menos Sonserina!… eu só pensava isso na hora do teste rs).

E quando o teste terminou e a tela ficou azul, o nome da casa ali… Nossa! Nem dá pra descrever a sensação! Eu não conseguia parar de sorrir! Fiquei muito emocionada. Só falava disso! Finalmente, depois de mais de 10 anos, eu era finalmente escolhida pra casa que amava.

Mas como alguns testes eu caia na Lufa-Lufa, fiz o teste do Pottermore outra vez, uns meses depois (com outra conta, claro). As perguntas foram diferentes, mas não me surpreendi ao cair na Lufa-Lufa.

Então me considero uma verdadeira Corvinal, mas se por algum motivo eu não fosse pra essa casa, seria um Lufana.

No campo de batalha eu estaria criando estratégias, com certeza! (Corvinal). Mas não seria estranho me ver ajudando tbm (Lufa-Lufa).
:D


João Paulo T. | quinta-feira, 03 de janeiro de 2013

Pottermore me colocou em Hufflepuff, mas apesar de não discordar completamente da escola sempre senti um pedaço de mim em Gryffindor… Enfim, bonito texto, adorei :)


Nanda | quinta-feira, 03 de janeiro de 2013

sempre me senti da grifinória e quendo fiz o teste e o chapeu seletor me colocou lá me senti a pessoa mais feliz do mundo!!!!!! GRYFFINDOR!!!!!!! :D


Maria * | quinta-feira, 03 de janeiro de 2013

Achei muito bom esse texto que você postou, ajuda a esclarecer muitas coisas… mas ainda assim tem dúvidas de qual será a melhor casa para mim ! Apesar de essa ideia de “guerra” ajudar bastante, eu não consigo me imaginar no meio de um confronto desses. Então eu pergunto se não poderemos substituir isso por um acontecimento mais comum no dia-a-dia, como uma discussão, ou algo do género.

Desde de que eu leio os livros e vejo os filmes, que me considero Gryffindor, mas quando eu fui verificar ao Pottermore, com o teste do Chapéu Selecionador, calhou-me Slytherin, uma casa com a qual eu nunca me identifiquei. Então eu decidi fazer o teste de novo, várias vezes, e sempre me calham casas diferentes! Talvez seja devido à grande variedade de perguntas, pois nem sempre nos calham as mesmas perguntas em dois testes.

Assim, eu preciso urgentemente encontrar uma situação em que me identifique completamente com uma das casas, para tomar uma decisão.

Já experimentei vários outros testes online, e, mesmo assim, houve uma grande variedade de resultados.

Respondendo à pergunta acima, o meu papel na guerra seria, provavelmente o de Ravenclaw, ou de Hufflepuff, mas ainda tenho as minhas dúvidas, porque, como já referi, uma guerra não é propriamente a situação mais comum na atualidade…


Carol | sexta-feira, 04 de janeiro de 2013

Bem, eu sempre amei a Lufa, e sempre fui muito parecida com os lufanos, mesmo sendo muito inteligente. E é por isso que eu sou uma matemática:
- 20% de chance de eu estar discutindo sobre como acabar com a guerra; e
- 80% de chance de eu estar curando as pessoas

Assim sendo, prefiro deixar a conclusão para o Chapéu Seletor !


Laís Fernanda | sexta-feira, 04 de janeiro de 2013

Sempre admirei todas as casas, porém sentia um algo a mais por Grifinória. Fiz meu teste com o Chapéu Seletor e acabei por cair exatamente nessa casa. Minha melhor amiga fez o mesmo teste e caiu na Sonserina xD


Karen Fagundes | sexta-feira, 04 de janeiro de 2013

Sempre tive certeza, honra e muito amor pela grifinoria. Um amor imenso. Quando fiz o teste o chapéu me pediu para escolher entre a grifinoria e a corvinal. Claro, escolhi a grifinoria sem pensar duas vezes apesar de gostar da corvinal em segundo lugar :D


Camilla Vieira | sábado, 05 de janeiro de 2013

:D Grifinória sempre foi minha preferência. Não Apenas pelo fato do trio ser desta casa, mas grifinória é encantadora…
Felizmente, o chapéu seletor do Pottermore me escolheu para a GRIFINÓRIA \o/ ha ;)


