A fada, o inverno e o amor

//Por Sheila Vieira - domingo, 02 de dezembro de 2012 às 11:25

A função dela é seduzir homens e levá-los à morte. Não há escapatória do destino. Porém, como sempre, o amor complica e faz com que cada certeza seja questionada. Lucivânia Lima traz a resenha de “O inverno das fadas”, escrito pela paulista Carolina Munhóz, de 24 anos. Mostrando um lado sombrio dos contos de fadas, a jovem autora reúne mitologia e realidade no mesmo romance. Leia e deixe seu comentário. E não se esqueça de conferir a página do Potterish no Skoob!


“O inverno das fadas”, de Carolina Munhóz

Tempo: para ler de pouco a pouco em intervalos durante a semana
Finalidade: para ficar na ponta da cadeira
Restrição: para quem não gosta de coisas moderninhas
Princípios ativos: Ficção, Romance, fadas, sucidio, sexo.

Existem pessoas normais em nosso planeta. Homens e mulheres simples que nascem e morrem sem deixar uma marca muito grande ou mesmo significativa na humanidade. Mas existem outros que possuem talentos inexplicáveis. Um brilho próprio capaz de tocar gerações. Como eles conseguem ter esses dons? De onde vem a inspiração para criar trabalho maravilhosos? São cantores com vozes de anjos, artistas com mãos de criadores e escritores imortais. Existe uma explicação para isso.

“O Inverno das Fadas”, de Carolina Munhóz, conta a história de Sophia Coldheart, uma fada da raça Lean Sídhe, considerada musa para humanos talentosos. Ela é capaz de seduzir e inspirar o seu escolhido, tornando seu trabalho um sucesso. Porém, como nada vem de graça, ao inspirá-lo, a Sídhe consome sua energia como alimento, levando-o à morte.

A cada pessoa seduzida, Sophia ganha uma tatuagem única em seu corpo, mas sua grande marca está na história com cada um deles. É um grande tormento vê-los se degradar de tantas maneiras diferentes; drogas, álcool, suicídios deliberados ou inconscientes através de seus vícios. Mesmo sabendo que é de natureza da raça Sídhe levá-los à morte, ela sofre por não poder mudar seu próprio destino.

Nesse contexto, um dos escolhidos de Sophia é William Bass, um jovem escritor e dono de um sebo na cidade de Keswick, Inglaterra, que faz divisa com o mundo das fadas chamado Fairyland. Durante o Samhaim – uma festa equivalente ao Halloween -, a Sídhe decide ir finalmente visitá-lo e seduzi-lo, fazendo dele o seu escolhido. É o momento mais propício, pois William está participando de um grande concurso e seu poder de inspiração irá torná-lo um grande escritor.

Dessa vez, no entanto, Sophia se apaixona, e os dois devem descobrir como lidar com isso. Quem irá sobreviver a essa paixão? Afinal, agora que o processo de sedução se iniciou, é uma questão de tempo até que um dos dois sucumba à morte, como aconteceu com os pais de Sophia.

Esse foi o primeiro livro sobre fadas que li e fiquei apaixonada pela história criada por Carolina Munhóz. Iniciei a leitura com a frase “Ele deu um tiro na cabeça”, e de cara vi que a morte estaria muito presente nas páginas. O livro é marcado por mistério, sensualidade e romance, e também é muito interessante encontrar em meio às páginas nomes de grandes ícones do mundo artístico – incluindo, até mesmo, Harry Potter!

Quem ama o mundo fantástico das fadas, ficção e romance irá adorar cada página. Este é o segundo livro escrito por Carolina Munhóz e o seu primeiro lançado pelo selo Fantasy – Casa da Palavra.

Resenhado por Lucivânia Lima

304 páginas, Editora Casa da Palavra, 2012.

Onde comprar

Voltar |
Categorias: Aventura, Lucivânia Lima, Resenhas
Nota 1Nota 2Nota 3Nota 4Nota 5 (Nenhum voto até o momento)
Loading...

Comentários