Elementar…

//Por Sheila Vieira - domingo, 24 de outubro de 2010 às 13:10

Qual é a primeira coisa em que você pensa quando ouve falar em detetive? Provavelmente, em um dos maiores personagens da história da Literatura, Sherlock Holmes, criado por Arthur Conan Doyle no século XIX. Depois dele, nenhuma história de mistério foi mais a mesma.
Encontramos a influência da obra de Doyle em diversos personagens do cinema, da TV e dos livros, todos tendo racionalidade, a frieza, a arrogância e a genialidade em comum. Portanto, leia a resenha e deixe seu comentário. Elementar, meu caro Watson.

“Um Estudo em Vermelho”, de Sir Arthur Conan Doyle

Tempo: para ler de um tiro só no fim de semana
Finalidade: para ficar na ponta da cadeira
Restrição: para quem tem dificuldade com pontos de vista alternativos
Princípios ativos: mistério, crime, investigação dedutiva, traição e vingança.

Após receber uma carta dos maiores detetives de Londres pedindo ajuda, Sherlock Holmes começa uma investigação detalhada com seu novo amigo Dr. Watson. Chegando ao local do crime, Sherlock Holmes encontra a vitima morta sem ferimento e com sangue ao seu redor.

O que deixa Sherlock Holmes mais intrigado são os pequenos vestígios do assassino que passaram despercebidos aos olhos do Sr. Gregson e do Sr. Lestrade, os maiores peritos criminais de Londres.

Vasculhando o local, Sherlock Holmes encontra cinzas de charuto, pegadas de pessoas… mas o que deu inicio à sua investigação foi uma aliança que caiu da vitima ao ser transportada para a maca e uma palavra alemã escrita a sangue humano em uma parede do cômodo: RACHE, que significa ‘vingança’.

Sir Conan Doyle nos apresenta em “Um Estudo em Vermelho”, seu personagem de renome mundial, Sherlock Holmes. No primeiro livro da série do personagem, Sir Conan Doyle nos conta, através das palavras de Dr. Watson, a personalidade de Sherlock Holmes: ‘costuma ser uma pessoa arrogante, que não demonstra muitos traços de sentimentalismo, preferindo muitas vezes o lado racional do ser’.

Publicado em 1887, “Um Estudo em Vermelho” tem um ritmo vertiginoso de suspense e mistério que consagraria o seu protagonista como o mais apaixonante e popular detetive da história da literatura.

A primeira adaptação cinematográfica veio em 1933, dos estúdios da K.B.S. Productions Inc. A obra, ainda em preto e branco, tem pouco mais de setenta minutos de duração e traz às telas a empolgante história do primeiro crime relatado por Dr. Watson.

Resenhado por Léo Scarpa

192 páginas, Editora FTD, edição de 2006.
*Título original: A Study in Scarlet. Publicado originalmente em 1888.

Onde Comprar

Voltar |
Categorias: Léo Scarpa, Resenhas
Nota 1Nota 2Nota 3Nota 4Nota 5 (4 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

Comentários