Laura Melo | sábado, 05 de janeiro de 2013

Sempre amei a Corvinal! Sua história, Rowena, Luna!!! Me identifico demais! Mas assim como falaram aí em cima (esqueci de ver o nome u.u droga rs) tenho um pouco da Grifinória também, seria estrategista, porém lutaria se fosse preciso!! Então já que ninguém é completamente uma coisa ou outra, estaria feliz na minha Torre Azul, mas com um pedacinho do meu coração na Casa dos Leões. Assim estaria completa ^^


Daniel Moreira | sábado, 05 de janeiro de 2013

Parabéns pelo texto fantástico Igor!!! Uma sabia mistura de reflexão e bom humor, simplesmente GENIAL…

Desde a primeira vez que li HP me identifiquei de cara com a Revenclaw fiquei assim durante todo o primeiro livro, até que no segundo sem saber o por que decidi virar um Luano. E assim durante todo o segundo livro, porem lembro que em uma parte do livro o Justino acusa indevidamente Harry de ser o herdeiro de Slytherin, foi então que decidi voltar as origens e desde então me tornei Corvino convicto. Nunca cheguei a fazer nenhum teste de casa, pois sabia que não era oficial e queria me “testar” somente em um que fosse crido com o concetimento de nossa querida Tia Jo e quase 10 anos depois U.U… Finalmente chegou a hora de saber realmente qual casa habitava meu coração, a cada pergunta mais ansioso ficava tinha em mente somente “tudo menos Slytherin!!!” RSRS. Até que do nada a tela azul e apareceu o nome da casa que sempre morou em meu coração. E o resultado foi o mesmo com TODAS as minhas contas: Corvinal!!!!
Porem respondendo a sua pergunta, no campo de batalha sem duvida nenhuma estaria do lado dos estrategistas porem sem duvida nenhuma estaria também auxiliando todos que precisassem de qualquer ajuda, com o brasão da minha amada Revenclaw bordado no peito <3<3<3!!!!!!!!


Daniel Moreira | sábado, 05 de janeiro de 2013

Desculpem o exesso de erros, mas a auto correção do meu cel é uma droga!!!!


Lari | sábado, 05 de janeiro de 2013

Eu sempre pendi para Sonserina e Corvinal, quando entrei no Pottermore tive a oportunidade de escolher entre essas duas casas, acabei ficando com a azul e dourada.
Eu sou ambiciosa e na maioria das vezes coloca os meus interesses acima de tudo e todos, mas se for analisar pela situação proposta da guerra eu não hesitaria em correr para a frente de batalha para proteger a todos se fosse necessário, mas se não fosse eu com certeza estaria planejando, criando estratégia, blefando com os inimigos.
Então eu sou definitivamente Corvinal!


Renata | sábado, 05 de janeiro de 2013

Texto muito interessante, porém, eu estaria mentindo se dissesse que já tive dúvidas sobre minha casa, afinal, sou e sempre serei inclusive em testes e no pottemore, da sonserina. Tenho muito orgulho dessa casa que abrigou Merlin, o maior bruxo de todos os tempos, a casa moldada pelo sangue puro e corajoso de Salazar, amo minha casa e sempre serei leal a sonserina.


keiti peuri | domingo, 06 de janeiro de 2013

Eu sempre me considerei grifinória, já que minha lealdade ás minhas amizades sempre vieram na frente de qualquer coisa. Sempre achei que meu lugar fosse junto com os leões e na mesma sala comunal que Potter, mas o chapeu seletor do pottermore me colocou na corvinal. Nunca havia pensado em outra casa que pudesse pertencer que não fosse a grifinória, dos bravos e leais, porém hoje tenho uma forte ligação com a corvinal e me sinto bem lá. Acho que se tivesse que definir a minha casa de coração ainda sim seria grifinória, mas tenho plena lealdade e respeito pela velha corvinal, e me sinto honrada por fazer parte dessa casa.


