Dicas natalinas, parte 1

//Por Sheila Vieira - domingo, 19 de dezembro de 2010 às 10:36

O Natal pode ser um feriado de alegria, tristeza, reencontros, solidão, presentes, retrospectivas… e excelente para ler um livro! Sim, depois de comer a ceia, ao invés de ligar o computador, por que não procurar uma leitura adequada para o fim de ano? Por isso, trazemos a primeira parte do nosso especial de Natal das Resenhas.

Neste domingo e no próximo, indicaremos alguns livros natalinos. “Os delírios de consumo de Becky Bloom”, de Sophie Kinsella, e “Um cântico de Natal”, de Charles Dickens, são as nossas dicas para o fiel leitor do Potterish. Leia a extensão, ou melhor, abra seus presentes!


Tempo: para ler no Natal
Finalidade: para entrar no espírito natalino
Restrição: para quem odeia o Natal
Princípio ativo: Natal, obviamente!

“Um Cântico de Natal”, de Charles Dickens

Ebenezer Scrooge é um homem muito rico que detesta as comemorações natalinas. Muito frio e avarento, ele é indiferente aos convites de seu sobrinho e aos problemas do seu empregado. Perto do Natal, ele recebe a visita do fantasma do seu ex-sócio, Jacob Marley, que anuncia a visita de três espíritos – o primeiro lhe mostra o que se passou, o segundo, o que está acontecendo, o terceiro, o que pode acontecer.

“Um Cântico de Natal” é uma história muito conhecida, tendo ganhado muitas adaptações, sendo a última a do filme de 2009. A figura do Scrooge, personagem muito instigante, é freqüente em diversas histórias – o famoso Tio Patinhas, cujo nome em inglês é “Uncle Scrooge”, é uma delas. A narração da história é muito envolvente, convidando o leitor a refletir, juntamente com Scrooge, sobre as nossas atitudes e as conseqüências delas.

Resenhado por Gabriela Alkmin

144 páginas, Editora Landmark, publicado em 2010.
*Título original: A Christmas Carol. Publicado originalmente em 1843.

“Os delírios de consumo de Becky Bloom”, de Sophie Kinsella

Em matéria de compras de Natal, Rebecca Bloom dá um show. Talvez não somente nesse quesito, se formos analisar a conta do seu cartão de crédito. Escrito em 2001 por Sophie Kinsella, “Os delírios de consumo de Becky Bloom” trazem para o leitor a história de vida de quase toda mulher moderna.

Ainda que se veja endividada e obrigada a inventar histórias mirabolantes para o gerente da sua conta bancária, Rebecca simplesmente não consegue resistir a uma echarpe. Ou a qualquer outro item que ela jamais usaria uma segunda vez. Jornalista de finanças, era de se esperar que a garota seguisse seus próprios conselhos. No entanto, metida em confusões cada vez maiores graças a um incontrolável desejo de consumir, Becky vai ter que usar de toda a sua criatividade para escapar dessa sã e salva – e com todos os itens do seu guarda-roupa. Como se não bastassem todos os seus problemas, a consumista ainda inventa de se apaixonar por Luke Brandon, o sedutor expert em finanças, com quem vai viver uma polêmica digna de programa de auditório!

O romance de Kinsella, adaptado para o cinema em 2009, faz com que o leitor reflita sobre o que é necessário e o que é exagero. De uma forma engraçada e divertida, a personagem principal leva ao leitor os impactos de uma sociedade moderna onde você não é mais o que pensa: é principalmente o que possui.

Resenhado por Débora Rezende

364 páginas, Editora Record, publicado em 2009.
*Título original: Shopaholic. Publicado originalmente em 2000.

Voltar |
Categorias: Debora Rezende, Gabriela Alkmin, Resenhas
Nota 1Nota 2Nota 3Nota 4Nota 5 (6 votos, média: 4,33 de 5)
Loading...

Comentários