Entrando no guarda-roupa

//Por Sheila Vieira - domingo, 13 de junho de 2010 às 10:25

Após muita discussão sobre o último texto, a seção de Resenhas traz mais um “rival” (ou não?) de Harry Potter para comentar. C.S. Lewis e suas “Crônicas de Nárnia” foram submetidas ao crivo dos pottermaníacos. Nos comentários, claro. O texto de Léo Scarpa é uma exposição da trama do volume “O Leão, a Feiticeira e o Guarda-roupa”. E você, leitor, já leu algum deles? Acha que tem a ver com Harry Potter? Apesar de também ser infanto-juvenil, o que a obra de Lewis tem de singular? O espaço é seu para comentar.

Semana que vem, tem Literatura Nacional nas Resenhas: “Um certo capitão Rodrigo”, de Érico Veríssimo.

“As Crônica de Nárnia: o Leão, a Feiticeira e o Guarda-roupa”, de C.S. Lewis

Tempo: para ler pouco a pouco em intervalos durante a semana
Finalidade: para ficar na ponta da cadeira
Restrição: para quem tem dificuldade com pontos de vista alternativos
Princípios ativos: mistério, mitologia, coragem, justiça, traição.

Quatro crianças descobrem uma passagem secreta em um guarda-roupa, que levava à Terra de Nárnia. Nessa terra, onde há muito se esperava a vinda dos Filhos de Adão e das Filhas de Eva, quatro crianças refugiadas na guerra na Inglaterra ganham aliados e armas para lutarem ao lado de um Leão e uma família de Castores. A batalha contra a Feiticeira Branca tem como objetivo a posse dos tronos de Cair Paravél e tirar o duradouro inverno dessa terra de muitos seres.

As quatro crianças terão de descobrir os segredos da Mesa de Pedra e da Aurora do Tempo. Também verão estátuas voltando à vida e a Mesa de Pedra – que continha as antigas escrituras – quebrar-se para dar ao Leão a sua vida, que fora roubada depois de um sacrifício.

C. S. Lewis, em seu primeiro conto sobre a Terra mágica de Nárnia, descreve as aventuras de Pedro, Susana, Edmundo e Lúcia, irmãos que salvaram essa terra das garras malignas de uma Feiticeira e se tornaram reis e rainhas.

O autor tenta nos mostrar com clareza a sua indiscutível imaginação pra crônicas. Muitas vezes, tentou expor seus pensamentos sobre os fatos da história com desenhos nas páginas. Lewis contratou Pauline Baynes para os desenhos, apesar de no principio não ter gostado muito da ideia das ilustrações.

Escrito em 1949 e publicado em 1950, o episódio “O Leão, a Feiticeira e o Guarda-roupa” foi o primeiro de sete livros a ser lançado e o segundo na ordem cronológica da história. Um leitor da série sugeriu essa ordem, mas Lewis nunca a oficializou, lançando os livros aleatoriamente.

Pouco conhecidas no Brasil, as obras de Lewis só chegaram ao publico brasileiro com mais força após a adaptação cinematográfica do primeiro livro em 2005. Essa releitura seguiu muito à risca a obra original, inclusive reproduzindo as mesmas falas em determinados momentos.

Resenhado por Léo Scarpa

390 páginas, Editora Martins Fontes, publicado em 2009.
*Título original: “The Lion, the Witch and the Wardrobe”. Publicado originalmente em 1950.

Onde Comprar

Voltar |
Categorias: Léo Scarpa, Resenhas
Nota 1Nota 2Nota 3Nota 4Nota 5 (7 votos, média: 4,43 de 5)
Loading...

Comentários