Ana Clara | domingo, 06 de janeiro de 2013

Sempre tive um gosto especial pela Grifinória e pela Corvinal, e assim, na minha cabeça pertencia às duas casas. Em vários testes que eu fiz, caía na Lufa-Lufa, mas não me conformava, pois sabia que as minhas características não eram compatíveis com as dos lufanos.
Enfim. Passou-se o tempo, o Pottermore foi liberado e, com muita ansiedade, completei os capítulos, até chegar finalmente ao do Chapéu Seletor.
Estava nervosa, com medo de cair novamente na Lufa-Lufa. Mas, no fim das contas, fui para a Grifinória. Não fiquei completamente feliz na época, pois era apaixonada pela Corvinal, mas não havia como mudar o resultado.
Então a criação de contas foi liberada para todos, e, para tirar a prova, criei outra conta e nela fiz o teste novamente. Respondi as questões tão sincera quanto o possível e, finalmente, fui para a Corvinal.
Entretanto, após ler esse texto, notei que o Pottermore não estava errado. Pois é, eu sou da Grifinória. Me sacrificaria pelos meus amigos sem pensar duas vezes, e não tenho medo nem da morte nem da dor. E disso tenho muito orgulho!


ϟ Juliana Rodrigues | terça-feira, 08 de janeiro de 2013

Adorei o texto, parabéns!
Desde sempre todos os testes que fiz me levaram a um resultado: Grifinória! Fiz vários principalmente nas revistas que costumava comprar, como a maioria tive minha confirmação no pottermore, me perguntaram entre Lufa Lufa e Grifinória, eu escolhi Grifinória e fiquei extremamente feliz por ter a opção de escolher entre as duas casas, eu ajudaria quem precisasse sem pensar na maioria das situações, mas sem duvida me sairia melhor indo a frente na batalha me sacrificando por aqueles que amo e por meus ideais.


Milena Neves | quarta-feira, 09 de janeiro de 2013

Confesso que assim que comecei a ler Harry Potter, queria mais que tudo e me obrigava a pertencer a Grifinoria, eu ainda era muito nova e bom, J.K. não dispensou elogios a casa e Merlin, 90% dos bruxos “bons” vinham de lá. Quando finalmente li todos os livros e vi todos os filmes percebi que nunca pertenceria a casa vermelha e dourada. Veja, eu nunca fui corajosa como o Harry foi e, confesso, fugiria igual a Draco quando este viu Voldemort bebendo o sangue do unicornio, ou provavelmente eu desmaiaria. Nunca me imaginei como uma Lufana, sinto a todos que são dessa casa (minha melhor amiga é, por exemplo) mas nunca me interessei por ela, nem quando Cedrico apareceu. Corvinal chegou a me parecer uma boa opção, tenho algumas caracteristicas pertencentes a essa casa, na guerra que você descreveu, facilmente ficaria nessa posição. Eu nunca ficaria na linha de frente como um Grifinório e não seria tão gentil e atensiosa como um Lufano.
Eu sempre fui muito estrategista, fria e, posso dizer, calculista. Talvez não deva me orgulhar, mas nunca me considerei corajosa ou qualquer coisa parecida, eu faria sim, uma loucura por minha familia ou pelos meus amigos mais intimos, mas não penso que me arriscaria por alguém que eu nem ao menos conheço. Por fim, acredito que eu seria um dos “donos da guerra”, tentaria sim por um fim nela, mas nunca entrando diretamente de fato.
Para falar a verdade, desde o 6° livro da saga me considero uma Sonserina e bom, nem ao menos me resta duvidas em adotar o verde e prata para mim. Todos os testes que fiz e também o Pottermore me colocaram na casa que eu realmente admiro. Meus amigos brincam que eu sou a perfeita imagem da Sonserina e hoje, quando penso que um dia cheguei a pensar em pertencer a Grifinória, estremeço. Veja só, eu parei de mentir para mim, não era muito fã do Harry e nem suportava a Granger, Ron para mim era só um garoto idiota e bom, os malvados sempre me chamaram a atenção. Apesar de Draco Malfoy ser um filhinho de papai e um medroso assumido, entendo todos os seus feitos e, hoje em dia, tenho orgulho de dizer que faria o mesmo. Eu provavelmente me alistaria ao “mal” se fosse para salvar minha familia e bom, sempre acreditei que essa era a verdade sobre Draco Malfoy. Sempre tive compaixão pelo Lord das Trevas e, ao descobrir sua historia, eu o entendi. Ele não tinha ninguem, quem o culpava por se tornar quem se tornou? Muitas pessoas ficam receosas em dizer que, nessa situação, provavelmente fariam a mesma coisa. Quem são os covardes agora?
Então, posso dizer, por fim. Sou Sonserina sim, completa e apaixonadamente e por mais que haja toda essa fama “ruim” com essa casa, tenho orgulho de vestir verde e prata.


Jade | quarta-feira, 09 de janeiro de 2013

Corvinal!!!!!


William P | quarta-feira, 09 de janeiro de 2013

Sempre que fazia testes e quizzes sobre “Qual é a sua casa?”, “Qual a cor da sua casa comunal?” etc. caia em Corvinal ou Grifinória; sempre com pequenas desvantagens de 10% ou 3% entre elas. Quando entrei no pottermore, verifiquei muito bem cada opção e fui marcando. Quando vi que deu Corvinal, fiquei muito feliz. As pessoas gostam da Grifinória de primeira vista por ser “a casa dos heróis” ou “a casa do trio de ouro” mas, Corvinal é tão boa quanto. Não nenhuma casa melhor que a outra. E só para provar que sou mesmo Corvinal: meu patrono é uma águia. Mas em referência ao texto, estaria tanto na batalha como na hora da estratégia.


Carolina Barbosa | quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Bom eu pertenço á grifinoria como sempre eu soube mto obrigada!


Renata Eternal | quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Antigamente…eu acho q em encaixaria muito na lufa lufa, pois eu era mais na minha, odiava brigar, tentava promover a paz…td mundo gostava de mim…era bem “boazinha” mas como Harry Potter sempre demosntra nos lviros…as pessoas MUDAM e definitvamente eu mudei demais nos ultimos 2 anos…Andei mais tomando frente de brigas…cada dia odiando mais pessoas q não são legais…e definitivamente estou na grifinoria e o pottermore me confirmou isso ^^ :D


Anne | sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Bem… eu sempre achei que eu estaria na Corvinal, mas eu adoraria estar na Grifinória.
Quando chegou o Pottermore (e eu fui uma das que recebeu o e-mail antes), fui logo correndo fazer a minha seleção e, na minha ansiedade, eu não vi as perguntas do chapéu! Sério, eu só vi as respostas e escolhi entre elas meio pela lógica. No final ainda deu eu uma ‘travada’ no computador (coisa comum no pottermore na época) e quando voltou eu estava na Lufa-lufa!
Sinceramente eu não me identificava com muita coisa da lufa-lufa não, e demorei aceitar que realmente pertencia a essa casa.
Quando o Pottermore foi liberado eu criei outra conta somente pra tirar a dúvida na seleção e, desta vez, li as perguntas antes de responde-las :p. E… fui posta na Sonserina! E… sim, me identifiquei de cara. Como nunca percebi minhas inclinações sonserinas?
Mas primeiro eu tinha sido posta na Lufa-lufa e, mesmo tendo feito o teste de uma forma meio estranha, eu criei minha 3ª conta no Pottermore! Era a ora da verdade: Sonserina ou Lufa-lufa?
E o chapeu seletor ficou exatamente com a MESMA dúvida e me perguntou se eu queria ir com os lufanos ou com os sonserinos!!
Decidi por fim ficar com minha primeira conta Lufana, apesar de ter um carinho imenso pela Sonserina e saber que eu estou no meio do caminho das duas casas que eu considerava mais improváveis pra mim!


Leandro | domingo, 13 de janeiro de 2013

Eu sempre gostei da Lufa-Lufa, pois eles são justos,honestos, leais, mais infelizmente essas características não batiam muito comigo,Mas mesmo assim eu ainda gostava da lufa-lufa.

Quando eu fiz o teste no pottermore cai na sonserina, e no começo não gostei, na verdade eu havia odiado,mais eu pensei e vi, que a sonserina tinha muito mais haver comigo do que a lufa-lufa.
Mesmo assim, eu ainda gostava da Lufa-Lufa e me recusava não cair nela.

então fiz outra conta no pottermore e desta vez havia caído na Lufa-Lufa , fiquei muito feliz e naquele momento eu lembrei, que eu era um Lufano de verdade pois possuia um dos sentimentos mais importantes na lufa-lufa, O Esforço, os lufanos eram esforçados e eu também

Mesmo assim, ainda pensava se eu seria bom na sonserina,mais depois de alguns dias na lufa-lufa, vi que meu lugar de verdade era na Esforçada e Justa Lufa-Lufa


Alice | domingo, 13 de janeiro de 2013

Maravilhoso texto!!
Desde que conheci a saga Harry Potter me pergunto em qual casa estaria e sempre fiquei em dúvida entre a Lufa-Lufa e Sonserina pois tenho muito das duas casas, mas levei em conta os recentes acontecimentos que provaram minha lealdade e percebi que eu pertencia a casa dos leais, pacientes, que trabalham duro e sem medo da dor.


Gabriel | domingo, 20 de janeiro de 2013

Grifino com orgulho! valeu mesmo. quando vi as cores dourado e escarlate no pottermore.com e as boas vindas a casa, nem pude me conter, mas esse texto me trouxe a certeza de que griffindor é meu lugar.


Giovana | sábado, 02 de fevereiro de 2013

Nossa, o texto foi inegavelmente inspirador.
Eu tinha sérias dúvidas sobre qual casa escolher, e devo dizer que os mais diversos testes que fiz para descobrir só me confundiram ainda mais.
Desde pequena senti grande simpatia pela grifinória. E também pudera, meus heróis estão lá. Porém sempre tive um quê sonserino, uma abicição intrínseca quase imperceptível aos outros. E por fim, sempre fui muito inteligente e adoro aprender, e estando entre as melhores da sala se pode imaginar que eu seria uma corvina convicta. Bem, pelo menos é o que a maioria acha. Apesar de admirar Lufa-lufa, nunca tive muito em comum com essas casa.
Por um tempo, achei ser corvina, mas agora, analisando todos os fatos, descobri que sou mais corajosa do que pensava, e que defender aqueles que amo é a minha vida…


Giovana | sábado, 02 de fevereiro de 2013

Nossa, o texto foi inegavelmente inspirador.
Eu tinha sérias dúvidas sobre qual casa escolher, e devo dizer que os mais diversos testes que fiz para descobrir só me confundiram ainda mais.
Desde pequena senti grande simpatia pela grifinória. E também pudera, meus heróis estão lá. Porém sempre tive um quê sonserino, uma abicição intrínseca quase imperceptível aos outros. E por fim, sempre fui muito inteligente e adoro aprender, e estando entre as melhores da sala se pode imaginar que eu seria uma corvina convicta. Bem, pelo menos é o que a maioria acha. Apesar de admirar Lufa-lufa, nunca tive muito em comum com essas casa.
Por um tempo, achei ser corvina, mas agora, analisando todos os fatos, descobri que sou mais corajosa do que pensava, e que defender aqueles que amo é a minha vida… portanto, graças ao texto, descobri que sou verdadeiramente grifinória!


Carolina Gil | sexta-feira, 26 de abril de 2013

Eu sou da Sonserina,mas acho que devia ser da Corvinal.Tipo:todas as vezes que eu faço o teste dá Grifinória,Lufa-lufa e Sonserina.Isso é estranho,não é? :?:


GRIFF_4_ever | sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Bem :roll: eu sempre quiz ser da GRIFINÓRIA ;) , eu pensava, pensava , fazia teste, mais teste… e lendo esse texto e peisei tenho a inteligência de uma corvina e a coragem de uma grifana…
e aí veio a luz… hermione também tinha a inteligência e foi para a griff… pois eu também vou!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! 8O



Ou:
Nome:
(opcional)
E-mail:
(opcional)
Website:
(opcional)
Mensagem:
Add Avatar?
   
 

 

Qual o seu smartphone?







Loading ... Loading ...
 
Resultados Anteriores
 
 

Seção destinada a Arte das Trevas será inaugurada no Warner Bros. Studio Tour London [ler]

 

Teste do Patrono pode estar a caminho do Pottermore! [ler]

 

Novas edições dos livros virão com conteúdos inéditos do Pottermore! [ler]

 

Daniel Radcliffe não irá participar do filme “Animais Fantásticos e Onde Habitam” [ler]

 

 
 
 
09/02/2013
Lançada a nossa seção dedicada à literatura chamada Clube do Livro.

01/12/2012
Criado aplicativo do Potterish para iPhone/iPod.

28/11/2012
Lançado aplicativo do Potterish para Windows Phone.

14/04/2012
Potterish lança hotsite com traduções do Pottermore.

23/01/2012
Versão mobile do Potterish disponível para acesso ao site através de dispositivos móveis.

 
 
 
Parceiros
 
 
Doe para a ABEM
 
 
 

Buscar no Potterish
Powered by WordPress